Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quinta-feira, Outubro 28, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Gavião | Dia do Município assinalado com oferta às freguesias, isenção de IMI e Mercado de Natal

As comemorações do Dia do Município, que este ano assinala os 499 anos de existência do Foral da Vila de Gavião, iniciaram na quarta-feira com a inauguração da exposição “O Jogo da Política Moderna’ na Biblioteca Municipal. Esta sexta-feira, 23 de novembro, dia das cerimónias oficiais, foi a vez dos políticos locais anunciarem algumas novidades para o concelho, como fez o presidente José Pio (PS) avançando que a partir de 2020 as sedes das coletividades serão isentadas de IMI. Durante a manhã teve ainda lugar a abertura do Mercado de Natal. As festividades prolongam-se pelo fim de semana.

- Publicidade -

As cerimónias oficiais do Dia do Município, esta sexta-feira, 23 de novembro, em que se celebra o 499º aniversário do Foral da Vila de Gavião, decorreram durante a manhã com o hastear da bandeira junto ao edifício da Câmara Municipal com Guarda de Honra pela Corporação de Bombeiros Municipais e acompanhamento pela Banda Juvenil do Município de Gavião.

Mais uma vez os gavionenses reuniram-se no Largo do Município para comemorar o quadricentésimo nonagésimo nono aniversário do Foral de D. Manuel I à vila sede do concelho, data assinalada anualmente com feriado municipal, exaltando “os valores mais profundos e genuínos que nos unem às nossas origens e à nossa identidade”, começou por dizer o presidente da Câmara Municipal, José Pio, lembrando ser “o momento em que orgulhosamente exibimos essa nossa marca comum: Gavião, um Alentejo Diferente”.

- Publicidade -

Na ambição de pôr “Gavião a voar cada vez mais alto”, o autarca realçou “o trabalho realizado pelos executivos camarários que ao longo dos últimos anos proporcionaram um desenvolvimento harmonioso ao nível económico, social e cultural, sustentado num modelo de governação de proximidade que foi capaz de afirmar o concelho e que nos permite sentir cada vez mais orgulho em sermos gavionenses”.

Cerimónia Oficial do 499º aniversário do Foral da Vila de Gavião, no dia do Município a 23 de novembro de 2018. Momento de intervenção do presidente da Câmara Municipal, José Pio

Para impulsionar o futuro, José Pio falou num “desafio” que passa pela “transferência de competências” da Administração Central para os Municípios, uma realidade e assunção de novas responsabilidades que o Executivo camarário vê com “muita tranquilidade”, disse.

O atual Executivo “vai estar verdadeiramente empenhado na sua aceitação, com a certeza que vamos ter condições para prestar um melhor serviço ao nosso concelho e às nossas gentes, em todos os domínios”, continuou.

O presidente referiu, nessa sequência, o Orçamento Municipal para 2019, aprovado por unanimidade no valor de 8,6 milhões de euros, onde estão plasmadas três opções fundamentais e estruturantes para Gavião: “Desenvolvimento Económico e Criação de Emprego; Educação e Turismo”

A aposta “na continuidade do desenvolvimento económico sustentado, na regeneração e requalificação urbana, no vetor imaterial da educação, na construção do Ninho de Empresas, no sector Turístico, aliado a uma oferta cultural de qualidade e cada vez mais diversificada, na saúde e bem-estar dos residentes, no incremento dos apoios sociais e no desenvolvimento da comunidade gavionense, valorizando a sua identidade, constituem grandes eixos” assumidos como desafios estratégicos para o futuro de Gavião, vincou José Pio.

Cerimónia Oficial do 499º aniversário do Foral da Vila de Gavião, no dia do Município a 23 de novembro de 2018. Hastear das bandeiras

Gavião / Comemorações do 499 aniversário do Foral da vila de Gavião. A Banda Juvenil do Gavião toca o Hino Nacional em dia de feriado municipal.

Publicado por mediotejo.net em Sexta-feira, 23 de Novembro de 2018

Depois, à semelhança do que tem ocorrido nos últimos quatro anos, a Câmara Municipal atribuiu cinco mil euros a cada uma das Juntas de Freguesia do concelho, “uma pequena contribuição do orçamento municipal para que possam dar continuidade a projetos que considerem estruturantes para o território”, disse.

Mencionando “especulações” no sentido do atual Executivo não apoiar as associações, José Pio desafiou “qualquer uma a dizer que teve uma sua solicitação para atividades rejeitada. Pretendemos ser justos e gerir os dinheiros públicos com equidade, estamos efetivamente a fazer um novo regulamento de apoio às associações e com toda a certeza as que têm atividade continuarão a ser apoiadas pelo Município, as outras, pois se só existem no papel e não têm atividade, não podem continuar a ser apoiadas”, garantiu.

José Fernando Pio deu conta que levará para a próxima reunião do Executivo Municipal uma proposta que isentará todas as coletividades do concelho do pagamento de IMI das suas sedes, isto é, “a partir do ano de 2020 nenhuma associação verá oneradas as suas contas com a verba relativa ao pagamento do Imposto Municipal Sobre Imóveis”.

O presidente terminou lembrando que desta data a um ano Gavião estará a celebrar os 500 anos de atribuição do Foral Manuelino à Vila, entendendo o Executivo municipal iniciar, esta sexta-feira, de uma forma simbólica, um ano de atividades com a apresentação pública do cartaz da autoria de José Heitor que servirá de imagem a todas as celebrações comemorativas e que culminarão no dia 23 de novembro de 2019.

Bombeiros Municipais de Gavião

Um Mercado de Natal todos os domingos até 30 de dezembro

Seguiu-se a abertura do Mercado de Natal contando com 16 produtores do concelho mais uma tasquinha dinamizada pelos Serviços Sociais do Município de Gavião.

Na próxima semana “juntar-se-ão mais dois produtores, estando sete em lista de espera”, explicou ao mediotejo.net o vereador António Severino. Apesar das dificuldades com que se debate a autarquia no aluguer das pequenas cabanas de madeira, a ideia é “não deixar ninguém de fora, aproveitando o bonito Largo do Município”, disse.

A ideia do Mercado de Natal surgiu na sequência da Feira Rural que decorre duas vezes por ano. “Quisemos dar um novo formato à feira e durante a tarde, de todos os domingos, até 30 de dezembro” o Mercado de Natal oferece diversidade, de doces a artesanato passando por legumes, chás, mel e outros produtos locais.

Além disso, o Mercado conta com “animação todos os domingos, com espetáculos para as crianças”, acrescentou António Severino.

Inauguração do Mercado de Natal na Praça do Município em Gavião com 16 produtores do concelho mais uma tasquinha dinamizada pelos Serviços Sociais do Município de Gavião

Fernando Mota é um dos artesãos com um expositor no Mercado de Natal. Apesar de ser funcionário público dedica-se à arte da pirogravura, constrói presépios recorrendo à natureza e outros objetos que a imaginação lhe permite criar como por exemplo transformar um disco de vinil em relógio.

E se um mercado é pródigo nos seus aromas, no Mercado de Natal de Gavião é possível encontrar chás biológicos com certificação Bio produzidos em embalados na freguesia de Atalaia. Os Aromas de Guidintesta produzem as suas próprias plantas em terras propriedade dos pais de João Chambel. A residir na Praia de Santa Cruz em Torres Vedras encontrou nesta aposta uma atividade para a reforma.

As plantas são cidreira, hortelã, erva príncipe, camomila entre outras. E ainda mistura as plantas com especiarias, essas importadas como gengibre, anis ou canela. “Hoje temos máquinas para embalamento em saquetas, vendemos os chás nos supermercados de Gavião, em Lisboa e tentamos chegar a hotéis”, conta João Chambel. A partir de janeiro de 2019, até porque os contratos já estão assinados, “a marca vai contar com uma linha Bio só de especiarias com chá preto, chá verde, gengibre e canela”.

Curiosamente o designer das caixas de Aromas de Guidintesta é José Heitor, o artista responsável pelo cartaz relativo aos 500 anos do Foral da Vila de Gavião, outra celebração já em 2019.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

  1. Convinha rectificar: ” A residir na Praia de Santa Cruz em Torres Novas encontrou nesta aposta uma atividade para a reforma.” Deve ser Torres Vedras e não Torres Novas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome