PUB

GNR intensificou patrulhamento de explorações agrícolas no distrito de Santarém

Entre 1 de junho e 31 de dezembro, o Comando Territorial de Santarém da GNR intensificou o patrulhamento nas explorações agrícolas da sua área de responsabilidade do distrito de Santarém. O objetivo foi prevenir a criminalidade em geral e os furtos em particular, bem como possíveis situações de tráfico de seres humanos.

PUB

Segundo nota de imprensa da GNR, o Comando Territorial de Santarém realizou 165 ações de informação e sensibilização a 620 pessoas, junto das comunidades rurais, muito especialmente dos agricultores, sobre medidas de prevenção e proteção contra furtos, em particular contra o furto de cortiça, ou outros produtos agrícolas, cobre e outros metais não-preciosos.

Foram realizadas 1.197 ações de patrulhamento e fiscalização, tendo sido registados quatro crimes e três contraordenações, culminando na detenção de cinco pessoas e na identificação de outras nove.

PUB

Ao longo do segundo semestre do ano foram ainda apreendidos e recuperados: 2.159 quilos de pinhas; 470 quilos de cortiça; uma arma de caça; 21 cartuchos; quatro escadas.

A GNR desencadeou ainda 762 ações de sensibilização dirigidas a 1.791 utilizadores de tratores e máquinas agrícolas, com o objetivo de os aconselhar para o cumprimento das regras de segurança. Em 2020, o Comando Territorial de Santarém registou 32 acidentes envolvendo veículos agrícolas, menos oito acidentes que o ano transato.

Informa-se que, com as recentes alterações ao código da estrada, passa a ser obrigatório circular com arco de segurança, conhecido por “Arco de Santo António”, erguido e em posição de serviço (esta obrigatoriedade aplica-se aos tratores homologados com esta estrutura), bem como a utilização do cinto e demais dispositivos de segurança com que os veículos estejam equipados. Além disso, os tratores e máquinas agrícolas ou florestais e as máquinas industriais são obrigados a possuir avisadores luminosos especiais (rotativo de cor amarela).

PUB
PUB
Cláudia Gameiro
Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).