- Publicidade -

Segunda-feira, Janeiro 24, 2022
- Publicidade -

Futsal | Eléctrico regressou às vitórias contra o Viseu e voltou ao pódio (c/fotos e áudio)

ELÉCTRICO FUTEBOL CLUBE 4 – VISEU 2001/ PALÁCIO DO GELO 1
Liga Placard – Campeonato da 1ªDivisão Nacional – 14ªjornada
Pavilhão Gimnodesportivo de Ponte de Sor – 18-12-2021

- Publicidade -

Perante bastante público, o Eléctrico recebeu no Pavilhão Gimnodesportivo de Ponte de Sor o Viseu 2001 para a primeira ronda da segunda volta da Liga Placard. Os visitantes, comandados pelo experiente Paulo Fernandes, atravessavam o seu melhor momento da época somando quatro jogos sem perder, apenas com um empate. Este bom desempenho guindou a equipa viseense ao nono posto classificativo com 14 pontos. Em sentido contrário o Eléctrico, depois duma série de quatro jogos a vencer, averbou duas derrotas, com o Quinta dos Lombos e em casa com o Braga, ambas pela diferença mínima.

Eléctrico recebeu Viseu em bom momento competitivo.

Estes desaires da equipa de João Freitas Pinto aumentavam a pressão e os pontos em disputa eram importantes para chegar ao terceiro posto, como o próprio admitiu na antevisão da partida. Paulo Fernandes, com um plantel valoroso mas curto, tinha mais uma contrariedade com a ausência de Mamadú Ture, castigado.

- Publicidade -

Logo que tocou a buzina para o início da partida, Daniel Airoso ameaçou a baliza viseense com um remate forte, perto do poste. O mesmo Daniel Airoso iria colocar à prova Marcelo Ferreira aos três minutos. O guarda redes, com uma enorme defesa, manteve o nulo.

Duelo entre Daniel Airoso e Marcelo Ferreira.

No Viseu 2001 emergia Daniel Ramos como figura de proa. O são-tomense, possante, catapultava a sua equipa para a frente, evitando a pressão alta dos alentejanos. Aos quatro minutos, em iniciativa individual, foi ganhando ressaltos, tirando adversários do caminho até se enquadrar com a baliza de André Correia, Rematou ao lado.

- Publicidade -

A resposta dos pontessorenses surgiu por Matheus que obrigou Marcelo Ferreira a nova defesa de elevado grau de exigência.

Matheus (7) importante na manobra dos alentejanos.

O Eléctrico era a equipa que mais procurava o golo e tinha momentos de pressão quase asfixiante obrigando os viseenses a muita concentração e eficácia defensiva. Aos sete minutos, Lukinhas rematou por alto e Célio Coque não fez melhor, rematando ao lado.

Célio Coque revelava-se o mais rematador da equipa da casa e aos nove minutos rematou forte obrigando Marcelo Ferreira a defesa apertada para canto. Na sequência da reposição de canto Célio Coque voltou a rematar perdendo-se o esférico para lá da linha de fundo.

Muito rematou Célio Coque.

Na resposta, o Viseu quase provocava surpresa em Ponte de Sor. Lukinhas, em boa iniciativa pelo lado esquerdo, tentou assistir Kiko no coração da área. Na cara de André Correia, Kiko falhou a emenda.

O Eléctrico, na sua procura do golo, não podia descurar a sua retaguarda. A meio do primeiro tempo Hugo Neves procurou servir Russo na área mas um corte oportuno do capitão viseense Pedro Peixoto fez toda a diferença.

Célio Coque sempre que se enquadrava com a baliza adversária rematava, sempre com muita força mas nem sempre com direção. Aconteceu ao minuto 11 para defesa de Marcelo Ferreira.

Grande exibição do guarda redes Marcelo Ferreira.

Ainda no mesmo minuto Hugo Neves tentou por duas vezes o remate com a bola ficar na defensiva visitante. Na ressaca Ygor Mota arriscou com a bola a passar longe do alvo.
Aos 12 minutos Daniel Airoso ensaiou o remate, a bola ganhou um efeito caprichoso e preparava-se para entrar na baliza de Marcelo. Valeu, na circunstância, o corte de Daniel Ramos em cima da linha.

Aos 13 minutos Daniel Airoso tentou de novo mas a bola saiu junto ao poste. Com um enorme caudal ofensivo, à equipa de Ponte de Sor apenas faltava um pouco de eficácia e muita paciência. Paulo Fernandes não gostava do que via e pediu uma pausa técnica.

Pausa técnica permite correções.

O cariz do jogo pouco ou nada se alterou. Só dava Eléctrico e Célio Coque na cobrança de um livre proporcionou a Marcelo Ferreira nova intervenção de valor. A equipa da casa continuava a desperdiçar ocasiões e aos 18 minutos Hugo Neves rematou ao lado e no minuto seguinte Ygor Mota encontrou Célio Coque em posição privilegiada mas este rematou por alto.

A 16 segundos para o descanso João Freitas Pinto pediu a sua pausa técnica, ensaiando a reposição lateral de que beneficiou. Bem trabalhada, permitiu o remate de Russo para defesa de Marcelo para canto. Na sequência do mesmo Célio dispôs da última oportunidade mas Marcelo voltou a estar bem e o empate persistiu. O acerto defensivo dos visitantes e o enorme desperdício dos alentejanos justificavam o nulo ao intervalo.

Nulo justificado ao intervalo.

O segundo tempo manteve a intenção atacante dos donos da casa perante a defesa porfiada dos homens da terra de Viriato. Logo no recomeço, John Lennon rematou forte, sendo o esférico desviado por um defesa. Aos 22 minutos Daniel Airoso voltou a rematar sem que a bola encontrasse a baliza adversária.

Até que, de tanto porfiar, a resistência do Viseu foi vencida. Matheus progrediu pela ala esquerda da quadra e assistiu Daniel Airoso que desta vez acertou mesmo e abriu a contagem. O Eléctrico ganhava a merecida vantagem no marcador.

Daniel Airoso quebrou a resistência viseense.

Logo no recomeço veio a resposta dos visitantes. Com André Correia a ter uma saída extemporânea da baliza numa reposição lateral, Lukinhas rematou para a baliza desguarnecida. A bola passou ao lado do poste.

Respondeu o Eléctrico através de Matheus que surgiu na esquerda em boa posição, sem marcação. Marcelo Ferreira voltou a brilhar. Voltaram a estabelecer “dialogo” no minuto seguinte e de novo o guarda redes venceu o duelo.

O guarda redes voltou a estar em foco, após ver o cartão amarelo, agarrou na área uma bola atrasada quando não o poderia fazer, impedindo um autogolo. Aos 25 minutos Daniel Airoso tocou para Matheus e este aumentou a vantagem dos alentejanos.

Matheus aumentou a vantagem dos alentejanos.

A perder por duas bolas de diferença, o Viseu 2001 tinha de fazer qualquer coisa. Aos 26 minutos Lukinhas quase chega ao golo mas desta vez foi a defesa da casa a mostrar competência e a afastar. Ainda dentro do mesmo minuto o capitão Pedro Peixoto fez falta “cirúrgica” e viu o amarelo.

Na conversão do livre Hugo Neves atirou à trave possibilitando aos viseenses contra atacar. Daniel Ramos, com apenas André Correia pela frente, rematou ao lado.

Daniel Ramos foi o mais inconformado dos viseenses.

Aos 28 minutos Daniel Ramos, o impulsionador da sua equipa para o ataque, rematou para defesa atenta de André Correia. Após João Freitas Pinto pedir pausa técnica, Matheus ensaiou um forte remate com mais uma boa defesa de Marcelo Ferreira. O cronómetro acusava a meia hora de jogo.

Pouco depois John Lennon ensaiou um “slalom”, tirando adversários do caminho e quando se enquadrou rematou de forma ineficaz, para fora. Quem não falhou foi Lukinhas aos 32 minutos. Assistido por Pedro Peixoto o brasileiro não falhou e assim o Viseu 2001 reentrou na discussão do resultado.

Viseu reduziu aos 32 minutos.

Célio Coque fez “falta útil” e viu o amarelo que pareceu “alaranjado”. Com sete minutos para jogar o Eléctrico fez a quinta falta, ficando com o espectro do livre direto a pairar.

Paulo Fernandes pediu a sua pausa e procedeu a ajustes. Entretanto Lukinhas bateu o livre diretamente para a baliza mas errou o alvo. Na resposta Hugo Neves rematou para mais uma enorme defesa de Marcelo Ferreira.

Viseenses cresceram na partida após o 2-1.

Voltaram a travar novo duelo no 35º minuto com resultado idêntico. Na resposta pronta Russo rematou sobre os ferros da baliza dos visitantes.

Entretanto, aos 37 minutos, John Lennon levou a cabo nova iniciativa individual e serviu Daniel Airoso para o 3-1 e o segundo golo da sua conta pessoal no jogo e oitavo na Liga.

O Eléctrico voltava a estar um pouco mais confortável na partida com nova vantagem de dois golos e apenas três minutos para jogar.

Eléctrico ficou cómodo com vantagem ampliada.

O Viseu apostou no 5X4 com o capitão Pedro Peixoto como guarda redes avançado. Teria a oportunidade de defender o remate de John Lennon impedindo o dilatar dos números no marcador.

Seria o guarda redes do Eléctrico a fixar o resultado final (4-1) ao marcar de baliza a baliza quando o Viseu estava totalmente balanceado no ataque.

Faltando um minuto para o final, o Viseu ainda iria beneficiar dum livre direto, obtido com a sexta falta dos pontessorenses. Rafa Stocker da marca dos dez metros rematou de forma a permitir a defesa de André Correia. Daniel Ramos ainda fez o remate de recarga mas André Correia defendeu.

André Correia esteve em bom plano e até marcou!!!

O Eléctrico apostou então no 5X4, com Russo como guarda redes, de forma a garantir a posse da bola. Kiko ainda rematou para a baliza deserta do Eléctrico mas Daniel Airoso, num último esforço, garantiu o resultado de 4-1.

O jogo terminou com uma justa vitória da equipa de Ponte de Sor com a resposta possível da equipa de Viseu. O Viseu 2001 manteve o nono lugar da classificação enquanto o Eléctrico ascendeu ao terceiro posto, partilhado com o Fundão. A equipa de Ponte de Sor joga na quarta feira, dia 22, o jogo em atraso com os Leões de Porto Salvo, como visitante.
Arbitragem irregular sem interferência no resultado.

Arbitragem irregular.

Ficha do jogo:

ELÉCTRICO FUTEBOL CLUBE:
André Correia, Ferrugem, Matheus, Daniel Airoso e John Lennon.
Suplentes: Diogo Basílio, Bruno Graça, Gustavo, Célio Coque, Ygor Mota, Russo e Hugo Neves.
Treinador: João Freitas Pinto.

Eléctrico Futebol Clube.

VISEU 2001/ PALÁCIO DO GELO:
Marcelo Ferreira, Pedro Peixoto, Lukinhas, Daniel Ramos e Rafa Stocker.
Suplentes: Thiago Soares, Côco, Fábio Neves, Amândio Ferreira, Kiko e Alexandre Lopes.
Treinador: Paulo Fernandes.

Viseu 2021/Palácio do Gelo.

GOLOS:
André Correia, Daniel Airoso [2] e Matheus (Eléctrico); Lukinhas (Viseu).

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Pedro Pereira e Wilson Soares (AF Aveiro).
Cronometrista: Gustavo Pereira (AF Porto).

Equipa de Arbitragem: Pedro Pereira e Wilson Soares com os capitães.

No final os dois técnicos falaram ao mediotejo.net:

JOÃO FREITAS PINTO (Eléctrico)

João Freitas Pinto, treinador do Eléctrico.

PAULO FERNANDES (Viseu 2001)

Paulo Fernandes-Treinador do Viseu 2001/Palácio do Gelo.

*Com David Belém Pereira (multimédia).

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome