Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Segunda-feira, Setembro 27, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Incêndios | 43 mortos em Pedrogão Grande, fogo dominado em Ferreira do Zêzere

Continua ativo, em quatro frentes, o incêndio na zona de Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, que esta noite provocou pelo menos 43 mortos e 21 feridos. O fogo está a ser combatido por 488 bombeiros, 160 viaturas e um meio aéreo. A informação inicialmente avançada pelo secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, ao final da noite de sábado, dava conta de 19 vítimas mortais, especificando que três pessoas morreram na estrada que liga Figueiró dos Vinhos a Castanheira de Pêra devido à inalação de fumos e 16 ficaram carbonizadas no interior das suas viaturas, cercadas pelas chamas. Já depois das 2h da manhã, o primeiro-ministro António Costa atualizou o número de vítimas mortais para 24. Ao raiar do dia, o número quase duplicou: há já 43 mortes declaradas oficialmente.

- Publicidade -

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, já está no local. Perto da uma da manhã abraçou emocionado os responsáveis da Proteção Civil e deu “uma palavra de conforto e apoio a todos aqueles que estão a fazer o melhor que podem fazer, fizeram e vão fazer” para combater este incêndio de enormes proporções.

- Publicidade -

Valdemar Alves, presidente da Câmara de Pedrógão Grande, tinha referido, ao final da tarde, haver aldeias “em muito perigo”, criticando a falta de bombeiros no combate às chamas, que lavravam desde as 14h00. “Estamos a tentar evacuar aldeias completamente cercadas”, sublinhou à Lusa.

O incêndio que teve início por volta das 20 horas no concelho fronteiriço de Ferreira do Zêzere continuou ativo até às 4h da manhã, envolvendo 126 bombeiros e 32 viaturas, com frentes fora de controlo. Está dado como controlado (ver reportagem de Elsa Ribeiro Gonçalves no local).

Em São Miguel do Rio Torto, Abrantes, o incêndio que deflagrou às 18:02 numa zona de mato ainda envolvia, às 23 horas, 113 bombeiros, 32 viaturas e um avião de combate a incêndios mas, perto das duas da manhã, estava já considerado em fase de resolução.

Com Lusa

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome