Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Quarta-feira, Setembro 22, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Mação | Autarquia reconheceu boa prestação dos alunos do concelho

Numa cerimónia realizada durante a tarde desta terça-feira, o Centro Cultural Elvino Pereira em Mação recebeu alunos, pais/encarregados de educação, docentes e membros do executivo camarário para atribuição de 18 bolsas de estudo (algumas renovadas) e entrega dos Prémios de Mérito e Prémio Gonçalo Matos. Segundo Vasco Estrela, autarca maçaense, este investimento anual na área da Educação representa cerca de meio milhão de euros, “valor que exige algum esforço mas não deixamos de o fazer”.

- Publicidade -

Este ano a autarquia atribuiu as 18 bolsas de estudo a alunos do ensino superior público, projeto que a Autarquia promove desde 2004 que se traduz num apoio efetivo a jovens do concelho de Mação que frequentem o Ensino Superior.

Segundo informação da autarquia, as bolsas são atribuídas a alunos que ingressam no ensino superior público e a posterior renovação das bolsas dos alunos até que concluam os seus cursos sem reprovações. A CM Mação procura “contribuir para um maior e mais equilibrado desenvolvimento social, económico e cultural” com a atribuição das Bolsas de Estudo através do concurso de acordo com o rendimento per capita comprovado.

- Publicidade -

Quanto à distinção dos melhores alunos através da atribuição de Prémios de Mérito, a Câmara Municipal reconhece os alunos do 2º e 3º Ciclos e Secundário que estudam em Mação, pelo seu esforço e boa prestação escolar.

Este ano, com base na informação disponibilizada pela Escola E.B. 2,3/S de Mação, os alunos distinguidos pelo melhor rendimento no ano letivo 2015/2016 foram Duarte Barreta (2º ciclo) – 250 euros, Clara Silva Minhoto (3º ciclo) – 250 euros, e Glória Morais Alves (Secundário) – 500 euros.

Os vencedores dos Prémios de Mérito atribuídos ao 2º, 3º ciclo e Ensino Secundário do Agrupamento de Escolas de Mação. Foto: mediotejo.net

Por fim, o Prémio Gonçalo Matos, que premeia a excelência e tem o nome do aluno do concelho que, até à data, teve a melhor média de entrada na Universidade desde a sua instituição. Cada ano o prémio é atribuído ao aluno com residência no concelho, mesmo não sendo estudante em Mação, que tenha a melhor média de entrada no Ensino Superior. O Prémio de 500 euros foi este ano entregue a duas alunas, uma vez que tiveram a mesma média de entrada na universidade, Glória Morais Alves e Beatriz Esteves Branco.

Presente na cerimónia esteve o Diretor do Agrupamento de Escolas, José António Almeida, que frisou a articulação feita pelas várias entidades, enquanto “um projeto conjunto da Escola, da Câmara, dos Alunos e da Comunidade que é o de uma educação de excelência”.

“Aqui em Mação temos uma forma de estar muito peculiar, muito singular. Trabalhamos todos no mesmo sentido, e não foi por acaso que a UNESCO classificou Mação como a Cidade da Aprendizagem. Algo que veio premiar esta articulação entre a CM Mação e o Agrupamento de escolas, bem como de toda a comunidade”, disse, em declarações ao mediotejo.net, o diretor do Agrupamento Verde Horizonte.

Segundo José António Almeida “a Câmara Municipal e o Agrupamento caminham de mãos dadas, e isso é excelente”.

Já no discurso que encerrou cerimónia, antes da foto de grupo, o presidente da Câmara Municipal de Mação, Vasco Estrela, disse que “esta iniciativa da Câmara Municipal de Mação é um claro investimento no enriquecimento do percurso escolar e formação dos jovens do concelho”.

Em declarações ao mediotejo.net, o autarca reconheceu ainda que a educação é um dos fatores de escolha das famílias para fixar residência em determinada localização, considerando a educação como “basilar” nessa escolha. “Pensamos que uma autarquia que tem uma intenção clara de suster o êxodo populacional tem de ter esta preocupação com a educação (…) a outra razão é porque achamos que as nossas crianças e os nossos jovens merecem ter o melhor futuro possível, e isso passa também por eles terem uma educação que seja o melhor possível, e a CM Mação tendo também conhecimento dos constrangimentos que podem ainda existir de viver num concelho do Interior, onde muitos jovens e crianças vivem isolados até de outros, pensamos que devemos e temos obrigação de tentar proporcionar-lhes todas as condições para que o facto de viverem em Mação não seja de modo nenhum penalizador”, notou.

Vasco Estrela considerou que o Agrupamento de Escolas Verde Horizonte tem de se preparar para, no futuro, “competir com outros agrupamentos de escolas, esta é uma realidade, perante os dados que temos de alunos a frequentar o ensino público, e aquilo que são as perspetivas, a longo prazo, do decréscimo de alunos, e é cada vez mais importante que em Mação se consiga dar resposta e possamos encontrar um ou outro factor diferenciador, que na altura de tomar decisões possa valer a pena”.

“É importante que sintam que têm uma autarquia que se preocupa com o futuro deles, e que está ao lado deles e que os ajuda a ter ferramentas para encararem o futuro da mesma forma que qualquer jovem do país”, concluiu o autarca.

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome