Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Segunda-feira, Setembro 20, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Futsal feminino | CADE vence PCR e fica a um passo da subida à II divisão nacional (c/áudio e fotos)

CLUBE AMADOR DESPORTOS DO ENTRONCAMENTO 4 – PORTUGAL CULTURA E RECREIO 2
Taça Nacional Sénior Feminina de Futsal – Quartos de Final
Pavilhão Municipal do Entroncamento
25-06-2021

- Publicidade -

Com a Taça Nacional Sénior Feminina de Futsal a ser marcada para o Pavilhão Municipal do Entroncamento, a equipa campeã distrital de Santarém, o Clube Amador de Desportos do Entroncamento (CADE) está a jogar “em casa” nestes jogos de apuramento de subida a II divisão nacional.

Ou quase, já que a ausência de público continua a ser uma realidade e acaba por retirar favoritismo aos clubes anfitriões.

- Publicidade -

Pavilhão Municipal de Entroncamento.

Do adversário, o Portugal Cultura e Recreio, da Arrentela, na Margem Sul, pouco se sabia para além de ter sido vice campeã do Associação de Futebol de Setúbal e o facto de ter um treinador com muita experiência na formação no Sporting, Carlos Sardinha.

Muita qualidade na equipa de Carlos Sardinha.

Com as equipas a estudarem-se, foi o CADE a criar perigo logo no minuto inicial. A capitã Ana Silva, Patoska de nome de “guerra”, ganhou o esférico na sua defensiva, ganhou metro e na cara da guarda redes Liane optou por assistir uma colega que chegou um tudo nada atrasada.

Com a equipa da Margem Sul a equilibrar a partida, começou a perceber-se a importância da capitã Sofia Valente. Rematou com perigo e valeu o corte providencial de Patrícia Pereira para canto.

Pouco depois Patrícia subiu na quadra e serviu a sua colega Sofia Simplício num passe “de morte”. Sofia não conseguiu dominar o esférico e permitiu o contra golpe, novamente com Sofia Valente a obrigar a defensiva da casa a aplicar-se.

Capitã do CADE, Patoska, deu muito trabalho.

Com as equipas a alternarem no domínio territorial e posse de bola, as ocasiões de golos somaram-se em ambos os lados da quadra. Do lado do Portugal, Ana Rodrigues entrou para “partir a loiça” e teve o golo nos pés por diversas vezes.

Na equipa da casa foi a capitã Patoska quem teve a possibilidade de marcar, quer em iniciativas individuais quer a descobrir linhas de passe para assistir as colegas.

Com um ligeiro ascendente das visitantes, aos 11 minutos, Patoska voltou a fazer das suas e assistiu Cláudia Batista na perfeição que encostou para inaugurar o marcador.

CADE inaugurou o marcador aos onze minutos.

Com a equipa do distrito de Setúbal a serenar o jogo, tentando igualar o marcador, assistiu-se a boas iniciativas de parte a parte, com ambas as capitãs, Patoska e Sofia Valente, muito bem coadjuvadas por Cláudia Batista e Cristina Alves, nas da casa, e Ana Rodrigues ou Rute Botas, nas visitantes.

Apesar de alguns remates a propósito, o marcador não sofreu mexidas e o CADE foi para os balneários a vencer, justamente, pela diferença mínima.

Resultado aceitável ao intervalo.

Com o equilíbrio que se verificou no primeiro tempo, com a equipa do Entroncamento na liderança, havia a curiosidade de perceber como Carlos Sardinha iria dar a “volta ao texto”…

O Portugal Cultura e Recreio entrou forte e a dominar, com a capitã Sofia Valente a comandar as tropas e a ensaiar, quando lhe davam espaço, a sua boa meia distância.

Aos 24 minutos rematou de longe e a a sua “sósia”, capitã e número 10, Patoska, foi infeliz e desviou para a própria baliza, repondo o empate.

Remate desviado para a baliza repôs o empate.

A equipa de Paulo Capela entrou a “ver jogar” mas o golo teve o condão de trazer para o jogo a equipa do Entroncamento. Rapidamente se recompôs e Patoska voltou a ameaçar a baliza de Liane. O empate acabou por durar apenas três minutos…

Aos 27 minutos de jogo, numa rápida transição, Patoska serviu “de bandeja” Sofia Simplício que recolocou o CADE na liderança no marcador.

Boa resposta das jogadoras do Entroncamento.

O jogo entrou numa toada “louca” com ataques e contra ataques e adivinhavam-se mais golos.

À meia hora de jogo um remate de Sofia Valente ficou na defensiva da casa e permitiu o contra golpe. Joana Carmo não falhou e aumentou a contagem para 3-1.

Na reposição, a equipa da Margem Sul, numa jogada bem executada com o esférico a rodar à largura da quadra, permitiu a Cátia Rocha a reposição da margem mínima (3-2).

Jogo teve momentos de bom futsal.

Bem porfiaram as jogadoras do Portugal, com Rute Botas a permitir o corte para canto quando tinha tudo para marcar. Teimosamente a bola não encontrou o caminho para a baliza onde estava agora Mariana Piedade.

A jogar com a sua guarda redes, Liane, muito subida, qualquer perda de bola podia ser fatal para a equipa forasteira. Aos 34 minutos Patoska serviu Cláudia Batista que bisou na partida e fixou o resultado final a seis minutos do fim. Daí até ao apito final nada de novo aconteceu em termos de marcador e o CADE venceria de forma justa este desafio.

Apesar do valor das adversárias o CADE levou a melhor.

Consumou-se a vitória da equipa que teve a competência de obter mais golos. A equipa da Arrentela deixou boa impressão e a certeza do bom trabalho que está a ser feito no clube.

Arbitragem irrepreensível de Pedro Ramos e Nuno Brás, cronometrados por Wadmilson Costa. Numa organização perfeita da Federação Portuguesa de Futebol refere-se como nota negativa o não funcionamento do marcador do pavilhão com prejuízo de quem tem de relatar o jogo aos seus ouvintes ou leitores.

Boa arbitragem.

Nesta tarde de sábado, dia 26 de junho, pelas 18 horas, o CADE vai encontrar-se com o Modicus numa partida em que a vitória vale a subida à II Divisão Nacional de Futsal.

Ficha do jogo:

CLUBE AMADOR DE DESPORTOS DO ENTRONCAMENTO:
Filipa Alves, Patrícia Pereira, Joana Carmo, Sofia Simplício e Patoska.
Suplentes: Mariana Piedade, Cláudia Batista, Cristiana Alves, Dina Lourenço e Leonor Piedade.
Treinador: Paulo Capela.

Clube Amador de Desportos do Entroncamento.

PORTUGAL CULTURA E RECREIO:
Liane Silva, Sofia Valente, Alexandra Gaspar, Cátia Rocha e Rute Botas.
Suplentes: Danny, Ana Rodrigues e Ania Vitorino.
Treinador: Carlos Sardinha.

Portugal Cultura e Recreio.

GOLOS:
Cláudia Batista [2], Sofia Simplício e Joana Carmo (CADE); Ana Silva [a.g.] e Cátia Rocha (Portugal).

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Pedro Ramos e Nuno Brás.
Wadmilson Costa (cronometrista).

Equipa de Arbitragem: Pedro Ramos, Nuno Brás e Wadmilson Costa (cronometrista).

No final fomos ouvir os técnicos de ambas as equipas:

PAULO CAPELA (CADE)

Paulo Capela, treinador do CADE.

CARLOS SARDINHA (Portugal)

Carlos Sardinha, treinador do Portugal.

*Com David Belém Pereira (multimédia).

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome