Quarta-feira, Janeiro 26, 2022

Golegã | Feira do Cavalo exibe raça Lusitana

O LVIII Concurso Nacional de Apresentação do Cavalo de Sela FNC e XIX Concurso Nacional de Apresentação do Cavalo de Sela da Feira Internacional do Cavalo Lusitano foram o ponto alto do evento nesta quarta-feira, dia 9 de novembro. Centenas de amantes do mundo equestre, sobretudo criadores, puderam apreciar os mais recentes exemplares das raças, sobretudo Lusitana, que se exibiram no Arneiro da Feira.

- Publicidade -

Depois de apreciados os 55 exemplares que foram a concurso, o júri atribuiu o 1º lugar e respectivo Ouro a “Jogador” (Lusitanos de 3 anos), do criador Fernando Conceição Silveira Leal e propriedade de Manuel Joaquim Costa Rodrigues, “Incrível” (Lusitanos de 4 anos) da Coudelaria Torres Vaz Freira e propriedade de Sociedade Agrícola Vila Formosa, e “Homero” (Lusitanos 5 anos ou mais) do criador Dr. José Correia Leite e propriedade de Yeguada Las Fuentes Cilhas.

Nas raças selectas, a única medalha de ouro foi atribuída ao poldro “Jamal-F” (Português Desporto 3 anos) do criador Casa Agrícola Vítor Frias e propriedade de Flora Energética Lda.

- Publicidade -

Os campeões de raça da edição deste ano serão conhecidos no sábado, 11 de novembro, dia de São Martinho.

Livro “O Cavalo Lusitano,Tradição Cultura e Património Equestre” apresentado na Feira

- Publicidade -

Ainda na quarta-feira foi apresentado o livro “O Cavalo Lusitano, Tradição Cultura e Património Equestre”, da autoria de Bruno Caseirão, docente e investigador universitário, juiz de ensino e formador na Federação Equestre Portuguesa.

A obra, com prefácio de Guilherme d’Oliveira Martins, aborda a evolução da relação entre o cavalo lusitano e a equitação. É composto por duas partes, a primeira por entrevistas a diversas figuras marcantes no desenvolvimento do cavalo lusitano e a segunda é constituída por dois textos sobre a nova realidade do cavalo lusitano provocada pela crise deste início de século.

Livro de Bruno Caseirão apresentado durante a Feira do Cavalo Foto: Aurélio Grilo

“Pretende-se deixar o testemunho daqueles que privaram mais perto com o cavalo lusitano”, disse o autor na cerimónia que decorreu na sede da ANTE – Associação Nacional de Turismo Equestre.

Já o presidente da Federação Equestre Portuguesa, Luís Cidade de Moura explicou que o livro é o repositório da história do cavalo, hoje conhecido como lusitano, fazendo a ligação à modernidade do cavalo lusitano.

“Estamos a beneficiar de um esforço de séculos. Todos os protagonistas dos últimos anos estão referenciados no livro, desde os criadores aos proprietários, passando pelos treinadores e cavaleiros, até aos cavalos”, explicou. Concluiu deixando uma mensagem de agradecimento a todos os que têm desenvolvido o cavalo lusitano.

Veiga Maltez, presidente da Câmara Municipal da Golegã e da ANTE, afirmou que a educação do cavalo lusitano evoluiu muito. “Tivemos sucesso e é bom que as gerações vindouras saibam o que se passou.

É um cavalo polifacetado e polivalente. Está vivo, bem vivo e recomenda-se! E isso está patente neste livro”.

Jornalista profissional há mais de 30 anos, passou por vários jornais diários nacionais, nomeadamente pelo 'Diário de Lisboa', 'Diário de Notícias' e 'A Capital'. Apaixonada pela profissão desde a adolescência, abraçou o jornalismo nas suas diversas áreas, desde o Desporto às Artes e Espetáculos, passando pela Política e pelos temas Internacionais. O jornalismo de proximidade surge agora no seu percurso.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome