Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Terça-feira, Outubro 26, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Leiria | IPL distinguido em concurso de Informática Forense

Três equipas formadas por estudantes e docentes das áreas de Engenharia Informática e de Cibersegurança da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Politécnico de Leiria (ESTG/IPLeiria) foram recentemente distinguidas no concurso internacional “Open Source Digital Forensics Conference – OSDFcon 2017”, na categoria “Module Development Contest”, nos EUA. Segundo nota de imprensa, a competição consistiu no desenvolvimento de módulos para o software Autopsy, uma aplicação de informática forense utilizada na deteção e obtenção de provas digitais que possam ser empregues em processos criminais.

- Publicidade -

O estudante João Mota Parreira, finalista da licenciatura em Engenharia Informática, e os docentes Patrício Domingues e Miguel Frade, que lecionam nesse curso e no mestrado em Cibersegurança e Informática Forense, conquistaram o segundo lugar com o módulo “FEA – Forensics Enhanced Analysis”. Este módulo melhora as capacidades de deteção de endereços de correio eletrónico e de número de cartões de crédito da aplicação Autopsy, acrescentando ainda a capacidade de deteção da criptomoeda Bitcoin.

Também na segunda posição, ex-aequo, ficou o docente Patrício Domingues, com o módulo “digiSignedOrProtected_PDFs” para identificação de ficheiros no formato PDF que tenham assinatura digital qualificada, e que potencialmente contenham dados relevantes para uma perícia digital forense.

- Publicidade -

A equipa composta pelo estudante Alexandre Frazão, da licenciatura em Engenharia Informática, e pelo docente Patrício Domingues, obteve uma menção honrosa com o módulo “Face Detection”, desenvolvido durante o verão no âmbito da colaboração do estudante com o Instituto de Telecomunicações. Este módulo recorre a técnicas de inteligência artificial para detetar fotografias que contenham rostos de pessoas existentes num sistema informático alvo de perícia digital forense.

“Estes resultados da ESTG/IPLeiria no OSDFCon 2017 surgem na sequência da grande aposta nas áreas da Cibersegurança e da Informática Forense. Temos vários exemplos desse investimento como a criação do Laboratório em Cibersegurança e Informática Forense, onde são efetuadas perícias digitais; a realização de quatro edições da pós-graduação em Informática de Segurança e Computação Forense, lecionado em colaboração com a Polícia Judiciária; e o Mestrado em Cibersegurança e Informática Forense, cuja primeira edição se iniciou em setembro 2017. Em articulação com várias entidades e centros de investigação, é também desenvolvida uma relevante atividade de investigação nessas áreas”, salientou no mesmo comunicado Vítor Távora, coordenador do departamento de Engenharia Informática da ESTG/IPLeiria.

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome