Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Terça-feira, Outubro 19, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Incêndios | Gavião “em alerta máximo” com bombeiros e grupo de reforço

Três equipas de bombeiros e um Grupo de Reforço para Incêndios Florestais (GRIF) estão de prevenção, desde hoje, em Gavião, no Alto Alentejo, devido ao risco máximo de incêndio no concelho, indicou o presidente do município.

- Publicidade -

“Sabemos bem das dificuldades que tivemos no ano passado e não queremos que se repita. Por isso, estamos em alerta máximo”, afirmou o presidente da câmara municipal, José Pio, em declarações à agência Lusa.

Gavião, no distrito de Portalegre, é um dos 32 concelhos das regiões do Algarve, Alentejo e do interior Norte e Centro do país que estão em risco máximo de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, numa altura em que uma onda de calor atinge o território nacional.

- Publicidade -

No verão do ano passado, Gavião foi uma das zonas mais fustigadas pelos incêndios e, segundo a câmara municipal, ardeu cerca de “35 por cento da área total” do concelho, causando prejuízos na ordem de “um milhão de euros”.

O autarca referiu que estão de “prevenção no quartel” e “em alerta máximo” três equipas dos bombeiros municipais, cada uma constituída por cinco elementos, e um GRIF oriundo de Lisboa, com 32 operacionais e seis veículos.

“Todos os outros bombeiros estão em alerta, sendo que a maior parte deles são funcionários da autarquia e estão prontos a entrar em ação de imediato”, notou.

José Pio frisou que estão também “várias equipas a fazer vigilância” e que foram “alertados os oficiais de segurança” das aldeias, que são responsáveis por avisos e pela organização da evacuação, no âmbito dos programas “Aldeia Segura” e “Pessoas Seguras”.

“Está tudo preparado nos locais para onde as pessoas se devem dirigir”, em caso de incêndio, “com água e alimentação”, e as populações “estão elucidadas” sobre o que devem fazer, referiu o presidente do município, assinalando que foram realizados “alguns simulacros”.

Segundo o IPMA, além dos 32 concelhos em risco máximo, estão em risco muito elevado de incêndio quase uma centena de outros municípios dos distritos de Viana do Castelo, Vila Real, Braga, Aveiro, Porto, Coimbra, Viseu, Bragança, Castelo Branco, Guarda, Leiria, Portalegre, Beja e Faro.

Em risco elevado de incêndio estão ainda outros quase 90 concelhos, nos distritos de Viana do Castelo, Vila Real, Bragança, Viseu, Porto, Aveiro, Leiria, Coimbra, Santarém, Lisboa, Setúbal, Portalegre, Évora, Beja e Faro.

Face à onda de calor prevista para os próximos dias, que pode ter “máximos históricos” de temperaturas máximas, a Proteção Civil estendeu o estado de alerta especial relativo aos meios de combate a incêndio aos distritos do Porto, Leiria, Aveiro, Braga, Viana do Castelo e Coimbra.

O estado de alerta especial do Sistema Integrado de Operações de Proteção e Socorro, que define a “prontidão e mobilização das estruturas, forças e unidades de proteção e socorro em conformidade com os riscos associados”, já vigorava nos distritos do interior do país.

A Proteção Civil justifica os procedimentos com o agravamento do risco de incêndios florestais devido à previsão do aumento da temperatura e da redução da humidade no ar.

Agência de Notícias de Portugal

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome