Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Terça-feira, Novembro 30, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Futsal | Taça da Liga arranca com vitória do Fundão sobre o Eléctrico (c/ÁUDIO)

ELÉCTRICO FUTEBOL CLUBE 2 – ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DO FUNDÃO 4
Taça da Liga de Futsal
Pavilhão Multiusos de Sines
25-03-2021

- Publicidade -

À chegada a esta “final eight” as equipas situam-se em situações diferentes na tabela da Liga Placard. Enquanto os beirões da Capital da Cereja não perdem há nove jornadas e são terceiros, os alentejanos de Ponte de Sor conseguiram uma goleada sobre o Dínamo Sanjoanense após dez jogos sem ganhar e ocupam o nono posto, sonhando ainda com os play off.

Uma verdadeira travessia do deserto da equipa de Kitó Ferreira após ser visitada pelo “vírus maldito” por três vezes durante a época.

- Publicidade -

Grande jogo, desta vez em Sines para a Taça da Liga. Arquivo mediotejo.net

A dar sinais de retoma na antevisão prometeu dar luta ao Fundão: “Será mais um jogo na nossa caminhada, importante para continuarmos a nossa luta e sermos dignos e merecedores de trazer este emblema ao peito, afirmou Kitó. O treinador dos pontessorenses, referiu ainda que é “obrigação honrar o Eléctrico de Ponte de Sor. Por isso assumimos essa responsabilidade e não fugimos dela e é com esse sentimento que partimos para mais um dia duro e difícil”, afirmou.

Se os serranos eram favoritos não fugiram à responsabilidade e começaram o jogo por cima. Nem, logo no minuto inicial, quase marcava à sua antiga equipa. Valeu a excelente intervenção de Diogo Basílio defendendo com o pé. Na recarga Meira obrigou o guarda redes pontessorense a defesa segura.

À passagem do quarto minuto o capitão dos beirões fez aquilo que sabe fazer muito bem.
Depois de Meira recuperar a bola assistiu Mário Freitas para o primeiro golo da Taça da Liga deste ano.

Meira assistiu e Mário Freitas abriu a contagem. Arquivo mediotejo.net

Apesar da boa reação dos alentejanos o Fundão queria consolidar a vantagem e Guilherme Meira rematou forte para boa intervenção de Diogo Basílio. Responderam os pontessorenses com Henrique Vicente a ganhar um ressalto. O esférico ganhou altura e perdeu-se pelos fundos. Na resposta Jair Pereira rematou com pouco ângulo mas ainda assim criou grandes dificuldades a Basílio que defendeu para canto.

Aos cinco minutos o inevitável Rodriguinho ganhou um ressalto e rematou ao lado.
Com o Fundão a vencer e depois dum início frenético, o jogo entrou numa fase mais pautada a beneficiar quem liderava a marcha do marcador. Ainda assim, à passagem dos dez minutos, o algarvio Henrique Vicente ganhou espaço para o remate longe do alvo.

O antigo jogador do Eléctrico, Nem, agora a representar a equipa da Cova da Beira, começou a emergir como figura grada no jogo. De estatura muito pequena mas enorme em talento resolveu fazer a “cabeça em água” aos seus antigos colegas. Apareceu na cara de Basílio mas este, numa mancha oportuna, não lhe permitiu veleidades. Aos onze minutos rematou ligeiramente por cima e aos 13 assistiu Pedro Senra em lance de muito perigo.

Após o técnico Nuno Couto ter pedido uma pausa técnica, o Eléctrico beneficiou dum livre em zona frontal que Rodriguinho bateu muito forte. A bola, enviada ao ferro da baliza ressaltou em Luan sem que o guarda redes brasileiro do Fundão, naturalizado arménio, pudesse evitar o empate. O cronómetro assinalava o quarto de hora de jogo.

Com um sabor amargo na boca os beirões carregaram e Guilherme Meira, com uma diagonal da esquerda, rematou forte para uma enorme defesa de Diogo Basílio.
Na resposta, aos 17 minutos, Rodriguinho, a fazer jus ao título de “artilheiro” dos pontessorenses, livre de marcação em zona frontal, rematou forte não dando hipóteses de defesa a Luan. Estava concretizada a “remontada” alentejana…

Aos 19 minutos o guarda redes Luan quis protagonizar uma jogada de ataque da sua equipa. Intercetou uma reposição lateral do Eléctrico, ganhou terreno e rematou forte, cruzado, mas ao lado.

A poucos segundo do apito para o descanso Rodriguinho ganhou a Peléh em esforço, ganhou vantagem e serviu Henrique Vicente. O passe, com demasiada força, perdeu-se pela linha de fundo. Respondeu Guilherme Meira com um “estouro” que abanou, e bem, a baliza de Basílio. O intervalo chegou com o Eléctrico na frente num resultado demasiado penalizador para o Fundão. Justo seria o empate.

Por aquilo que as equipas fizeram o empate ao intervalo seria mais justo. Arquivo mediotejo.net

Depois duma primeira parte jogada mais com o coração do que com a cabeça, sem grandes primores técnico-tácticos, a segunda tinha tudo para ser intensa e pressentia-se que a frieza poderia fazer a diferença no final.

Começou melhor o Eléctrico com Costelinha a intercetar um mau passe de Jair e a rematar por cima da baliza de Luan. Respondeu o Fundão através do seu capitão, Mário Freitas, que se isolou na cara de Basílio e com um toque subtil tentou tirá-lo da jogada. Atento, o jovem guarda redes do Eléctrico não desarmou e defendeu com classe para canto.

Aos 23 minutos Rodriguinho encetou uma diagonal da esquerda para o meio e rematou muito perto da baliza de Luan. Na resposta, Nem obrigou Basílio a nova intervenção de qualidade e defendeu com o pé o remate cruzado.

Rodriguinho, numa reposição lateral, deixou para o forte remate do capitão pontessorense, Renan Fuzo. Dificuldades para Luan em defesa apertada. Aos 25 minutos Mário Freitas teve nos pés uma ocasião soberana para empatar a partida. O remate cruzado saiu ao lado da baliza à guarda de Basílio.

Pouco depois foi a vez de Jair ficar na cara do guarda redes alentejano. No diálogo a dois levou a melhor Diogo Basílio. O Eléctrico percebeu que o guarda redes Luan estava a jogar muito subido, fora dos postes, em apoio ofensivo, e tentou tirar partido disso mesmo. Miguel Pegacha tentou aproveitar a situação mas o guarda redes, em recuperação da posição, cortou de cabeça.

Guarda redes muito adiantado deixou baliza sobre mira. Arquivo mediotejo.net

Aos 28 minutos, depois de mais uma enorme defesa de Basílio ao impedir que Rui Moreira encostasse para golo, após assistência de Senra, o Fundão chegou, finalmente, ao merecido golo do empate. Pedro Senra rematou cruzado não deixando a Basílio a mínima hipóteses de oposição.

O Eléctrico, expectante enquanto por cima, soltou-se e logo após o golo sofrido foi Costelinha quem por pouco não bateu Luan. A defesa de recurso do arménio impediu que o Eléctrico se adiantasse de novo.

Resposta pronta dos serranos com o brasileiro Peléh a tentar jogada de entendimento com Filipe Leite. Basílio adivinhou os intentos, antecipou-se e cortou de “carrinho”.

À passagem da meia hora Miguel Pegacha ensaiou um fortíssimo remate, travado por Luan com o peito. Guilherme Meira, que se cotou como o melhor jogador do Fundão na quadra, aproveitou da melhor forma o canto batido por Nem. Com um remate colocado, de primeira, operou nova reviravolta no marcador.

A perder mas com muito para jogar, a equipa de Ponte de Sor não baixou os braços e com Diogo Basílio em bom plano não permitiu que a Associação Desportiva do Fundão aumentasse a vantagem.

Não conseguindo levar a melhor o Eléctrico viu-se na contingência de lançar o seu capitão, Renan Fuzo, como guarda redes avançado. Dispôs de boas ocasiões por Henrique Vicente e Rodriguinho mas sem consequências.

A segundos do final Peléh assistiu Mário Freitas que bisou e fechou as contas deste desafio.

Bom jogo, com alternância no marcador e com um justo vencedor. O Eléctrico regressou mais cedo a Ponte de Sor onde irá preparar o que falta da Liga Placard.

O Fundão segue na prova onde irá defrontar, na meia-final, o vencedor do Portimonense-Sporting, agendado para esta sexta-feira, dia 26. A final da Taça da Liga terá lugar em Sines, no Pavilhão Multiusos, no dia 28 de março, pelas 18 horas.

Ficha do jogo:

ELÉCTRICO FUTEBOL CLUBE:
Diogo Basílio, Renan Fuzo, Rodriguinho, Henrique Vicente e Costelinha.
Suplentes: Marco Tavares, Dudu, Bruno Graça, Telmo Lourenço, Gustavo, Bernardo Bonacho, Miguel Pegacha e Luiz Fernando.
Treinador: Kitó Ferreira.

Eléctrico Futebol Clube. Foto: Arquivo mediotejo.net

ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DO FUNDÃO:
Luan Muller, Guilherme Meira, Nem, Jair Pereira e Mário Freitas.
Suplentes: Tiago Couto, Costinha, Rui Moreira, Pedro Senra, Peléh, David Gomes e Filipe Leite.
Treinador: Nuno Couto e João Nuno Ribeiro.

Associação Desportiva do Fundão. Arquivo mediotejo.net

GOLOS: Luan Muller [p.b.] e Rodriguinho (Eléctrico); Guilherme Meira , Mário Freitas[2] e Pedro Senra (Fundão).

EQUIPA DE ARBITRAGEM: Rúben Santos e José Moreira.
Wilson Soares (3º Árbitro).
Cronometrista: Cristiano Santos.

No final os treinadores falaram aos Orgãos de Comunicação Social:

KITÓ FERREIRA (Eléctrico)

“Kitó” Ferreira, treinador do Eléctrico de Ponte de Sor. Arquivo mediotejo.net

JOÃO NUNO RIBEIRO (Fundão)

João Nuno Ribeiro-Treinador do Fundão. Arquivo mediotejo.net

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome