Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quarta-feira, Agosto 4, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

“Há um microclima cultural no Sardoal com 500 anos de história” – Miguel Borges

As Festas do Concelho de Sardoal estão aí, decorrem entre os dias 22 e 25 de setembro, e Miguel Borges, presidente do Município sardoalense destaca ao mediotejo.net o sentimento que se  vive e sente no concelho nesta época do ano: “o grande envolvimento de  toda a nossa comunidade, de todos os sardoalenses, das associações,  todos se envolvem e sentem as festas como sendo deles”.

- Publicidade -

Numas Festas com os mesmos moldes dos anos anteriores, o presidente da Câmara Municipal de Sardoal salienta a importância deste momento anual para a comunidade, dizendo que “é o sentimento de união e de pertença mas, ao mesmo tempo, um momento de encontro e de reencontro em que os sardoalenses que estão fora regressam à sua vila e encontram amigos e  familiares, é um momento alto na nossa vida. O nosso lema é: no Sardoal, ninguém é de fora”.

As comemorações dos 485 anos de elevação a Vila vão contar, este ano, com a presença do Secretário de Estado da Cultura, Miguel Honrado que, mesmo antes de ocupar esta posição no atual Governo, já tinha sido convidado para estar presente no feriado municipal de Sardoal.

- Publicidade -

“Já trabalhámos com o Secretário de Estado da Cultura antes de o ser porque foi ele que iniciou este projeto da Rede Eunice do Teatro Nacional D. Maria II. No dia da apresentação deste projeto, que foi no dia anterior à sua tomada de posse, eu fui o primeiro presidente de Câmara a convidar um secretário de Estado a vir a umas festa do  concelho ainda antes de o ser”, descreve Miguel Borges.

Festas de qualidade mas com contenção orçamental

Sobre o programa das Festas, Miguel Borges defende que “tem qualidade mas com contenção orçamental” e salienta que “quem vier ao Sardoal se vai sentir muito bem, vai gostar daquilo que temos para mostrar, as pessoas vão ter qualidade na gastronomia, nas exposições e nos artistas. Não é preciso termos artistas com um grande nome, associado a grandes cachês para que possamos ter qualidade: Custódio Castelo é um dos mais brilhantes guitarristas que Portugal alguma vez teve, arrisco-me a dizer que depois de Carlos Paredes não conheço outro com a dimensão e qualidade de Custódio Castelo que vai estar entre nós no  dia do feriado municipal”.

O folclore tradicional, o festival hípico e a participação das associações nas Festas do Concelho são outros momentos que o presidente da autarquia sardoalense destaca, a par com a exposição  “Frágil Colmeia”, que vai estar dividida por cinco espaços: o Centro  Cultural Gil Vicente, como ponto de partida e de apresentação dos  artistas plásticos, e depois as diferentes instalações que vão fazer  em quatro capelas da Vila, “para que as pessoas percebam que estes  espaços podem ter uma outra dinâmica ao longo do ano”, refere o autarca.

“A nossa estratégia passa muito por uma boa dinâmica cultural que achamos que pode ser diferenciadora”, recorda Miguel Borges, remetendo para o Encontro Internacional de Piano que se realizou no Sardoal no início de setembro. Aliás, a este propósito, o autarca refere que já está a ser preparada a edição do próximo ano, com a vontade dos japoneses e do professor Aquiles Delle Vigne que também quer voltar a  estar presente neste encontro.

“Sardoal está na rota, não só dos acontecimentos locais promovidos pelas associações concelhias e da região, mas também passamos a estar na rota dos grandes acontecimentos nacionais em termos culturais”, afirma Miguel Borges remetendo para o teatro e Festival de Jazz.

“Há um microclima cultural no Sardoal com 500 anos de história comprovada, desde a referência que Gil Vicente faz ao Sardoal, os próprios quadros do Mestre de Sardoal, desde todo este património arquitetónico com toda a beleza artística que temos, e nós só estamos a potenciar e a transformar o conjunto de recursos que temos num produto  que seja cultural mas ao mesmo tempo turístico e que seja criador de  riqueza, de postos de trabalho e dinamizador da economia local”,  conclui o autarca.

PROGRAMAÇÃO DAS FESTAS SARDOAL 2016

Os Diabo na Cruz, banda formada por Jorge Cruz que mistura o rock n’ roll e a música tradicional portuguesa num formato muito singular, são os cabeças-de-cartaz das festas do Sardoal que decorrem entre os dias 22 e 25 de setembro. Os festejos de quatro dias incluem concertos diários com Custódio Castelo & Rão Kyao no dia 22, Hotplay – tributo a Coldplay no dia 23, Diabo na Cruz no dia 24, e a fadista Joana Cota no dia 25).

A festa continua este ano com o 9º Encontro de Filarmónicas, a Mostra de Saberes e Sabores, o projeto artístico “Frágil Colmeia” e o XIV Festival Hípico de Sardoal.

O projeto artístico “Frágil Colmeia” une as artes plásticas à religião através das instalações artísticas de Engrácia Cardoso, Délia de Carvalho, Sara Ivone e Fátima Teles em quatro capelas da vila. Os trabalhos resultantes das abordagens de cada artista abrangem as áreas da pintura, desenho, escultura e som e podem ser conhecidos durante as festas.

No último dia, domingo, realiza-se o XIV Festival Hípico de Sardoal nos terrenos do Freião (junto ao Eucalipto Grosso) com participantes prestigiados. As provas de obstáculos nas categorias de Escolas, Pequena, Média e Grande decorrem entre as 10h00 e as 16h30 e partir das 10h30 está previsto Volteio e Iniciação aos andamentos a cavalo para crianças com um monitor habilitado.

Entrou no mundo do jornalismo há cerca de 13 anos pelo gosto de informar o público sobre o que acontece e dar a conhecer histórias e projetos interessantes. Acredita numa sociedade informada e com valores. Tem 35 anos, já plantou uma árvore e tem três filhos. Só lhe falta escrever um livro.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome