Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Sexta-feira, Outubro 22, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Mação | Cabo da GNR recebe indemnização por ter sido alvejado

Quase nove anos depois, o cabo da GNR, João Paulo Mendes, vai receber uma indemnização de 86 160,43 euros, por ter sido alvejado com tiros de pistola disparados por um reformado da PSP em Mação. O caso remonta a 19 de julho de 2011. A vítima encontrava-se numa esplanada da vila, trajada à civil, quando foi baleada pelo agente da PSP que se preparava para prestar depoimento no Tribunal da Comarca de Mação.

- Publicidade -

O autor dos disparos colocou-se em fuga num automóvel em direção à cidade de Abrantes, onde acabaria por se entregar aos agentes da autoridade.

Na altura, em declarações à agência Lusa, o capitão da GNR de Tomar, Duarte da Graça, referiu que o detido, com cerca de 80 anos, disparou contra o agente da autoridade por “motivos desconhecidos”.

- Publicidade -

O agente alvejado foi transportado para o serviço de urgências do hospital de Abrantes ficando com danos físicos irreversíveis.

No despacho da indemnização, publicado no Diário da República do dia 8, e assinado pelos ministros das Finanças e da Administração Interna, refere-se que o Cabo de Infantaria João Paulo Gil Ribeiro Mendes foi “vítima de ato criminoso” e “um ato de retaliação”.

“Foi atingido por dois disparos de arma de fogo que lhe causaram ferimentos, tendo vindo a sofrer, em resultado das lesões sofridas, uma incapacidade permanente parcial”, acrescenta-se.

No inquérito comprovaram-se os danos sofridos pelo militar da GNR, bem como “o caráter de retaliação da conduta do agressor e o nexo de causalidade entre os factos constitutivos da prática do crime e as funções prestadas por aquele militar”.

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome