- Publicidade -

Gavião | Lar de Belver recupera de surto inesperado, já depois da 2ª toma da vacina da covid-19

O surto de covid-19, confirmado alguns dias depois da segunda toma da vacina no lar Centro Social Belverense, no concelho de Gavião, foi “dado como extinto”, disse ao mediotejo.net o presidente da instituição, Jorge Martins.

- Publicidade -

A determinação da extinção do surto, que registou um total de 24 infetados, ocorre depois dos resultados negativos nas testagens efetuadas a utentes e funcionários. Assim, nesta terça-feira, 23 de fevereiro, utentes e trabalhadores daquela instituição de Belver “regressaram à normalidade”, confirmou ao nosso jornal o presidente do Centro Social Belverense. “Os profissionais testaram todos negativo e os utentes também. À data de hoje não existem nem utentes nem funcionários infetados”, indicou Jorge Martins.

No entanto, as visitas presenciais só devem voltar a ser possíveis na próxima semana. “Até ao final desta semana as visitas estão suspensas”, explicou Jorge Martins, acrescentando que os contactos com familiares “processam-se através de videochamada”. Eventualmente a partir de segunda-feira “as visitas já poderão ser presenciais tendo em conta as condicionantes e as orientações impostas pela Direção Geral da Saúde”, referiu.

- Publicidade -

No inicio de fevereiro tudo parecia tranquilo mas, oito dias após a toma da segunda dose da vacina contra a covid-19 – administrada no dia 28 de janeiro – confirmou-se um caso positivo no lar do Centro Social. A realização de testes rápidos indicou um total de 23 utentes novamente infetados, a par de uma funcionária.

Uma situação inesperada mas com justificação científica para novas infeções após a segunda toma da vacina. A delegada de Saúde Pública do ACES Médio Tejo, Maria dos Anjos Esperança, questionada sobre o caso, confirmou essa possibilidade ao mediotejo.net. Um estudo em Portugal revelou que 95 a 97% dos vacinados apresentam anticorpos apenas quinze dias depois, não estando cumprido o período para a completa imunização.

Desde o inicio da pandemia o Centro Social Belverense contabiliza 34 utentes infetados (32 utentes da Residência mais 2 utentes de Apoio Domiciliário), e seis funcionários infetados (1 funcionária da Residência mais 3 funcionárias do Apoio Domiciliário e mais 2 cozinheiras).

No total registou dois óbitos de utentes da Residência Sénior que se encontravam hospitalizados no Hospital de Abrantes.

Este surto agora debelado foi o segundo a afetar a instituição desde o início da pandemia. Recorda-se que o primeiro caso positivo de infeção pelo novo coronavírus no concelho de Gavião registou-se em julho de 2020, tratando-se de uma mulher idosa, residente em Belver, utente do Centro Social Belverense, em assistência domiciliária.

Até hoje, 37 utentes do Centro Social já receberam a primeira dose da vacin,a sendo 25 os utentes que receberam também a segunda dose vacina contra a covid-19. Dos trabalhadores da instituição, 28 já tomaram a primeira dose da vacina e a 26 já lhes foi administrada a segunda dose.

O Centro Social Belverense tem capacidade para 41 utentes na valência de Estrutura Residencial Para Idosos. No total, com utentes e funcionários, o Centro contabiliza cerca de 80 pessoas.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).