- Publicidade -

Segunda-feira, Dezembro 6, 2021
- Publicidade -

Gavião | Dia do Município assinalado de novo com festa nas ruas e abertura do mercado de Natal

As comemorações do Dia do Município, que este ano assinala os 502 anos de existência do Foral da Vila de Gavião, iniciaram-se na sexta-feira com a inauguração da exposição ‘Imagens do Parlamento Português’ na Biblioteca Municipal. Esta terça-feira, 23 de novembro, dia das cerimónias oficiais, foi a vez dos políticos locais anunciarem algumas novidades para o concelho, como fez o presidente José Pio (PS), avançando que o Ninho de Empresas será inaugurado brevemente e que no verão a vila já terá uma piscina descoberta. Durante a manhã decorreu ainda a abertura do mercado de Natal.

- Publicidade -

As cerimónias oficiais do Dia do Município, esta terça-feira, 23 de novembro, em que se celebra o 502º aniversário do Foral da Vila de Gavião, decorreram durante a manhã com o hastear da bandeira junto ao edifício da Câmara Municipal com Guarda de Honra pela Corporação de Bombeiros Voluntários e acompanhamento pela Banda Juvenil do Município de Gavião.

Foi o regresso das cerimónias à rua, com os gavionenses a reunirem-se no Largo do Município para comemorar mais um aniversário do Foral de D. Manuel I à vila sede do concelho, data assinalada anualmente com feriado municipal, exaltando, o presidente da Câmara Municipal, José Pio, aquela que é a marca comum: “Gavião, um Alentejo Diferente”.

- Publicidade -

Comemorações dos 502 anos da atribuição de foral a Gavião. Créditos: mediotejo.net

Depois de quase dois anos “em que não nos era possível fazer comemorações como gostamos, na rua, junto das pessoas, voltámos ao lugar mais nobre do concelho que é o Largo do Município” começou por dizer o autarca.

Falando do “vasto” programa de comemorações, “do desporto à música, do teatro ao fado. O Mercado e o comboio de Natal que voltaremos a ter para animar as ruas do nosso concelho”, apelou “à participação de todos, mas no estrito cumprimento de todas as regras de segurança a que a pandemia ainda nos obriga” e também “à vacinação, na responsabilidade de cada um, está a defesa de todos nós, particularmente dos mais velhos e frágeis”, sublinhou.

Recusando fazer um balanço da atividade autárquica, garante que o executivo tem trabalhado “com afinco, dedicação e honestidade” em prol da terra e das gentes manifestando vontade de continuar “a ser um Município referência, de estabilidade, credibilidade e boas contas”, contabilizando “mais de 8 milhões de euros de investimento em curso”.

Comemorações dos 502 anos da atribuição de foral a Gavião. Créditos: mediotejo.net

Exemplificou com “a política social e fiscal do Município, onde mantemos a taxa de IMI praticada no valor mais baixo permitido por lei, isentamos de derrama as empresas localizadas no nosso território, devolvemos aos nossos munícipes os 5% de IRS que cabiam ao Município, apoiamos nos primeiros 3 anos vida todos os nascidos no nosso concelho, apoiamos na aquisição de casa própria os jovens casais, somos parceiros ativos na Educação oferecendo gratuitamente todos os cadernos de atividades às crianças que frequentam o Agrupamento de Escolas, pagamos integralmente as refeições do Pré-Escolar e 1º Ciclo, colaboramos no pagamento dos transportes escolares, atribuímos bolsas de estudo a todos os estudantes do ensino superior, que cumpram o respetivo regulamento”.

Referência ainda ao apoio à indústria e ao comércio considerando o Ninho de Empresas “uma alavanca no desenvolvimento” do concelho de Gavião a inaugurar brevemente, sendo “um espaço moderno, pensado para receber empresas não tecnológicas”.

Deu conta igualmente de “uma revolução urbana” em curso na Rua 23 de Novembro, Beco das Piscinas e antiga casa do João Ascensão. “Já se vê obra! A piscina coberta está praticamente remodelada, a piscina descoberta continua em obra e esperamos já no próximo verão tê-la à disposição – a casa que dará lugar ao Museu da Banda Juvenil, ao Posto de Turismo, à loja de produtos tradicionais e a sala multiusos, bem como os arranjos exteriores, continua com obra a bom ritmo”, garante o presidente.

Comemorações dos 502 anos da atribuição de foral a Gavião. Banda Juvenil do Município de Gavião .Créditos: mediotejo.net

Também o futuro Museu dos Carros de Atrelar a alojar no antigo seminário de Gavião ”pese embora alguns percalços que têm existido em termos de construção, que finalmente estão resolvidos, avançará agora por forma a estar concluído tão breve quanto possível”.

O autarca disse ainda que “a sede do Agrupamento de Escolas já não tem amianto na cobertura e tem um telhado totalmente novo”. Na sua intervenção recordou igualmente uma promessa: a ampliação do Edifício sede do Agrupamento de Escolas.

Segundo José Pio, “o projeto está concluído e a respetiva candidatura está a ser efetuada”, estimando-se que o lançamento do concurso público “ocorra até final do ano” e a empreitada tenha início no primeiro semestre de 2022. “Vamos ter uma escola completamente remodelada e preparada para todos os novos desafios da modernidade que se avizinham”.

Comemorações dos 502 anos da atribuição de foral a Gavião. Créditos: mediotejo.net

Acreditando que “a crise que assolou o mundo e desabou em cima das autarquias, das empresas e das famílias, está a chegar ao fim”, afirmou “a forte convicção” de ter em Gavião “uma força social cooperante, que nos faz confiar e com a qual queremos continuar a contar”.

E deixou recados à oposição: “Se estivermos de costas voltadas uns para os outros, se confundirmos as exigências legítimas, com reivindicações desadequadas, sem a perceção dos limites, sem ter em atenção a crise que enfrentámos, então, poderemos vir a não ter autoridade moral para nos queixarmos no futuro”.

No seguimento dessa “interação necessária” considerou que as Juntas de Freguesia “deveriam ganhar, igualmente, um novo reforço no seu papel de proximidade às populações, acompanhado de recursos financeiros, que lhes permitam ter recursos materiais e humanos para desenvolverem o seu trabalho, sem andar a perder tempo em inutilidades perigosas pondo em causa funções e tradições seculares”.

Comemorações dos 502 anos da atribuição de foral a Gavião. Guarda de Honra pela corporação de Bombeiros de Gavião. Créditos: mediotejo.net

Por outro lado, o associativismo cultural, recreativo, desportivo e as IPSS, terão de “encontrar cada vez mais soluções de sustentabilidade garantida, na certeza que o executivo Municipal sem querer tutelar, dirá sempre presente, nos momentos de maior dificuldade, como foi no passado e será no futuro”, opinou.

De igual modo, o universo empresarial, “acompanhado da investigação, terá que ser estimulado a garantir tudo o que já temos de bom, mas também deverá desbravar novos caminhos. Por exemplo, a criação de parcerias com o mundo académico que nos permitam dar a verdadeira dimensão daquilo que pretendemos, seja o Ninho de Empresas, espaço de incubação de Empresas, mas ao mesmo tempo, local de investigação e de criação de condições adequadas a investimento no nosso território”.

ÁUDIO | PRESIDENTE DA CÂMARA DE GAVIÃO, JOSÉ PIO

Um Mercado de Natal todos os domingos até 26 de dezembro

Seguiu-se a abertura do Mercado de Natal, junto ao Jardim do Cruzeiro, contando com 23 produtores da região mais uma tasquinha dinamizada pelos Serviços Sociais do Município de Gavião, dentro de uma tenda gigante onde também se encontra um palco para receber os espetáculos programados para a época festiva.

A ideia do Mercado de Natal surgiu na sequência da Feira Rural que decorre duas vezes por ano. E oferece diversidade, de doces a artesanato passando por legumes, chás, mel e outros produtos locais.

Comemorações dos 502 anos da atribuição de foral a Gavião. Mercado de Natal. Créditos: mediotejo.net

Além disso, o Mercado conta com “animação todos os domingos” incluindo espetáculos para os mais pequenos, explicou o vice-presidente da Câmara, António Severino. O Mercado de Natal conta também com a presença da RTP1 no dia 18 de dezembro (sábado), de onde será transmitido o programa “Aqui Portugal”. Este ano regressa o comboio de Natal gratuito e o programa natalício só terminará no último dia do ano com o habitual fogo de artifício.

Dento da tenda gigante encontra-se a Tômbola do Mercado de Natal, para um sorteio de prémios no dia 26 de dezembro. No fundo “uma forma de promover o comércio local” junto dos consumidores, acrescentou António Severino.

São cinco prémios para oferecer: um voucher para alojamento local no valor de 70 euros; um voucher para restauração no valor de 50 euros, um cabaz de Natal com duas senhas gastronomia, e mais dois cabazes de Natal com produtos regionais.

Comemorações dos 502 anos da atribuição de foral a Gavião. Mercado de Natal. Créditos: mediotejo.net

Quanto aos produtores locais, Fernando Mota é um dos artesãos que mais uma vez marca presença no Mercado de Natal de Gavião. A sua história no mundo das artes manuais começou há 10 anos, quando concorreu a um concurso de uma revista e ganhou um berbequim. Alguns anos depois já marcava presença em exposições.

O seu stand no Mercado mostra relógios, candeeiros de garrafões ou garrafas, vários presépios artesanais para venda, de variados tamanhos, formas e materiais, incluindo recolhidos na natureza como cabaças, galhos secos de árvores ou pinhas.

Para este Mercado de Natal fez seis peças novas. Um dos presépios foi construído dentro de “uma pinha devorada em parte por um esquilo e depois a ideia surgiu”, conta.

Comemorações dos 502 anos da atribuição de foral a Gavião. Mercado de Natal. Fernando Mota. Créditos: mediotejo.net

Fernando é funcionário público, trabalha como assistente operacional na Câmara Municipal de Gavião, mas gosta deste passatempo de artesão. Contudo, considera que os locais “não dão muito valor” à sua arte, sendo mais apreciada “por quem vem de fora”. Inclusivamente já teve convites para exposições no Norte do país “mas é difícil” prosseguir com esse objetivo, confessa.

Inicialmente pintava peças de gesso e marfinite, presépios e outras figuras. “Depois comecei a pintar tecido e hoje continuo – nomeadamente fitas de finalistas –, trabalho em pirogravura e crio presépios em materiais variados”, nomeadamente reciclando, refere ao nosso jornal.

Sílvia Palma também apresenta as suas obras artesanais no Mercado de Natal, às quais chamou de ‘GnomoMania’. Os bonecos “todos feitos à mão, dos pés à cabeça” surgiram em dezembro de 2020, quando num fim de semana mais caseiro lhe deu vontade de se dedicar aos lavores e criar gnomos. Começou pelos mais pequenos e foi crescendo o tamanho do boneco tal como o interesse de quem queria ter um para si.

Comemorações dos 502 anos da atribuição de foral a Gavião. Mercado de Natal. Sílvia Palma. Créditos: mediotejo.net

Por isso, Sílvia criou páginas nas redes sociais Facebook e Instagram. Aliás, é a primeira vez que expõe os seus bonecos ao vivo.

“As pessoas têm gostado e os presépios são muito bem aceites”, revela, acrescentando que costura bonecos por encomenda e personalizados. E são Gnomos de pernas altas ou em forma de porta-chaves, imans ou porta-lápis, “tudo feito com tecidos reciclados, cola quente e lã”, revela a artesã. Os preços variam entre os três e os 50 euros.

Paula Leitão é a esposa do “Avô Tó” e dedica-se aos doces há mais de 30 anos. “Tive uma pastelaria em Gavião durante 24 anos. Fechou em 2013. Como estou desempregada aproveito para vir às feiras”, diz ao mediotejo.net. As feiras são, em regra, o Mercado de Natal e a gastronómica.

Garante que até ao dia 26 de dezembro, dia de encerramento do Mercado, vai variando na oferta doceira. Neste dia de abertura a aposta foi para o quindim, a tranche de chocolate com ginjas de Óbidos, as queijadas de requeijão, as filhós e os dedos de dama, um dos doces mais apreciados pelos gavionenses.

Comemorações dos 502 anos da atribuição de foral a Gavião. Mercado de Natal. Paula Leitão. Créditos: mediotejo.net

“São suspiros, uma criação minha e do meu marido”, afirma, recordando que abriu a pastelaria em 1989 onde pode dar asas à criação e ao gosto. “É o meu modo de viver há muitos anos. Foi o que escolhi”, diz.

A rede de Bibliotecas de Gavião também marca presença no Mercado de Natal. Oferece uma feira de livros alusivos ao Natal, na sua maioria livros infantis. “Uma ideia para uma prenda”, refere ao nosso jornal Ana Luísa Lucas, diretora da Biblioteca Municipal de Gavião.

Os livros são vendidos a preço de custo, no fundo cumprindo a missão da Biblioteca: “levar a leitura à população de Gavião”.

Comemorações dos 502 anos da atribuição de foral a Gavião. Mercado de Natal. Ana Luísa Lucas no stand da Rede de Bibliotecas de Gavião. Créditos: mediotejo.net

Esta quinta, às 18h00, “Já é Natal em Gavião”, ou seja, é ligada a iluminação de Natal para a quadra festiva que se estende até ao Dia de Reis.

Na passada sexta-feira e durante o fim de semana foram realizadas algumas atividades no âmbito das celebrações designadamente a inauguração da exposição “Imagens do Parlamento”, na Biblioteca Municipal. Uma exposição que aborda a evolução política nacional desde a implantação do liberalismo até à atualidade, bem como as transformações do seu edifício – sede, desde as origens. A mostra fica patente na Biblioteca Municipal até ao dia 31 de dezembro de 2021.

Programa Mercado de Natal de Gavião

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome