Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Segunda-feira, Setembro 20, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Leiria/Ourém | Urgências do Hospital de Leiria em esforço e com afluxo anormal de utentes

Em nota de imprensa enviada às redações, o Centro Hospitalar de Leiria informa que as suas urgências estão neste momento e viver um período mais complicado da sua gestão, dado as condições de combate à pandemia, a falta de recursos humanos e um afluxo anormal de doentes.

- Publicidade -

- Publicidade -

Na informação é mencionado que esta sexta-feira, 10 de setembro, o Centro Hospitalar de Leiria contava com 37 doentes internados com Covid-19, três dos quais ventilados. O contexto pandémico e uma “anormal afluência às urgências”, refere, “está a condicionar a capacidade de resposta deste serviço, com os utentes, especialmente os triados com pulseira verde e azul (não urgentes), a terem de esperar mais tempo do que normal para serem atendidos”.

“Acresce que há uma efetiva e conhecida situação de escassez de recursos humanos e em particular de pessoal médico, a que o Centro Hospitalar de Leiria é alheio, pois trata-se de um problema nacional de falta de profissionais, em especial fora dos grandes centros urbanos. Para que se constate a real situação, no concurso para médicos de várias especialidades que foi lançado em julho, para 36 vagas, até agora só foi possível ocupar 19 vagas. Decorrem ainda algumas avaliações, mas é certo que não vai ser possível colmatar uma grande parte das vagas abertas”, adianta a nota de imprensa.

- Publicidade -

O Centro Hospitalar solicita assim que os utentes se dirijam ao hospital só em situações urgentes, ligando previamente para a Linha SNS24. “Os utentes devem recorrer aos Cuidados de Saúde Primários, dirigindo-se ao seu Centro de Saúde para serem assistidos pelo seu médico de família, ou pelo seu médico assistente, ou para serem observados na Consulta Aberta”, recomenda..

Os doentes não urgentes e pouco urgentes representam cerca de 40% dos utentes que se dirigem às urgências do Centro Hospitalar. “A ida à Urgência sem indicação médica e em casos não urgentes propicia a acumulação de pessoas nos serviços, o que gera o aumento anormal dos tempos de espera”, refere..

Segundo dados da instituição, no primeiro semestre de 2021, em comparação com o período homólogo de 2020, o Centro Hospitalar diminuiu a lista de espera para cirurgia em 13,4% e para primeira consulta em 5,9%, e aumentou em 23,8% o número de cirurgias e em 34,3% o número de consultas realizadas face ao período pré-Covid, correspondente ao primeiro semestre de 2019,

Em 2021 verifica-se igualmente uma diminuição da lista de espera para cirurgia em 23%, estando a lista de espera para primeira consulta em linha com 2019, apenas com um ligeiro acréscimo de 0.6%. Comparativamente ao primeiro semestre de 2019, o Centro Hospitalar registou também um aumento em 14,4% do número de cirurgias e em 27,9% do número de consultas realizadas em 2021, em período homólogo.

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome