Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sexta-feira, Julho 30, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Futsal | Ladoeiro e Amarense falham licenciamento, Torreense e Nun’Alvares sobem à 1ª divisão

Ladoeiro e Amarense, que asseguraram a subida à Liga de futsal no fim de semana, falharam o processo de licenciamento e vão ser substituídos por Torreense e Grupo Nun’Alvares no principal escalão nacional da modalidade. A equipa de Torres Vedras foi a única a conseguir vencer este ano o Ferreira do Zêzere, por 1-0, resultado que acabaria por se revelar decisivo para o apuramento para a final eight e para a subida à primeira divisão.

- Publicidade -

Em comunicado, a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) deu conta da avaliação dos processos de licenciamento para as primeiras divisões de futsal e futebol feminino, assim como para a Liga 3 e para a Liga Revelação.

O Ladoeiro, do concelho de Idanha-a-Nova, que no domingo se sagrou campeão nacional da II Divisão de futsal, falhou o cumprimento dos requisitos para participar na Liga de futsal, assim como o finalista vencido, o Amarense, da Batalha.

- Publicidade -

Desta forma, as duas vagas vão ser ocupadas pelo Grupo Nun’Alvares, de Fafe, que foi eliminado pelo Ladoeiro, nas meias-finais da prova de acesso à competição, que vai ser disputada por 14 clubes e reduzida para 12 em 2022/23, e pelo Torreense, que foi afastado, nos quartos de final, pelo emblema fafense.

Na Liga feminina, que vai ser reduzida de 20 para 16 clubes, o Boavista, segundo colocado na Série Norte da fase de manutenção, também não preencheu os requisitos necessários, sendo substituído pelo Varzim, que ‘caiu’ nas meias-finais do segundo escalão, frente ao Vilaverdense.

O Leça foi excluído da Liga 3, permitindo a promoção da Sanjoanense, que tinha ficado na terceira posição da Série 3 da fase de acesso à competição, imediatamente atrás do emblema de Matosinhos.

O novo terceiro escalão vai ser disputado por 24 clubes, organizados em duas séries de 12 equipas, nas quais os primeiros quatro avançam para a fase de subida e os restantes para a permanência. Sobem às competições profissionais os vencedores das duas séries da segunda fase, enquanto os segundos classificados vão disputar entre si o apuramento para o ‘play-off’ de acesso ao segundo escalão com o 16.º e antepenúltimo da II Liga.

Para o campeonato de sub-23, o Cova da Piedade, que foi excluída na segunda-feira da edição 2021/22 da II Liga, aguarda desfecho da contestação, enquanto o Alverca obteve licenciamento, sem, no entanto, preencher o requisito de disputar os escalões profissionais.

Neste processo iniciado durante a época 2020/21, 187 clubes apresentaram candidaturas a estas competições, tendo sido licenciados 126 emblemas, um número que inclui mesmo os que não detinham direito de desportivo de participar nelas.

c/LUSA

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome