“Glândulas mamárias, fungos e pedras”, por Armando Fernandes

Foto: Pixabay

Só  esgodamos a quarentena se lhe aplicarmos a técnica das calistas, não dos calistos porque esses Camilo que merece leituras a fio os retratou nos seus livros, as calistas limam suavemente os calos e, porque não querem perder o cliente enquanto esgodam as protuberâncias, advertem para tal, como aconteceu a Tântalo, os calos voltam sempre, sempre a crescer.

PUB

PUB

A quarentena para já vai manter-se até ao início de Maio, no entanto, segundo a elegante mãe de sete filhos, refiro-me à Presidente da Comissão Europeia, os maiores de sessenta anos devem permanecer no casulo doméstico até, pelo menos, ao fim do ano.

Por outro lado os especialistas avisam: as mulheres e homens devem evitar umbigadelas (tic-tac sexuais) preconizando culto a Onan filho de Judá, seguramente o inventor da célebre punheta de bacalhau. E, neste pormenor, uma pivía de bacalhau sem ter sido temperada com pequenas pedras não ganha gosto, é uma coisa como um pãozinho sem sal. Ora, o sal é pedra, não por acaso a torto e a direito na clausura imposta pelo vírus pedimos que ponham no peixe a grelhar umas pedras de sal.

PUB

Ao colocar no título as palavras glândulas mamárias não foi com a intenção de o leitor pensasse no aliciante explícito de corresponder ao advogado pelos tais especialistas trazendo à colação Onan, sim, pura e simplesmente em queijo, nos queijos do nosso contentamento palatal: Azeitão, Alcains, picante de Castelo Branco, azeitados de Évora, Nisa, Pico, São Miguel, Serra, Serpa, Rabaçal, Tolosa, seco de Tomar, sem esquecer o Limiano e correlativos. Dispenso-me de salientar os queijos franceses e italianos não só porque os nossos queijos são de alta qualidade.

No tocante à palavra fungos significa cogumelos. Tem chovido bem neste mês de Abril de águas mil, porém o estarmos a aprender o regime de vida (muito facilitado) dos alunos dos mosteiros budistas especialistas na lavagem e preparação de arroz destinado às suas refeições, restringe o acesso aos bosques e matas onde se apanham cogumelos seivosos de minerais e demais suculências. O remédio é comprá-los enlatados.

Os leitores tendo ao seu dispor as glândulas, natas, manteiga, fungos e pedras pensem no seu emprego em comeres a quebrarem a monotonia da imperiosa quarentena. Não gaste o tempo a cismar no futuro. Faça o favor de rir, rir da matéria rindo do espírito da farândula televisiva!

PUB
APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser), através do IBAN PT50001800034049703402024 (conta da Médio Tejo Edições) ou usar o MB Way, com o telefone 962 393 324.

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here