Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Agosto 1, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Hóquei em Patins | Entroncamento entra a todo o vapor mas Benfica B mostrou porque é líder

UNIÃO FUTEBOL ENTRONCAMENTO 2 – SPORT LISBOA E BENFICA B 6
Campeonato Nacional da 3ªDivisão de Hóquei em Patins-Zona C
Pavilhão José Albano Mateus no Entroncamento
19-06-2021

- Publicidade -

O Pavilhão Albano Mateus ganhou outro brilho com a presença de público. Dos cem lugares autorizados pela Direção Geral de Saúde cerca de metade foram ocupados por entusiastas do hóquei patinado. De Lisboa viajou uma pequena comitiva de apoiantes benfiquistas, maioritariamente familiares dos atletas.

Pavilhão José Albano Mateus registou o regresso do público.

- Publicidade -

No rinque estavam as equipas no topo da classificação e com ambições de subida. Os encarnados, líderes, com apenas uma derrota e treze vitórias, eram claramente favoritos apesar do brilhante campeonato realizado pela equipa do Entroncamento, com onze vitórias, oito delas consecutivas nestas últimas jornadas. A equipa da casa ocupava o segundo posto e havia perdido no Pavilhão do Benfica por 5-3, na primeira volta.

Entrada fortíssima do Entroncamento criou muitos problemas aos lisboetas.

A equipa de Lisboa entrou algo nervosa, consciente das dificuldades e com apenas 20 segundos Tiago Sanchez com uma entrada dura viu o cartão azul, levando José Pedro para a marca do livre direto.

Não concretizou, e o Benfica ficou momentaneamente em inferioridade numérica.

Benfica venceu na primeira volta por dois golos.

Depois de André Martins não ter encontrado o alvo foi João Maia, numa insistência, a abrir o marcador no segundo minuto de jogo para a equipa do União Futebol Entroncamento.

Já com a equipa visitante em igualdade numérica, numa rápida transição, o Entroncamento finalizou bem através de José Pedro e aumentou a vantagem para dois golos, pondo em sentido a equipa do Benfica.

Dois golos de rajada colocaram o União na liderança.

Num ápice, a equipa comandada por Hugo Lourenço ficava a perder por dois golos na casa duma equipa valorosa que prometia continuar na senda das vitórias. O técnico das “águias” imediatamente pediu um “time out”, parando o jogo e procedendo a alguns ajustes.

Assistiu-se então a uma partida equilibrada, com repartição da posse de bola e oportunidades de golo. Só que os visitantes, com muitas soluções no plantel, tiveram três minutos “à Benfica”.

A perder os visitantes, com três minutos “à Benfica” inverteram o resultado.

Aos dez minutos, após uma enorme defesa de João Governo a forte remate de Tiago Sanches, o árbitro Paulo Silva descortinou uma falta na área passível de castigo máximo.

Rui Ramos permitiu a defesa do guarda redes da casa e a recarga embateu no ferro. No contra golpe João Maia esteve perto de marcar.

No lance seguinte, após defesa incompleta de João Governo, José Miranda reduziu para os encarnados. No recomeço, um forte remate de meia distância de João Silva recolocou o empate no marcador.

Oposição de João Governo não impediu o empate.

A jovem equipa do Benfica, nesta fase do jogo, parecia um verdadeiro turbilhão, atacado em vagas num carrossel difícil de parar.

Percebendo isso mesmo, o técnico da equipa da casa, temendo mal maior, pediu uma pausa técnica, resfriando o jogo.

Apesar das boas intenções, quem não desacelerou foram os visitantes e no recomeço Bernardo Ramalho colocou a sua equipa no comando do marcador, operando a remontada.

Benfica passou para a frente aos 13 minutos.

O Sport Lisboa e Benfica entre os onze e os treze minutos marcou três golos e assumiu a liderança no marcador obrigando a equipa da União a correr atrás do prejuízo.

Apenas foi necessário esperar três minutos para as malhas da baliza de João Governo voltarem a balançar. Depois do guarda redes da casa ter parado o remate de Tiago Sanches, o Entroncamento contra atacou e Rui Alves obrigou Rodrigo Vieira a aplicar-se.

Numa transição muito rápida dos benfiquistas, José Miranda bisou na partida e dilatou a vantagem para dois golos.

Transições rápidas foram difíceis de travar.

Tiago Sanches ainda viu o segundo cartão azul antes do descanso. Brazete permitiu a defesa e a recarga não levou o melhor destino.

Apesar das boas iniciativas dos atletas da equipa da casa o marcador manteve-se inamovível e quando as equipas recolheram para o descanso o resultado ajustava-se à excelente reação dos encarnados a um começo demolidor do Entroncamento.

Entroncamento entrou melhor mas o Benfica justificava a vantagem ao intervalo.

No recomeço percebeu-se que os visitantes não iam permitir veleidades ao adversário e uma entrada a todo o gás permitiu que José Miranda fizesse o “hat trick” aumentando a vantagem dos encarnados.

José Maia viu o cartão azul e Miranda, da marca do livre direto, com um trabalho de elevada qualidade, tirou Governo do lance para marcar o quinto da sua equipa no quarto minuto do complemento.

Paulatinamente o Benfica foi ampliando o resultado.

Assistiu-se a uma boa reação da equipa da casa e por largos minutos pertenceram-lhe as melhores iniciativas atacantes. André Martins, Mário Azevedo e Duarte Ferreira viram os seus remates devolvidos pelo guarda redes dos encarnados, Rodrigo Vieira.

Não marcaram os da casa marcou o Benfica. Em contra ciclo, Rui Ramos marcou aos 12 minutos da segunda parte e estabeleceu o resultado em 2-6.

Vitória certa por números excessivos.

O treinador da União pediu a segunda pausa técnica, tentando inverter o rumo dos acontecimentos mas era demasiado tarde.

O Benfica poderia ter ampliado a vantagem quando aos 22 minutos o Entroncamento fez a décima falta e José Miranda tentou o “póker” da marca do livre direto. João Governo defendeu.

Já no minuto final Pedro Brazete viu o cartão azul e Joaquin Fernandez permitiu a defesa a Ricardo Rosa, entrado para defender o livre direto.

Juiz Paulo Silva, apesar dos quatro cartões azuis, esteve em bom plano.

Pouco depois o juiz de Leiria, Paulo Silva, deu o jogo por terminado. O Benfica mostrou as credenciais que fazem dele o líder e candidato à subida perante um valoroso Entroncamento que caiu um lugar na tabela por troca com o Turquel B com mais três pontos e um jogo a mais.

O próximo jogo, em casa do Paço de Arcos B, outro candidato aos lugares cimeiros mas impedido de subir porquanto a equipa A milita no 2º escalão, poderá recolocar a equipa da União Futebol Entroncamento no 2º lugar e na discussão da subida. Boa arbitragem de Paulo Silva, da Associação de Patinagem de Leiria.

Ficha do jogo:

UNIÃO FUTEBOL ENTRONCAMENTO:
João Governo, André Martins, José Pedro, João Maia e Duarte Ferreira.
Suplentes: Ricardo Rosa, Rui Alves, Pedro Brazete, Mário Azevedo e Valério Silva.
Treinador: Bruno Pereira.

União Futebol Entroncamento.

SPORT LISBOA E BENFICA B:
Ricardo Vieira, José Miranda, Tiago Sanches, Rui Ramos e Bernardo Ramalho.
Suplentes: João Seixas, Diogo Rodrigues, Joaquin Fernandez, Carlos Oliveira e João Silva.
Treinador: Hugo Lourenço.

Sport Lisboa e Benfica B.

GOLOS:
João Maia e José Pedro (Entroncamento); José Miranda [3], Bernardo Ramalho, João Silva, e Rui Ramos (Benfica).

ÁRBITRO: Paulo Silva (AP Leiria)

Árbitro Paulo Silva da Associação de Patinagem de Leiria.

No final fomos ouvir ambos os treinadores:
BRUNO PEREIRA (Entroncamento)

Bruno Pereira-Treinador do União Futebol Entroncamento.

HUGO LOURENÇO (Benfica)

Hugo Lourenço, treinador do Sport Lisboa e Benfica.

*Com David Belém Pereira (multimédia).

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome