“Logística – uma oportunidade para a região”, por Duarte Marques

Num mundo cada vez mais globalizado, onde Portugal não é exceção, pelas boas e más razões, a organização possível das regiões deve assentar em estratégias realistas e não apenas em planos para encher o olho aos eleitores e os bolsos a alguns consultores.

PUB

PUB

A situação económica e a centralidade do Médio Tejo, mas também da Lezíria, a sua proximidade a Lisboa, o seu flanco / ponto de charneira com o Alentejo, Beira Baixa e Beira Litoral e Espanha, a existência de uma forte resposta ao nível de infraestruturas como a A23, a A1, a A13, as linhas de caminho de ferro do Norte e da Beira Baixa, sem esquecer o Terminal Multimodal de Contentores em Torres Novas/Golegã e a base área de Tancos, fazem desta região o local de excelência para a instalação das novas unidades de logística do país.

A proximidade também ao Politécnico de Tomar, que tem todo o potencial para desenvolver esta área, e a existência de uma associação empresarial de excelência como é o NERSANT completam o cocktail ideal para fazer da necessidade uma grande oportunidade económica para a região.

PUB

Mais do que competir entre autarquias sobre quem é o melhor para acolher esta ou aquela empresa, uma estratégia regional de promoção internacional pode apresentar a região como o local de excelência para este sector dos serviços. Recordo que são empresas não poluentes, com elevada capacidade de contratação, com forte valor acrescentado e que têm tudo para ajudar a puxar/desenvolver o tecido económico local.

O PSD tem feito bem o seu caminho nesta matéria e já na discussão do último Orçamento de Estado questionámos e fizemos propostas ao Governo que chamaram a atenção para o transporte de mercadorias e para esta forma de olhar para a região. Esperamos que mais se juntem pois pode ser uma boa oportunidade.

PUB
APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser), através do IBAN PT50001800034049703402024 (conta da Médio Tejo Edições) ou usar o MB Way, com o telefone 962 393 324.

PUB
Artigo anteriorChamusca | Festival do Cogumelo traz Átoa, Merche Romero e Quim Barreiros à Parreira
Próximo artigoVN Barquinha | Tribunal condena dois homens por insolvência dolosa
Duarte Marques, 38 anos, é natural de Mação. Fez o liceu em Castelo Branco e tirou Relações Internacionais no Instituto de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Técnica de Lisboa, com especialização em Estratégia Internacional de Empresa. É fellow do German Marshall Fund desde 2013. Trabalhou com Nuno Morais Sarmento no Governo de Durão Barroso ao longo de dois anos. Esteve seis anos em Bruxelas na chefia do gabinete português do PPE no Parlamento Europeu, onde trabalhou com Vasco Graça Moura, José Silva Peneda, João de Deus Pinheiro, Assunção Esteves, Graça Carvalho, Carlos Coelho, Paulo Rangel, entre outros. Foi Presidente da JSD e deputado na última legislatura, onde desempenhou as funções Vice Coordenador do PSD na Comissão de Educação, Ciência e Cultura e integrou a Comissão de Inquérito ao caso BES, a Comissão de Assuntos Europeus e a Comissão de Negócios Estrangeiros e Cooperação. O Deputado Duarte Marques, eleito nas listas do PSD pelo círculo de Santarém, foi eleito em janeiro de 2016 um dos novos representantes portugueses na Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa, com sede em Estrasburgo. Sócio de uma empresa de criatividade e publicidade com sede em Lisboa, é também administrador do Instituto Francisco Sá Carneiro, director Adjunto da Universidade de Verão do PSD, cronista do Expresso online, do Médio Tejo digital e membro do painel permanente do programa Frente a Frente da SIC Notícias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here