Mação: Caso isolado de legionella em Cardigos

(Foto DR)

Um munícipe residente na aldeia do Carvalhal, Cardigos, no concelho de Mação, foi internado com a bactéria da legionella há cerca de três semanas. Autarquia de Mação refere que o caso é isolado e aguardam pelos resultados definitivos das análises à água.

PUB

A informação foi dada esta quarta-feira, dia 23 de março, pelo vereador António Louro (PSD) durante a reunião do executivo camarário.

Ao médiotejo.net, Vasco Estrela, presidente da Câmara Municipal de Mação, explicou que se trata de um caso isolado: “somente na casa daquele munícipe foi detetada a infeção da legionella, nas casas ao lado não foi detetado nenhum caso até ao momento”.

PUB

Segundo Vasco Estrela, “trata-se de uma casa que não é habitada todos os dias e que, por isso, há águas paradas que podem ter levado ao contágio”.

“Assim que a autarquia soube do caso, foram feitas análises à água no local, também no depósito de água, foram contactado os serviços de saúde que vieram ao local e foram feitas novas análises que estão em avaliação no Instituto Ricardo Jorge”, referiu o presidente da Câmara de Mação acrescentando que o munícipe que foi internado “já está bem de saúde”.

PUB
mação_reuniao cm_23março4 (Foto:mediotejo.net)
A informação sobre o caso de legionella em Cardigos foi dada a conhecer durante a última reunião do executivo camarário que se realizou esta quarta-feira, dia 23 (Foto: mediotejo.net)

“Até ao momento, não houve mais nenhum foco de infeção em mais nenhum cidadão naquela região e pensamos que a situação está controlada, embora estejamos ainda há espera dos resultados finais das análises”, concluiu Vasco Estrela sobre este caso que esteve sempre a ser acompanhado de perto pelos técnicos de saúde pública.

Mas o que é a legionella? É uma bactéria que vive em ambientes aquáticos e, de acordo com a Direção-Geral de Saúde, pode existir em reservatórios naturais, rios e lagos e também em reservatórios artificiais como sistemas de água doméstica (quente e fria), humidificadores, torres de arrefecimento de sistemas de condicionamento de ar, jacuzzis, piscinas, instalações termais, águas sujas paradas e fontes decorativas, como por exemplo os repuxos.

A infeção não se transmite de pessoa para pessoa, nem pela ingestão de água contaminada, mas sim por via aérea (respiratória) através da inalação de gotículas de água (aerossóis) contaminadas com bactérias, chegando aos pulmões e dando início à infeção.

A bactéria coloniza equipamentos de refrigeração e outros que contenham água tépida (temperatura de água entre os 20ºC e os 45ºC, sendo o crescimento mais favorável entre os 35ºC e 45ºC) onde se multiplica.

A infeção por Legionella pneumophila pode provocar a febre de Pontiac (com sintomas semelhantes a uma gripe e geralmente pouco severa) e a doença dos Legionários, a manifestação mais grave de infeção por Legionella pneumophila e que consiste num tipo de pneumonia potencialmente fatal.

Qualquer pessoa pode ser infetada mas existem fatores que aumentam o risco: a infeção atinge especialmente pessoas com mais de 50 anos e é rara entre crianças; a infeção afeta duas a três vezes mais homens do que mulheres; ter uma doença pulmonar; ser fumador; ter uma doença crónica (diabetes, insuficiência renal, cancro, alcoolismo).

O período de incubação varia entre 2 a 10 dias e, a nível geral, decorridos cerca de 5 a 6 dias depois de se terem inalado as bactérias presentes nas gotículas de água podem surgir os primeiros sintomas.

A infeção por Legionella pneumophila pode causar sintomas como tosse, calafrios, dificuldades respiratórias, dores musculares, febre alta e sintomas gastrointestinais como diarreia e vómitos. A pneumonia surge normalmente de forma aguda, podendo conduzir a insuficiência pulmonar e morte.

O tratamento consiste na administração de antibióticos e, em casos mais graves, torna-se necessário que o doente seja internado.

O controlo e prevenção desta doença fazem-se pelo diagnóstico precoce em casos suspeitos e pelo tratamento (descontaminação) da fonte de infeção provavelmente associada, que se baseia na limpeza, desinfeção e manutenção das instalações e equipamentos contaminados.

(Fonte: DGS)

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here