Leiria | IPL abre ano letivo com objetivo de obter designação de Universidade

Rui Pedrosa, presidente do Instituto Politécnico de Leiria (IPL), afirmou na abertura do ano letivo que é prioridade da instituição alterar a sua designação para Universidade Politécnica de Leiria. Esta denominação seria “condizente com a missão e plenitude funcional do Politécnico de Leiria, determinante e diferenciadora, sem preconceitos”. Na sessão solene, Rui Pedrosa abordou ainda os vários constrangimentos de ordem orçamental que põem em causa a sustentabilidade da instituição, nomeadamente um défice orçamental para 2019 fruto das alterações legislativas.

PUB

Segundo nota de imprensa, o responsável assumiu que a missão do IPL “passa por continuar a política de ampliar e aprofundar contextos nacionais e internacionais de captação de estudantes”. Destacou assim “a emergência da implementação de politicas governamentais que promovam e adjudiquem esse esforço – como a outorga de doutoramentos, a alteração da designação e a criação de uma nova fórmula de financiamento do ensino superior – que mais não é que uma valorização do ensino superior nacional”.

“O Politécnico de Leiria cumpre em pleno a sua responsabilidade de instituição de ensino superior pública, quer ao nível nacional, quer num contexto internacional», é uma instituição que tem como prioridades absolutas o ensino, a inovação pedagógica, a melhoria contínua do processo de ensino-aprendizagem, a flexibilidade curricular, a internacionalização e a capacidade de integrar cada vez melhor a diversidade multicultural dos estudantes, apostas que «visam a promoção de um ensino superior que forma para as profissões e para competências do presente e do futuro», destacou o presidente do Politécnico de Leiria, lamentando que esta seja uma realidade que não tem merecido a devida atenção, e tem até sido penalizada no contexto nacional”, adianta.

Rui Pedrosa debroçou-se também sobre as dificuldades orçamentais, considerando que terá que chegar um reforço financeiro ao IPL, “sob pena de termos de bloquear todas as aquisições de bens e serviços até ao final do ano por falta de disponibilidade de tesouraria”. Com despesas decorrentes das alterações legislativas, a instituição precisa de um reforço de cerca de 600 mil euros.

“O Politécnico de Leiria tem hoje mais de 130 projetos de I&D financiados, na sua maioria, com empresas e instituições, cuja execução pode ficar comprometida caso o reforço do financiamento não nos chegue urgentemente.» Para 2019 é já possível estimar um deficit orçamental, via Orçamento de Estado, de 1.1 milhões de euros no Politécnico de Leiria, decorrentes do aumento das despesas resultantes das alterações legislativas”, continua.

PUB

A sessão solene de abertura do ano letivo foi marcada pela atribuição de prémios e distinções vários. O Cardeal D. António Marto, bispo da diocese de Leiria-Fátima, e Joaquim Menezes, empresário que integrou a comissão instaladora do Politécnico de Leiria e é hoje membro do seu Conselho para a Avaliação e Qualidade, foram os homenageados com a distinção honoríficas professor honoris causa.

PUB
Cláudia Gameiro
Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).