Gavião | ‘O Jogo da Política Moderna’, uma exposição com caricaturas da I República que permanece atual

Exposição 'O Jogo da Política Moderna' na Biblioteca Municipal de Gavião

No âmbito das comemorações do 499º aniversário do Foral da Vila de Gavião, a Biblioteca Municipal de Gavião acolhe uma mostra que traça uma viagem pelos últimos cem anos da caricatura e desenho humorístico nacionais. A exposição ‘O Jogo da Política Moderna: Desenho Humorístico e Caricatura na I República’ chegou esta quarta-feira a Gavião para ficar até 23 de dezembro.

PUB

‘O Jogo da Política Moderna’ apresenta-se como “uma mostra de desenhos humorísticos e de caricatura política e social publicada na imprensa pelos principais humoristas portugueses da I República Portuguesa”, explica ao mediotejo.net Ana Luísa Lucas, responsável pela Biblioteca Municipal de Gavião, espaço que acolhe até 23 de dezembro a exposição, com entrada livre.

A I República Portuguesa trouxe consigo a explosão das práticas de humor social e político. O fenómeno foi alimentado pelo teatro de revista, pela comédia de costumes, mas sobretudo pela imprensa humorística e pela caricatura, que conheceram então um novo fôlego.

PUB
Exposição ‘O Jogo da Política Moderna’ na Biblioteca Municipal de Gavião

O quadro político, de permanente instabilidade e confronto partidário, agravado pela crise da economia, forneceu a melhor matéria-prima para um desenho humorístico com estéticas diferentes, onde o traço simples e direto, por vezes até grosseiro, coexistiu com o traço mais vanguardista das primeiras manifestações do modernismo artístico em Portugal.

Afonso Costa, Brito Camacho, António José de Almeida, Bernardino Machado e, nos anos 20, António Maria da Silva, são naturalmente os mais visados, dado o seu protagonismo no “Jogo da Política Moderna”.

PUB

“As caricaturas são um elemento essencial para compreender a Cultura da I República em Portugal, numa sociedade com uma grande taxa de analfabetismo”, diz Ana Luísa, acrescentando que “devido à falta de instrução que afetava grande parte do País, os desenhos assumem uma importância ainda maior no panorama informativo, tornando mais fácil o contacto e a compreensão da população com os acontecimentos da época”.

A inexistência de censura e a importância dos desenhos nos jornais da época reforça a importância dos artistas que, pela primeira vez, se começam a juntar – em Lisboa e no Porto – para realizar exposições e divulgar as suas obras.

Exposição ‘O Jogo da Política Moderna’ na Biblioteca Municipal de Gavião. Ana Luísa Lucas responsável pela Biblioteca

Embora a maioria dos caricaturistas estivesse com a República, o novo regime também trouxe consigo uma maior diversidade editorial, com publicações como O Moscardo e O Zé (sucessor d ‘O Xuão), a conviverem, nem sempre pacificamente, com as publicações pró-realistas, de que O Papagaio Real e O Thalassa são um bom exemplo.

Apareceram novos títulos de jornais, efémeros a maioria, duráveis alguns, embalados pelas promessas de liberdade de expressão proclamadas pelos republicanos. E, com eles, uma nova geração de desenhadores e caricaturistas que se revelaram nos jornais humorísticos que surgem sobretudo em Lisboa e no Porto, como Almada Negreiros, Jorge Barradas, Emmérico Nunes, Stuart Carvalhais, Bernardo Marques, Cristiano Cruz, Correia Dias, Luís Filipe, Sanches de Castro, entre outros.

Forma-se o Grupo de Humoristas Portugueses (1911), expondo os seus trabalhos em Salões na capital, em 1912, 1913 e, tardiamente, em 1920. No Porto, o gosto também é alimentado por Salões de Humoristas e Modernistas (1915), Fantasistas (1916) ou, simplesmente, Modernistas (1916 e 1919).

Para Ana Luísa Lucas os desenhos da exposição “permanecem atuais. Os jogos políticos são exatamente os mesmos dos que acontecem hoje”. A responsável pela Biblioteca Municipal explica que no aniversário dos 499º do Foral da Vila de Gavião “queria trazer alguma coisa sobre a República e deparei-me com esta exposição muito interessante”.

Exposição ‘O Jogo da Política Moderna’ na Biblioteca Municipal de Gavião. O presidente da Câmara Municipal de Gavião, José Pio

À volta da exposição Ana Luísa propõe “muitas iniciativas com o Agrupamento de Escolas de Gavião. Já convidámos as professoras de História para trazerem os alunos” com o objetivo de realizar um trabalho coletivo. Considera que sem “outras atividades” será mais complicado atrair públicos. “Trazendo os alunos, os alunos trazem os pais” e assim conseguir que a população gavionense visite a mostra.

Ana Luísa assumiu a responsabilidade pela Biblioteca Municipal de Gavião há três meses e pretende transformar aquele “belíssimo espaço numa biblioteca viva, em que todos, dos mais pequenos aos mais velhos, se sintam em casa”.

Da parte da Câmara Municipal de Gavião, o presidente José Pio refere “um sentimento generalizado” no Executivo de trazer uma exposição “desta craveira” para honrar o 499º aniversário do Foral da Vila, concordando o autarca que as caricaturas mantêm-se atuais sendo possível, “com uma observação atenta”, ver o retrato do atual sistema político português.

Exposição ‘O Jogo da Política Moderna’ na Biblioteca Municipal de Gavião

“Se tentarmos enquadrar as caricaturas na época atual percebemos haver muita matéria, muita crítica social e muitos momentos que ainda se vivem na política em Portugal”, afirma.

José Pio sublinha que no Município a Cultura é entendida “não como um gasto mas como um investimento. Sentimos que as nossas terras, no Interior do País, têm sede de Cultura”.

No inverno, a existência de momentos culturais em espaço fechado “é bastante apreciada”, assegura.

No concelho de Gavião “existe um grupo de pessoas que aprecia eventos culturais de sobremaneira. Lutamos com outra parte da população no sentido de a despertar para estes momentos importantes que valorizam a região mas sobretudo as pessoas, com o conhecimento que podem adquirir”.

A exposição ‘O Jogo da Política Moderna: Desenho Humorístico e Caricatura na I República’ é uma iniciativa da Câmara Municipal de Gavião realizada em parceria com o Museu Bordalo Pinheiro.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

- publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here