Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Outubro 24, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Gavião | Fundo Ambiental dá 200 mil euros para projeto de valorização paisagística

O concelho de Gavião vai receber 200 mil euros do Fundo Ambiental destinados a um projeto de valorização ambiental e paisagística denominado de ‘Miradouro de Gavião”, disse ao mediotejo.net o presidente da Câmara local.

- Publicidade -

Segundo o presidente da autarquia de Gavião, José Pio (PS), “o projeto selecionado pelo Fundo Ambiental vai permitir a “valorização ambiental e paisagística de um espaço absolutamente degradado e ambientalmente desagradável”, tendo feito notar que o espaço a requalificar, “sendo em terrenos rústicos/urbanos, estão na periferia do aglomerado urbano e era insustentável a manutenção como zona de despejos de resíduos inconvenientes”.

A candidatura efetuada pela autarquia de Gavião foi uma das aprovadas com o valor de 200 mil euros. A obra já teve início e está a cargo da firma Damião & Belo de Portalegre, avançou José Pio, tendo perspetivado ter a obra concluída a 23 de novembro, feriado municipal em Gavião.

- Publicidade -

O Fundo Ambiental foi lançado em fevereiro e recebeu 31 candidaturas, das quais foram admitidas 11. Os projetos selecionados dividem-se em três grandes áreas: gestão de recursos hídricos, redução das pilhas de calor que se formam nas cidades e recuperação dos habitats destruídos pelo fogo.

Os contratos de financiamento, assinados em meados de julho, no Espaço Memória, no parque empresarial do Barreiro, no distrito de Setúbal, na presença do ministro do Ambiente, representam um total de investimento de 2,1 milhões de euros, para apoios de 1,6 milhões de euros.

Três dos projetos selecionados vão receber 200 mil euros cada um. É o caso das propostas dos municípios de Gavião, no distrito de Portalegre, e também de Viana do Castelo e Cascais (Lisboa).

C/LUSA

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome