- Publicidade -
Sexta-feira, Dezembro 3, 2021
- Publicidade -

“Gente que cuida da gente”, por Helena Jorge

Hoje, no dia que escrevo esta crónica, é o Dia Internacional do Enfermeiro. Um dia para relembrar o papel fulcral destes profissionais na prevenção da doença, na promoção da saúde, e no cuidar em todas as etapas de vida do ser humano. Remonta ao final do século XIX ,  Florence  Nightingale, a fundadora da Enfermagem moderna, todas as inovações trazidas por ela à enfermagem, resultaram na diminuição de mortes de 42,2% para 2,2%. Em 1883, foi condecorada com a da Cruz Vermelha Real em 1883.

- Publicidade -

A Organização Mundial de Saúde decidiu que 2020 seria o Ano Internacional do Enfermeiro. Têm como objectivo trazer para a agenda dos governantes do mundo inteiro uma problemática que, apesar dos alertas sistemáticos e contínuos, tem sido relegada para um plano secundário: a extrema carência de enfermeiros e enfermeiros especialistas em todos os países e o seu impacto no acesso a cuidados de saúde pelas populações.

Os países, incluindo Portugal, subscrevem as orientações, mas continuam numa politica economicista em questão de recursos humanos. Em Portugal o rácio de Enfermeiros por utentes é do mais baixo da Europa, segundo a OCDE.

- Publicidade -

Um dia para relembrar como sãos reconhecidos os Enfermeiros portugueses a nível Internacional e pouco valorizados em Portugal.

Um dia para relembrar a importância dos Enfermeiros Portugueses na prestação de cuidados gerais e especializados, na assessoria, na gestão, na formação graduada e pós-graduada.

Um dia para relembrar que os Enfermeiros portugueses não são uma despesa, tal como os sucessivos governos nos encaram. Somos uma mais-valia, incluindo na diminuição da mortalidade, prevenção da doença e promoção da saúde. Sim, estamos sempre na linha da frente. O mais importante é sempre a proximidade e a confiança que estabelecemos com as pessoas, com os doentes e as suas famílias.

Os Enfermeiros não querem ser heróis. Não precisamos de palmas. Somos profissionais e honramos as nossas funções. Os Enfermeiros querem dignidade no trabalho, valorização do seu papel nas instituições, recompensa e sobretudo, condições de trabalho que resultem na melhoria e qualidade dos cuidados às pessoas.

Os Enfermeiros pretendem a correcção das injustiças no descongelamento da Administração Pública, onde se colocou Enfermeiros com formação diferenciada com remuneração igual aos que iniciam funções. Que os Enfermeiros Especialistas sejam reconhecidos com um dos pilares da prestação de cuidados e na melhoria dos cuidados às pessoas.

Os Enfermeiros não podem esquecer, que os sucessivos governos, tem optado por desvalorizar a profissão, ignorando que é uma profissão com risco e penosidade, de desgaste muito rápido. A negligência contínua das instituições, com a contratação insuficiente de Enfermeiros, promove a carência e exaustão dos profissionais.

A actual situação pandémica pelo COVID-19 e a pressão sobre os sistemas de saúde, designadamente sobre o Serviço Nacional de Saúde (SNS), as suas potencialidades e as suas fragilidades devem fazer-nos reflectir, nomeadamente na aplicação de politicas de saúde futuras.

Temos, todos nós, enfermeiros e as suas estruturas representativas, que agarrar esta oportunidade no sentido de garantir que, no futuro, exista uma nova forma de olhar para a enfermagem e que os enfermeiros sejam reconhecidos como aqueles que, estando mais próximos das pessoas, estão numa situação privilegiada para garantir o bem-estar global da população.

Apesar de tudo, continuamos a desempenhar com brio as nossas funções. Só queremos que todos os dirigentes e políticos o façam da mesma forma.

Os Enfermeiros querem uma sociedade mais justa, mais solidária e com melhores valores. Os Enfermeiros querem que cuidem melhor dos vossos filhos, pais e avós.

Os Enfermeiros querem um SNS mais forte, com capacidade de resposta e acessibilidade melhorada para os utentes.

Os Enfermeiros querem que cuidem melhor desta profissão.

Assim, valerão a pena todas as palmas e agradecimentos.

Coordenadora do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) do Distrito de Santarém

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome