José Cid ganha Grammy Latino de “Excelência Musical”

José Cid vai receber o Grammy Latino numa cerimónia em Las Vegas, nos Estados Unidos da América, em 13 de novembro. Foto: José Cid

O músico português José Cid vai receber um Grammy de “Excelência Musical”, anunciou hoje a Academia Latina de Gravação.

PUB

PUB

“O Prémio à Excelência Musical é concedido a artistas que fizeram contribuições de significado artístico excecional para a música latina”, refere a página oficial da Academia.

José Cid vai receber o Grammy Latino numa cerimónia em Las Vegas, nos Estados Unidos da América, em 13 de novembro.

PUB

Numa mensagem na rede social Facebook, José Cid já reagiu ao prémio, considerando que é o mais importante “de pouco mais de 50 anos de carreira como músico e poeta”.

“Estou também feliz porque o pop rock português, sempre tão impossibilitado de atravessar fronteiras, é reconhecido a este nível. Parabéns a todos os meus colegas que escrevem e cantam em português”, salienta, elogiando o reconhecimento que sempre recebeu do público português.

Além de José Cid, também Eva Ayllón, Joan Baez, Lupita D’alessio, Hugo Fattoruso, Pimpinela, Omara Portuondo e José Luis Rodríguez “El Puma” vão ser distinguidos com o mesmo galardão, enquanto Mario Kaminsky vai receber o prémio da Direção.

“Tenho um grande prazer em homenagear um grupo de pessoas notável e homogéneo com os Prémios à Excelência Musical e da Direção deste ano”, disse Gabriel Abaroa Jr., presidente da Academia Latina da Gravação.

Gabriel Abaroa Jr. referiu que está “ansioso” por distinguir os vencedores.

“Cada uma destas lendas continua a deixar a sua marca no mundo da música latina através do seu talento e paixão por criar sons que vibram em todas as nossas comunidades e ajudam a construir nossa música por décadas”, salientou.

Na página oficial da Academia Latina de Gravação é referido, num pequeno texto dedicado ao músico português, que José Cid, de 77 anos, “adaptou sem esforço a influência da música popular anglo ao estilo original do pop rock português”.

“Em 1956, o surgimento de sua banda cover Os Babies marcou um momento de ‘antes e depois’ para o pop rock em Portugal. O seu próximo grupo, o Quarteto 1111, criou as bases do rock português, com uma forte tonalidade psicadélica e lançamentos inovadores, como o enorme sucesso de 1967 ‘A Lenda De El-Rei D. Sebastião’. Continuando como artista a solo, em 1978 lançou ‘10000 Anos Depois Entre Vénus e Marte’, considerado uma obra-prima do rock progressivo”, salienta a mensagem da Academia.

O texto acrescenta que José Cid tem “dezenas de sucessos”, continuando a ser “uma grande atração em concertos em Portugal”.

PUB
APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser), através do IBAN PT50001800034049703402024 (conta da Médio Tejo Edições) ou usar o MB Way, com o telefone 962 393 324.

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here