Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Agosto 1, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Futebol/Inatel | São Miguel vence Marianos (3-1) e já sonha com a final

Equipas perfiladas cumprimentam o público

- Publicidade -

CASA DO POVO DE S. MIGUEL    3   –   A. C. R.  DE MARIANOS E MURTA   1

Campo de Jogos Farinha Pereira

- Publicidade -

Campeonato Distrital de Santarém do INATEL- Quartos de Final- Série 2
Campo de Jogos Farinha Pereira
S.Miguel do Rio Torto
06-05-2017

Equipa de arbitragem: Vitor Leitão, Fernando Elisbão e Sérgio Fontinha

Céu carregado de nuvens com o sol a espreitar de quando em vez, terreno em excelentes condições e uma moldura humana entusiástica. Eram estas as condições em S. Miguel do Rio Torto para um jogo que embalava o sonho do apuramento para as meias-finais desta série 2 do INATEL. Entrou de rompante a equipa do concelho de Abrantes com João Salgueiro, no minuto 2, a cabecear para defesa fácil do guarda redes contrário. No minuto seguinte é André Neves a rematar por cima proporcionando, na reposição, a primeira oportunidade de ataque ao Marianos com um enorme balão que acabou nas mãos de João Gomes.

Volvidos três minutos na sequência de centro remate que originou canto, que deu novo canto, apareceram dois jogadores da equipa da casa caídos na área, com Francisco Leitão a mandar jogar. Pareceu-nos bem. Ao minuto 9 um incrível falhanço de David Fontinha dá origem a canto. Na conversão deste castigo apareceu o defesa João António a dizer sim, de cabeça, a adiantar a sua equipa no marcador.

Este golo teve o condão de balancear o S. Miguel para o ataque e para uma imensidão de ocasiões para alcançar o golo da tranquilidade. E assim foi até aos 26 minutos quando a equipa de Fazendas de Almeirim cria algum perigo num livre direto que acabou nas luvas de João de João Gomes. Na resposta André Neves conduz o esférico pela direita e João Salgueiro, em boa posição, deixa-se antecipar.

Público brindado com bons momentos de futebol

Foi preciso esperar pelo minuto 38 para voltar a ver nova situação de perigo com Diogo Martins a falhar, de forma incrível, na cara do guarda redes. A primeira parte não acabaria sem que o Marianos e Murta dispusesse de boa ocasião para marcar. Livre frontal, à entrada da área, que acabou por sair por cima da baliza.
Com um resultado escasso, a penalizar a falta de eficácia do S. Miguel e a determinação defensiva do Marianos e Murta a ser premiada, se encaminharam as equipas para o merecido descanso.

Quando o meio campo do S. Miguel funciona o resultado aparece

Manuel Cabaço, treinador da equipa da casa, queria mais acutilância e retira do jogo David Fontinha para lançar o experiente Gonçalo Oliveira. Mais uma entrada a todo gás: decorridos 2 minutos já o guarda redes Hélio resolvia, a punhos, uma situação difícil. Daqui nasceu um canto que o mesmo Hélio resolveu à segunda.

De registar o papel ofensivo de Gonçalo Alves, defesa direito da casa que com arrancadas poderosas passou a ser mais uma dor de cabeça para a defensiva visitante. Pelo meio, golo anulado ao Marianos e Murta por flagrante fora de jogo. A angústia denotada pelo S. Miguel em resolver o jogo foi-lhe fatal.

André Neves tenta alvejar a baliza de Hélio

Em completo balanceamento ofensivo expôs-se a contra ataques rápidos dos quais viria a resultar o golo do empate com um magnífico chapéu de Mauro de muito longe. Estava resposta, no minuto 50, a igualdade e o Marianos ganhava alento para acreditar…
Mas a equipa da casa queria as meias finais e começou a asfixiar o Marianos numa teia bem urdida.

Duarte Lopes, em tarde de desacerto, visa a baliza sem exito

Empurrou o adversário para a sua área e obrigou-o a defesa porfiada da sua baliza.
Começou novamente o desperdício tendo no papel principal Duarte Lopes que só à sua conta teve uma mão cheia de remates sem nexo. Quem procura sempre alcança e o S. Miguel quis fazer jus ao ditado. Aos 67 minutos, os da casa ganham falta, pela direita, cruzamento bem arrancado por André Neves e, no meio duma enorme confusão, apareceu David Cabaço a faturar o segundo da sua equipa e a sossegar as hostes da casa.

No meio da confusão David Cabaço faz o segundo e mata o jogo

Só se pensava no termino do encontro quando Vitor Leitão manda que sejam cumpridos 5 minutos de compensação. No primeiro deles Gonçalo Oliveira, um jogador cheio de talento, dribla meio mundo e bate Hélio.

Uma excelente forma de pôr um ponto final num jogo emotivo em que a qualidade esteve ausente. Resultado justo, que peca por escasso a favor do S. Miguel com a resposta possível, mas digna do Marianos e Murta. Vai-se jogar no Farinha Pereira, em S. Miguel, uma das meias finais.

Assédio à baliza de Hélio foi uma constante

Vitor Leitão, árbitro do encontro, esteve em bom nível, bem auxiliado e com decisões acertadas. Ninguém complicou e os cartões ficaram no bolso. Boa arbitragem.

FICHA DO JOGO

Casa do Povo de S. Miguel

CASA DO POVO DE S. MIGUEL:
João Gomes, Gonçalo Alves (Zé Miguel), David Cabaço, João António, Manuel Gaio (José Gaio), João Salgueiro (Paulo Pereira), Rafael Coelho, André Neves, David Fontinha (Gonçalo Oliveira), Diogo Martins e Duarte Lopes (Jota).
Suplentes: Arsénio, Gonçalo Oliveira, José Gaio, Belarmino, Jota, Zé Miguel e Paulo Pereira.
A OPINIÃO DO Treinador – Manuel Cabaço:

 

A. C. R. Marianos e Murta

A. C. R.  DE MARIANOS E MURTA:
Hélio, Romão (Xavier), Miguel, Ricardo (Sarmento), Rui Marques, Ratinho, Mauro, João Pedro, Fábio, Adi e Ruby (José Luis).
Suplentes: Diogo, Sarmento, José Luis, José Faria, Xavier e Micael.
Treinador: Carlos Braulino.

A OPINIÃO DO CAPITÃO, Miguel Henriques:


GOLOS: João António, David Cabaço e Gonçalo Oliveira (S. Miguel); Mauro (M.Murta)

EQUIPA DE ARBITRAGEM: Vitor Leitão, Fernando Elisbão e Sérgio Fontinha.

 

 

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome