Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Segunda-feira, Setembro 27, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Governo | Manuel Afonso e Mara Lagriminha são os novos deputados por Santarém

Com as nomeações de Maria Céu Albuquerque para Ministra da Agricultura e de Alexandra Leitão para Ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, os socialistas Manuel Afonso e Mara Lagriminha assumem o cargo de deputados em representação do distrito de Santarém, juntando-se a António Gameiro e a Hugo Costa.

- Publicidade -

Alexandra Leitão e Maria do Céu Albuquerque concorreram pelo PS nas eleições legislativas em 1º e no 3º lugar pelo círculo eleitoral de Santarém, tendo o Partido Socialista eleito quatro deputados. Com a chamada das duas eleitas ao Governo de António Costa, sobem os eleitos em 5º e 6º lugar, precisamente Manuel Afonso, ex-vereador na Câmara de Santarém, e Mara Lagriminha, de Coruche, presidente do Departamento Federativo das Mulheres Socialistas.

As nomeações governamentais e a ascensão dos dois eleitos ao cargo de deputados para integrarem o XXII Governo Constitucional já mereceu a reação de satisfação por parte da Federação Distrital de Santarém do Partido Socialista, que “saudou” as escolhas de António Costa para o novo Governo da República, Alexandra Leitão para Ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública e Maria do Céu Albuquerque para a Agricultura.

- Publicidade -

“Estas escolham representam uma enorme honra e responsabilidade para o distrito de Santarém, a ambas o desejo de muito sucesso a bem de Portugal e do Ribatejo”, refere a estrutura partidária, que saúda ainda os novos deputados, Manuel Afonso e Mara Lagriminha que, “com as escolhas do Primeiro Ministro assumem deste já os cargos juntando-se a António Gameiro e Hugo Costa na primeira linha do debate político na defesa dos superiores interesses da região e no cumprimento da agenda política apresentada nas ultimas eleições legislativas”.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome