PUB

“Incoerências”, por Vasco Damas

Bem sei que é mais fácil falar do que fazer e que, neste país de língua afiada, se é preso por ter cão e preso por não ter, que é como quem diz, aqueles que criticam agora a ação permanecem na linha da frente para criticar amanhã a inação.

PUB

Também sei que vivemos uma realidade nova e que a gestão do desconhecido e da incerteza torna tudo mais imprevisível, obrigando a um reajustamento quase diário da estratégia e das medidas tomadas.

Enquadramento feito com as regras do jogo definidas e apreendidas, já posso afirmar que, apesar de reconhecer legitimidade a todo este argumentário, há decisões que se perdem algures no meio da incoerência.

PUB

Não me refiro à incoerência daqueles que hoje as defendem porque as medidas foram decididas por quem veste de azul-claro e que amanhã serão os primeiros a criticá-las quando as mesmas medidas forem implementadas por quem veste de azul-escuro.

Refiro-me àqueles que, debaixo da responsabilidade de terem sido eleitos para representar e defender os interesses locais, interesses esses que muitas vezes se estendem aos concelhos vizinhos, sucessivamente se demitem dessa responsabilidade, mostrando falta de solidariedade com os seu colegas e falta de coragem com receio de hostilizar os poderes centrais.

PUB

É por isso que a liberdade de pensar pela própria cabeça se torna incómoda para aqueles que se resguardam em estratégias seguidistas, abandonando ou suspendendo a sua capacidade analítica, para se limitarem a dar voz e visibilidade ao sucesso e não tendo a humildade para reconhecer o insucesso.

Aqueles que mais acertam nem sempre acertam e aqueles que mais erram, de vez em quando também acertam.

A legitimidade da crítica ganha dimensão quando também se reconhece o sucesso. Mas o contrário também é verdade. A comunicação do sucesso também ganha dimensão quando se reconhecem as limitações.

É a esta coerência, ou à sua falta, se preferirem, que faço referência. O silêncio ensurdecedor na defesa da região que choca de frente com os gritos de sucessos recentes e aparentes.

O presente olha para o futuro através das experiências do passado. Bem sei que a memória é curta e as estratégias de maquilhagem estão cada vez mais desenvolvidas, mas o meu romantismo faz-me acreditar que a coerência acabará por ser recompensada. Pode demorar, mas acredito que acabará por ser.

PUB
Vasco Damas
É gestor e trabalhar com pessoas, contribuir para o seu crescimento e levá-las a ultrapassar os limites que pensavam que tinham é a sua maior satisfação profissional. Gosta do equilíbrio entre a família como porto de abrigo e das “tempestades” saudáveis provocadas pelos convívios entre amigos. Adora o mar, principalmente no Inverno, que utiliza, sempre que possível, como profilaxia natural. Nos tempos livres gosta de “viajar” à boleia de um bom livro ou de um bom filme. Em síntese, adora desfrutar dos pequenos prazeres da vida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).