Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sexta-feira, Outubro 22, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Mação | Dia Europeu da Arte Rupestre assinalado entre o Património e a Educação

O Dia Europeu de Arte Rupestre, comemorado a 9 de outubro, foi assinalado em Mação com o lema “Património e Educação em Mação”. Este ano as atividades do Museu de Arte Pré-histórica de Mação foram diferentes do habitual, contando com uma ação no Agrupamento de Escolas e apresentação de um vídeo promocional realizado por jovens investigadores durante uma visita noturna ao vale do Ocreza.

- Publicidade -

Segundo informação da autarquia, na manhã desta sexta-feira, dia 9, começou-se por fazer a entrega do prémio do desafio lançado nesta efeméride, através do concurso nas escolas de frases criativas sobre a Arte Rupestre.

A vencedora do desafio de 2019, Camila Lourenço, recebeu o seu prémio, uma mini biblioteca de Arte Rupestre, igual à também oferecida à Biblioteca do Agrupamento escolar “para que todos a possam conhecer.

- Publicidade -

Também foi apresentado, ao público em geral e a um grupo de alunos no âmbito do projeto escolar “10 minutos de leitura”, um vídeo promocional do Dia Europeu de Arte Rupestre, realizado através da experiência de visita noturna ao vale do Ocreza por um grupo de jovens investigadores com apoio do Museu e do Instituto Terra e Memória.

“Após o visionamento do vídeo os alunos foram desafiados a apresentar uma pequena obra de desenho, pintura ou escrita, sobre o tema. O prémio será uma mini biblioteca de Arte Rupestre, a ser entregue em 2021, novamente no dia 9 de outubro”, lê-se na nota de imprensa do município.

Recorde-se que o Município de Mação é co-fundador da rede CARP – “Caminhos da Arte Rupestre da Europa” e membro da Rede UNESCO de Cidades da Aprendizagem, razão pela qual este dia é assinalado com maior veemência junto da comunidade e em especial na comunidade escolar.

 

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome