- Publicidade -

Segunda-feira, Janeiro 24, 2022
- Publicidade -

Legislativas 2022 | Duarte Marques não integra lista do PSD por Santarém, Rui Rio criticado por afastar apoiantes de Rangel

“Pelo menos o Cabrita saiu antes de mim.” Foi com sentido de humor que Duarte Marques abandonou o Conselho Nacional do PSD, que decorreu esta terça-feira à noite em Évora, depois de se confirmar que o seu nome não consta da lista de 9 candidatos escolhidos por Rui Rio para concorrerem pelo distrito de Santarém às próximas eleições legislativas.

- Publicidade -

Tal como Duarte Marques, quase todos os apoiantes de Paulo Rangel nas recentes eleições internas no PSD foram excluídos das listas hoje apresentadas, a nível nacional, o que está a gerar polémica entre os militantes. 

Em comparação com as escolhas apresentadas nas últimas eleições, só João Moura, líder da distrital, que não era apoiante de Rui Rio, sobrevive nos primeiros lugares da lista social-democrata por Santarém. Tal como em 2019, o deputado de Ourém surge em 2º lugar. Isaura Morais (Rio Maior) mantém-se como cabeça de lista, seguindo-se em 3º lugar Inês Barroso (Santarém), em 4º Rui Rufino (Chamusca) e em 5º Tiago Ferreira (Torres Novas). Nas últimas legislativas só os três primeiros nomes foram eleitos.

- Publicidade -

Duarte Marques tem raízes familiares em Mação e foi eleito deputado nas três últimas legislaturas, integrando as Comissões Parlamentares de Assuntos Europeus e de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, entre outras. Foi particularmente ativo na comissão de inquérito à gestão do BES, na denúncia de problemas relacionados com a prevenção e o combate aos incêndios, bem como dos recorrentes focos de poluição na região, com particulares impactos no rio Tejo.

Cerca de 40% dos deputados do PSD eleitos em 2019 vão ficar fora do parlamento

Dos 79 deputados eleitos pelo PSD em 2019, 28 estão fora das listas de candidatos a deputados para as legislativas, a que se somam outros quatro indicados em lugar inelegível, o que corresponde a 40% do total.

- Publicidade -

Há dois anos, a taxa de mudança de deputados em relação à anterior legislatura tinha sido de 55%, mas tratou-se de uma transição de uma bancada construída pelo ex-líder Pedro Passos Coelho para o primeiro grupo parlamentar elaborado pela direção de Rui Rio.

Neste caso, o presidente do partido é o mesmo, mas dos 79 deputados só 47 se mantêm nas listas, com 28 a nem sequer integrarem a proposta, alguns por vontade própria, outros por não fazerem parte das escolhas da Comissão Política Nacional.

O número de deputados do PSD que se despedem da Assembleia da República sobe para 32, se se somarem os quatro atuais parlamentares pelo círculo do Porto que integram a lista, mas em lugares claramente fora das possibilidades de eleição.

No final da reunião, que durou cerca de três horas, e culminou com a aprovação das listas, com 71% de votos favoráveis, o presidente do PSD, Rui Rio, assumiu que a renovação foi um dos objetivos da direção, mas rejeitou que tivessem sido excluídos todos os nomes que não apoiaram o atual presidente.

O ex-candidato à liderança do PSD, Paulo Rangel, foi a Évora dizer que lamentava a falta de “um sinal construtivo” por parte da direção na elaboração das listas, mas prometeu apoiar Rio na campanha para as legislativas de 30 de janeiro.

Fora das listas ficaram, por exemplo, os líderes das distritais do PSD de Faro, Cristóvão Norte, de Viseu, Pedro Alves, ou de Coimbra, Paulo Leitão, que apoiaram Paulo Rangel nas últimas diretas. Outros apoiantes do eurodeputado, como o líder da distrital do Porto, Alberto Machado, e o ex-presidente da concelhia de Gaia, Cancela Moura, foram colocados em lugares não elegíveis, 40.º e 39.º pelo Porto, respetivamente.

Também não voltarão ao parlamento deputados de várias legislaturas como Luís Marques Guedes, Emídio Guerreiro ou Duarte Marques, bem como Ana Miguel dos Santos, que tinha sido cabeça de lista por Aveiro na última legislatura, ou o ex-líder da JSD Pedro Rodrigues.

Margarida Balseiro Lopes, que foi em 2019 cabeça de lista por Lisboa, e Álvaro Almeida, oitavo pelo Porto, tornaram público que não tinham intenção de voltar a ser deputados, tal como o antigo líder da distrital de Lisboa Pedro Pinto.

Saem também os ‘vices’ da bancada Luís Leite Ramos, que tinha manifestado à sua distrital (Vila Real) indisponibilidade para voltar a ser deputado, Carlos Peixoto ou José Cesário, que tinham sido cabeças de lista em 2019 e não foram convidados a integrar as listas para as legislativas de 30 de janeiro.

PSD | Listas às eleições legislativas de 2022

Santarém
1º Isaura Morais
2º João Moura
3º Inês Barroso
4º Rui Rufino
5º Tiago Ferreira
6º Susana Pita Soares
7º Tiago Carrão
8º João Oliveira
9º Sónia Ferreira Quintino

Castelo Branco
1º Cláudia André
2º Álvaro Baptista
3º Nuno Almeida Santos
4º Susana Salvado

*Com Lusa

**Notícia corrigida às 14h00, para clarificar os nomes dos candidatos nos cinco primeiro lugares da lista do PSD que se apresenta às legislativas de 2022 por Santarém.

Sou diretora do jornal mediotejo.net e da revista Ponto, e diretora editorial da Médio Tejo Edições / Origami Livros. Sou jornalista profissional desde 1995 e tenho a felicidade de ter corrido mundo a fazer o que mais gosto, testemunhando momentos cruciais da história mundial. Fui grande-repórter da revista Visão e algumas da reportagens que escrevi foram premiadas a nível nacional e internacional. Mas a maior recompensa desta profissão será sempre a promessa contida em cada texto: a possibilidade de questionar, inquietar, surpreender, emocionar e, quem sabe, fazer a diferença. Cresci no Tramagal, terra onde aprendi as primeiras letras e os valores da fraternidade e da liberdade. Mantenho-me apaixonada pelo processo de descoberta, investigação e escrita de uma boa história. Gosto de plantar árvores e flores, sou mãe a dobrar e escrevi quatro livros.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome