Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Quarta-feira, Agosto 4, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Governo quer reforçar relação com Espanha para combater poluição do Tejo

O secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins, defendeu hoje um reforço nas relações entre Portugal e Espanha para resolver os problemas do rio Tejo e um aumento da fiscalização das descargas ilegais por parte das empresas.

- Publicidade -

“Muitos dos nossos planos para as bacias hidrográficas são partilhados e devem ser articulados com Espanha. Neste momento estamos à espera que se forme um governo [em Espanha] para que a frequência das nossas relações sejam ainda maiores”, afirmou.

O governante, que falava na sessão de abertura do 2.º Fórum Ibérico do Tejo, que decorre este fim de semana em Vila Franca de Xira, referiu que todos os acordos que forem estabelecidos com Espanha deverão ser “para cumprir”.

- Publicidade -

Na sua intervenção, Carlos Martins falou também das situações de poluição que se verificam nalguns troços do rio, nomeadamente na zona do Médio Tejo, cuja responsabilidade se atribui a algumas empresas da região.

“Infelizmente ainda temos alguns atores que quando sentem que a fiscalização abranda têm a tendência para que as coisas corram menos bem. Por esse motivo o Governo criou uma comissão de acompanhamento para criar um plano de ação”, explicou.

Nesse sentido, Carlos Martins referiu que espera ter até junho um relatório que permita criar um plano de ação para combater a poluição no Tejo, ressalvando, contudo, que já se encontram em curso processos que podem levar ao encerramento de duas unidades fabris.

“Não temos o prazer de encerrar empresas e estamos sensibilizados para as possíveis consequências sociais e económicas. No entanto, o prejuízo ambiental seria muito maior”, justificou.

O governante referiu ainda que o Governo está a concluir “importantes instrumentos de planeamento de recursos hídricos”, que espera enviar para a União Europeia até julho.

Antes disso, a tutela espera ter um plano de gestão das bacias hidrográficas e para as áreas em risco de inundação (junho) e ainda aprovar o Plano Nacional da Água (22 março).

Vila Franca de Xira quer Tejo navegável da Póvoa ao Carregado

O presidente da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, Alberto Mesquita (PS) instou hoje o Governo a colocar na agenda política os problemas da poluição no Tejo e a criação de condições para a sua navegabilidade.

“A poluição do Tejo é prejudicial para a pesca, para o turismo e para a agricultura. Quero aproveitar a presença do senhor secretário de Estado para lhe dizer que é preciso inspecionar e punir as infrações”, afirmou o autarca.

Alberto Mesquita, que falava na abertura do 2.º Fórum Ibérico do Tejo, que se realiza este fim de semana em Vila Franca de Xira, defendeu a necessidade de estabelecer regras e responsabilidades das atividades industriais.

“Esperámos, sinceramente, que este problema esteja na agenda política”, apontou.

Na sua intervenção, o autarca de Vila Franca de Xira referiu, ainda, que o município ribatejano ambiciona tornar o rio Tejo navegável, defendendo a necessidade das autoridades procederem ao seu assoreamento (limpeza).

“A ambição é de ter um Tejo navegável da Póvoa de Santa Iria à Vala do Carregado. O desenvolvimento fluvial e de mercadorias. Queremos uma alternativa ao transporte rodoviário”, afirmou.

O 2.º Fórum Ibérico do Tejo e decorre no Pavilhão Multiusos de Vila Franca de Xira e reúne um conjunto de painéis com especialistas portugueses e espanhóis.

Agência de Notícias de Portugal

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome