- Publicidade -

Terça-feira, Janeiro 18, 2022
- Publicidade -

Futebol/Inatel | Campeão Seiça apresenta-se mais forte e vence em Alvega sem contestação

ASS MELHORAMENTOS FREGUESIA ALVEGA 0 – GRUPO DESPORTIVO CULTURAL SEIÇA 4

- Publicidade -

Liga INATEL- Santarém (Grupo H-1ªfase-1ªjornada)

Campo de Jogos Dr. Armando Matafome em Portelas / Alvega – 08-10-2017

Campo de Jogos Dr. Armando Matafome – Alvega. Foto: mediotejo.net
- Publicidade -

Ainda bem fresca na memória colectiva, a recente vitória no Troféu Incup Abrantes 2017 (torneio de pré-época organizado pela Câmara Municipal de Abrantes) fazia antever uma formação de Alvega com a moral elevada, acrescida ao facto de defrontar logo a abrir a época oficial a equipa Campeã Nacional do INATEL em título, mas cedo se percebeu que no bem tratado pelado do Campo de Jogos Dr. Armando Matafome a história não iria ser bem assim.

Apesar da mudança na sua estrutura técnica, foi bastante perceptível o entrosamento dos atletas do concelho de Ourém que até poderiam jogar de olhos vendados, pois a forma de tratar a bola, os passes milimétricos, as trocas constantes de posições em campo mostraram que o trabalho de casa vinha muito bem preparado.

- Publicidade -

Os locais, quem sabe acusando algum cansaço da pré-época, iam fazendo o que podiam mas a sua resistência durou apenas 13 minutos quando Sário, de cabeça, inaugurou o marcador dando vantagem (já merecida) ao Seiça.

A formação da casa ainda esboçou uma ténue reação estando mesmo a cheirar o empate a meio do primeiro tempo quando Miguel Ângelo não soube aproveitar um pequeno deslize do guardião do Seiça, que não segurou um cruzamento bombeado, mas que acabou por salvar “in extremis” sobre a linha de golo.

Após uma breve pausa para hidratação, novamente Sário assustou a defensiva alveguense tendo desperdiçado o segundo tento da sua equipa e da sua conta pessoal, atirando por cima da trave quando tinha apenas Luís Matos pela frente.

A equipa liderada por Miguel Ângelo sentiu que as armas eram desiguais mas, sempre que pode (e enquanto pode) fazia valer algumas das suas peças mais relevantes. Foi o que aconteceu à passagem do minuto 31, com Pedro Kany, em jogada individual de belo recorte técnico, levou demais o seu esforço pecando na hora da finalização.

Mas os campeões nacionais tinham mais argumentos e, à passagem do 35º minuto, o irreverente Beco, lançado pelo flanco esquerdo do seu ataque, tabelou na perfeição com um colega, desmarcando-se e, na cara do guarda redes local, não descurou a possibilidade de fazer o segundo golo do Seiça, resultado com que se chegou ao intervalo.

A equipa que viajou dos arredores de Ourém fazia por merecer a vantagem e a segunda parte iniciou-se como a primeira com os campeões nacionais e evidenciarem maior capacidade técnica e com os locais a tentarem contrariar tal poderio. Porém o inevitável aconteceu com a obtenção do terceiro golo do Seiça, desta feita por JP aos 19 minutos da segunda parte, sentenciando a partida quanto ao vencedor dizia respeito.

A equipa de Seiça mostrou um bom trabalho de equipa em Alvega e bom futebol no arranque desta época. Foto: mediotejo.net

Com uma confortável vantagem de três golos e com apenas vinte minutos por jogar, o conjunto do Seiça “ofereceu” a iniciativa de jogo aos locais que, no espaço de quatro minutos (66 e 70) em jogadas quase tiradas a papel químico, perderam excelentes ocasiões para encurtar a distância do resultado.

Não o tendo conseguido, os alveguenses quebraram física a anímicamente e são novamente os forasteiros a marcar, agora pelo recém-entrado Octávio (primeiro toque na bola) que, de cabeça carimbou o resultado final já quase sobre o apito final de Pedro Paixão que, tal como os seus parceiros de equipa de arbitragem, passou ao lado da pena do repórter.

No final falamos com os treinadores de ambas as equipas que aceitaram a justiça do resultado.

FICHA DO JOGO

ASS. MELHORAMENTOS FREGUESIA ALVEGA:

Luís Matos, Luís Barão, Jorge Guerreiro (cap.), André Silva (David Peres), Luís Lourenço (Paulo Zink), Mário Cardoso (Duarte Rodrigues), António Santana, Miguel Ângelo (Pedro Rodrigues), Eduardo Catarrinho, Pedro Kany e Fábio Viegas.

Suplentes não utilizados: Nuno Costa (GR), Jorge Marques (GR) e Diogo Costa.

Treinador: Miguel Ângelo

GRUPO DESPORTIVO CULTURAL SEIÇA:

Tomé, Fabinho (Rui Reis), Reis (Lopes), Luís Ricardo, Renato, Évora, Rodrigo, Ângelo (cap), Luís Lopes (Octávio), Beco e Sário (JP).

Suplentes não utilizados: Teddy, Fuma e Filipe.

Treinador: Victor Rodrigues

GOLOS (Seiça): Sário (13”), Pedro Kany (31”), Beco (35”) e Octávio (76”).

EQUIPA DE ARBITRAGEM:

Pedro Paixão, Paulo Marques e Daniel Brites.

A grande “culpada” é uma velhinha máquina de escrever Royal esquecida lá por casa e que me “infectou” para uma vida que se revelou mais tarde não fazer sentido sem o jornalismo. O primeiro boletim da paróquia e o primeiro jornal da pequena aldeia onde frequentava a escola (tinha apenas 7 anos de idade) entranharam-me a alma (e o sangue) deste “vício” de escrever e comunicar. Seguiram-se os pequenos jornais de turma, os das escolas, os painéis informativos colocados nas paredes dos átrios e o dos escuteiros... e nunca mais o “vício” sarou. Ao longo da vida, foram vários e diversificados os ofícios exercidos profissionalmente, mas o “mar dos desejos” desaguava sempre numa folha de papel ou (mais tarde) num portátil de computador (e sempre com a máquina fotográfica como companhia). Já mais "a sério” e desde jornais regionais, rádios locais, periódicos nacionais e televisão (TVI), já são mais de 45 anos de um percurso “académico” de alguém que pouco se importa de não possuir um “canudo”.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome