Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quinta-feira, Maio 13, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Grupo ‘Fatias de Cá’ passa a servir brunchs e a levar teatro à Brogueira aos domingos de manhã

O grupo de teatro tomarense Fatias de Cá vai retomar as suas missões dominicais depois de pausa forçada devido à pandemia de covid-19. Para restabelecer o apetite cultural, o grupo passa a servir a partir do dia 25 de abril, domingo, saborosas peças teatrais ao vivo e a cores e com direito a brunch que inclui iguarias típicas. Tal pretende reajustar-se ao plano de desconfinamento, adequando o horário das primeiras sessões, que passarão a acontecer às 11h11 na Destilaria da Brogueira, em Torres Novas. O grupo retoma atividade com “Os Relvas”, dia 25 de abril, e com “A Missão”, dia 2 de maio.

- Publicidade -

Uma adaptação a partir do romance Barranco de Cegos, de Alves Redol, a peça centra-se na vida d’ Os Relvas, senhores de vastas propriedades de lavoura e de vastas gentes no Ribatejo, com as suas quezílias familiares, romances proibidos e intrigas contra a indústria, são apanhados no remoinho trágico que desembocará no regicídio e na implantação da República Portuguesa.

“Ouvi chamar a Diogo Relvas santo homem com unção e humildade; mas ouvi também minha avó de lágrimas nos olhos e ódio na boca, amaldiçoá-lo por mais de uma vez, como se dum tirano falasse.” – Alves Redol

- Publicidade -

A peça estará em cena a 25 de abril, pelas 11h11, esperando-se retomar o anterior horário das 16h16 com datas previstas a 9 e 23 de maior e 6 e 20 de junho.

Foto: Fatias de Cá

A segunda proposta do Fatias de Cá é “A Missão, uma adaptação do romance de Ferreira de Castro, que retrata uma aldeia francesa, em plena Segunda Guerra Mundial, e onde uma das freiras de um convento ali existente discorda que se pinte a palavra “missão” no telhado, o que o salvaguardaria dos bombardeamentos dos aviões, mas que equivaleria a denunciar um edifício semelhante transformado em fábrica. Esta posição desencadeia um aceso debate no seio das freiras sobre a decisão mais correta: pintar ou não pintar a palavra “missão” no telhado?

Esta peça estará disponível a 2 de maio, pelas 11h11, estando ainda previstas as datas de 16 e 30 de maio, bem como 13 e 27 de junho, mas aqui com intuito de retomar o anterior horário, as 16h16.

Foto: Fatias de Cá

A entrada tem um custo de 22,22 euros, e inclui sempre merenda, ou tipicamente ribatejana ou conventual, mediante a peça de teatro em causa.

Para reservas de bilhete deve contactar-se 960 303 991 ou enviar email para reservas@fatiasdeca.net

O local, continua a ser a Destilaria da Brogueira, em Torres Novas, uma vez que estas iniciativas contam com apoio e parceria do município torrejano.

Recorde-se que o espaço que acolhe estas matinés teatrais de domingo é uma antiga destilaria, onde o figo preto da região, depois de seco, era transformado em álcool. Situa-se na aldeia de Brogueira, concelho de Torres Novas, tendo as suas instalações sido adaptadas às deambulações teatrais, tornando-o num sítio acolhedor e de uma beleza bastante caraterística.

O espólio da companhia teatral enche as suas salas, e as pinturas de Sam Abercromby e sua visão do mundo enchem algumas das paredes por onde passam os espetadores. Possui uma localização privilegiada a apenas 10 minutos do nó da A1 com a A23 na zona de Zibreira, mas para que não restem dificuldades, basta seguir as coordenadas 39.44276, -8.56891

Sobre o Fatias de Cá:

Um grupo de teatro profissional e amador criado em 1979, cujo lema é “Não resistir a uma ideia nova nem a um vinho velho”. Enquanto Companhia de Teatro enquadra cerca de 150 membros nivelados (entre profissionais e amadores) que desenvolvem ou uma atividade permanente, regular ou pontual. O grupo celebrizou-se por atuar em cenários como o Convento de Cristo, o Castelo de Almourol, o Mosteiro de Santa Clara a Velha, entre outros.

A designação “Fatias de Cá” inspira-se no nome do doce conventual Fatias de Tomar, cuja receita pode ser considerada uma metáfora do ato teatral: batem-se as gemas dos ovos demoradamente até obterem um aspeto cremoso e uniforme e vão a cozer em banho-maria numa panela especial até ficarem com a consistência do pão. Fatia-se e frita-se em calda de açúcar.

Para acompanhar a atividade do grupo pode aceder à página de Facebook em https://www.facebook.com/FatiasdeCa/

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres: o conhecimento e o saber, a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

COMENTÁRIOS

Please enter your comment!
O seu nome