Incêndios | MAI acusa Mação de não ter ativado Plano de Emergência que o Governo só hoje aprovou (c/vídeo)

Depois das duras críticas de Vasco Estrela à gestão dos meios colocados no combate aos incêndios da Sertã, Vila de Rei e Mação, e das declarações do Primeiro Ministro António Costa, atribuindo responsabilidades aos municípios no âmbito da Proteção Civil, o presidente da Câmara de Mação foi hoje alvo de mais comentários negativos por parte do ministro Eduardo Cabrita, horas depois de ter estado com o autarca no posto de comando de Cardigos.

PUB

Esta noite, em entrevista no Telejornal da RTP, Eduardo Cabrita acusou Vasco Estrela de ser “comentador televisivo” e de não ter acionado o Plano de Emergência Municipal, como fizeram as autarquias de Vila de Rei e Sertã. Esse plano de emergência aguardava aprovação desde março e só hoje foi certificado pela Autoridade Nacional de Proteção Civil, confirmou Vasco Estrela ao mediotejo.net, revelando que recebeu uma mensagem do Secretário de Estado com essa informação às 12h40 de hoje.

Esta noite, na RTP, o ministro teceu duras críticas ao autarca: “Estive hoje à tarde com o senhor presidente da Câmara de Mação e vejo com desgosto que, aquilo que julgava ser uma perturbação motivada pela tensão da ocorrência que estava a passar-se no seu concelho, optou por não promover a ativação do Plano Municipal de Emergência, não dar qualquer cooperação ao esforço de Proteção Civil e ser verdadeiramente um comentador televisivo, por que seguir a cada briefing aparecia nas televisões a fazer comentários.”

PUB

Vasco Estrela ouviu as palavras do ministro com “total surpresa”. À TSF, às 22h00, disse lamentar que o ministro reagisse tão mal a opiniões divergentes e que, “quando confrontado com críticas claras e objetivas e factuais”, reagisse desta maneira. “Posso discutir e discordar do que dizem ou fazem, mas que não entro nunca na ofensa de caracter. Acho uma vergonha o senhor ministro perder tempo a ofender em termos pessoais um presidente da Câmara. E lamento que tenha estado comigo às 15 horas e não tenha tido a coragem de me dizer olhos nos olhos aquilo que foi dizer para a televisão.”

“Acusa-me de não ativar o Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil que o Governo aprovou hoje de manhã. São estas coincidências que acontecem e que realmente são de lamentar. É pena que o ministro não diga o que é que o Plano de Emergência que é que alterava o rumo dos acontecimentos. Isso é que era bom que o senhor ministro explicasse”, acrescentou.

PUB

Vasco Estrela diz que nunca lhe foi proposta a activação do plano, “até porque nas primeiras 48Horas do incêndio NUNCA fui convidado/convocado para participar em qualquer reunião, no posto de Comando em Vila de Rei sobre o decurso do mesmo! O Responsável da Protecção Civil Municipal de Mação, foi colocado à margem de todas e quaisquer decisões operacionais”, volta a referir, depois de esta manhã o ter denunciado em entrevista ao mediotejo.net: “Se o senhor primeiro ministro acha que eu, como presidente de Câmara, sou o responsável máximo da Proteção Civil, devo dizer-lhe que é melhor que dê novas diretrizes à ANEPC para podermos realmente afinar procedimentos… porque o responsável máximo que não sabe o que se está a passar no território, que estão a evacuar populações e não lhe transmitem, não lhe reportam nada do que estão a fazer… Digamos que não mais faz do que – quase que diria – figura de palhaço.”

Foto: mediotejo.net

Esta tarde, em visita aos concelhos de Mação, Vila de Rei e Sertã, Eduardo Cabrita referiu que Mação “dispunha de um plano de geração anterior” e que a sua ativação era uma decisão municipal. “Eu não comento aqui as responsabilidades, que são dos vários níveis, e cada um tomou as suas decisões. O que temos é de notar que houve capacidade de resposta, de mobilização de meios, que permitiu respeitar as orientações estratégicas dadas a todas as forças no terreno, nomeadamente a salvaguarda da vida humana, das aldeias e populações”, disse em Mação, durante a tarde. [ver vídeo]

Vasco Estrela manteve-se calado durante a intervenção do responsável pelo MAI, mas explicou mais tarde ao nosso jornal como decorreu o encontro.

O autarca diz que agradeceu a visita do ministro, que esteve no posto de comando a inteirar-se de tudo o que tinha acontecido em Mação, e “foi-lhe explicado por parte do Comandante Distrital o quão tinha sido exemplar o incêndio no nosso concelho, e foram feitas algumas observações de circunstância”, descreveu, acrescentando que, juntamente com o vice-presidente António Louro, aproveitou a oportunidade para lembrar todo o trabalho que tem sido feito no âmbito da gestão da floresta naquele território.

Por outro lado, Vasco Estrela disse ter sido avisado da visita apenas 2h30 antes, referindo que foi “surpreendente”, mas que não deixou de “agradecer em nome dos maçaenses a preocupação demonstrada”.

PUB
Joana Rita Santos
Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres: o conhecimento e o saber, a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).