Hora do Planeta assinala-se este sábado em casa e em formato digital

Todos os anos a organização convidava municípios e instituições a integrar a iniciativa,mas dada a atual situação de pandemia por Covid-19, o evento virou o foco para a solidariedade para com os doentes e vítimas deste novo vírus. A organização da Hora do Planeta apela a que, cada um, a partir de suas casas, manifeste solidariedade desligando as luzes ou reduzindo-as entre as 20h30 e as 21h30 deste sábado, dia 28 de março.

PUB

O apelo da Hora do Planeta é que no dia 28 de março, sábado, desliguem ou reduzam as luzes, entre as 20:30 e as 21:30, e usem esta hora para se envolver nos múltiplos eventos a acontecer online.

“Estamos profundamente tristes com a perda de vidas com o surto de covid-19 e os nossos pensamentos estão com as famílias que perderam entes queridos ou que estão doentes. Nesta hora de crise, temos de nos unir mais do que nunca para salvaguardar o nosso futuro e o futuro do nosso planeta. É um momento de solidariedade e é por isso que a Hora do Planeta vai ser marcada por eventos digitais em todo o mundo”, disse Marco Lambertini, diretor geral da World Wide Fund For Nature (WWF).

PUB

Em Portugal, a Associação Natureza Portugal (ANP) cancelou o evento presencial que iria organizar em Gaia, convertendo-o num momento digital. Assim, Portugal participará na Hora do Planeta 2020 convidando os seus embaixadores Mónica e Rubim, Chef Fábio, Miguel Martins (aka EDIS ONE), entre outros, a participar numa hora com partilha de receitas, músicas, receitas ao vivo e experiências sustentáveis, numa transmissão em direto a partir das 20:00 na página de Facebook da associação.

Paralelamente, a ANP-WWF convida todos os portugueses a partilharem os seus conhecimentos com outros, criando os seus próprios momentos digitais, que a associação se compromete a divulgar no ‘site’ horadoplaneta.pt e nas suas redes sociais.

Apesar das condicionantes da edição deste ano, a diretora executiva da ANP|WWF, Ângela Morgado, sublinha a importância de manter ativa a luta ambientalista que dá forma a este movimento.

“A natureza é a tábua de salvação para 7,6 bilhões de pessoas. Atualmente, estamos a destruir os sistemas naturais em que confiamos para garantir a nossa saúde e bem-estar mais rápido do que eles se conseguem restabelecer, comprometendo a nossa própria sobrevivência e existência. Por isso, a Hora do Planeta 2020 oferece uma oportunidade fundamental de unir milhões de pessoas e levantar a sua voz para garantir um compromisso internacional de parar e reverter a perda da natureza”, reforçou.

Tendo começado como um evento simbólico de luzes apagadas, em 2007, a Hora do Planeta cresceu e tornou-se um verdadeiro movimento de massas. Sempre que seja seguro fazê-lo, a iniciativa mantém o seu pedido para que monumentos e edifícios por todo o país apaguem as suas luzes durante uma hora, a partir das 20:30.

Em Portugal são mais de 110 os municípios aderentes. Os principais monumentos de Lisboa, como o Santuário do Cristo Rei ou a Ponte 25 de Abril, o mosteiro da Serra do Pilar, em Vila Nova de Gaia, o Aqueduto da Amoreira, em Elvas, o Castelo de Bragança, o Mosteiro de Arouca, a Praça da República, em Ovar, já confirmaram que vão aderir ao apagão simbólico.

PUB

Na região do Médio Tejo assinaram a declaração de envolvimento os concelhos de Abrantes, Constância, Entroncamento, Ourém, Tomar e Vila de Rei.

Em Abrantes está previsto desligar a iluminação do Castelo de Abrantes e Praça D. Francisco de Almeida, mediante a declaração de envolvimento na iniciativa.

Já no concelho de Vila de Rei, as luzes do Centro Geodésico irão ser apagadas simbolicamente durante uma hora.

Em Constância o município comprometeu-se desligar as luzes durante a Hora do Planeta no Largo da Igreja Matriz, em Constância, e no Açude de Santa Margarida da Coutada.

O município do Entroncamento propôs-se apagar as luzes dos Paços do Concelho, Largo José Duarte Coelho, Praça Salgueiro Maia, Praça da República, Jardim do Centro de Convívio, Edifício da Junta de Freguesia São João Batista e Edifício da Junta de Freguesia de Nossa Sra. Fátima.

Em Ourém, o município propôs-se desligar as luzes no Edifício dos Paços do concelho, Museu Municipal de Ourém, Posto de Turismo em Fátima e Jardim le Pressis-Trévise.

O Município de Tomar opta por não apagar luzes dos edifícios municipais “atendendo às atuais circunstâncias que o planeta está a passar em virtude do surto de COVID-19”.

Nos arredores, o município da Chamusca vai envolver-se na Hora do Planeta, tendo-se comprometido a desligar as luzes da Câmara Municipal, Biblioteca Municipal Ruy Gomes da Silva, o Mirante, Ermida de Nossa Senhora do Pranto e Ermida do Senhor do Bonfim.

 

c/ Lusa

PUB

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here