PUB

Futebol | Vitória justa do Torreense em Mação por números exagerados (c/fotos e audio)

ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DE MAÇÃO 1 – SPORT CLUB UNIÃO TORREENSE 4
Campeonato de Portugal – Série C – 6ª jornada – 23-09-2018
Campo Agostinho Pereira Carreira – Mação

PUB

Mação recebeu um bom jogo do campeonato de Portugal.

Numa tarde de muito calor, mitigado pela rega abundante do sintético do Agostinho Pereira Carreira, encontraram-se duas equipas em posição distinta na classificação. O Torreense a “morder” os calcanhares aos da frente e o Mação, com o pecúlio de três pontos da jornada inaugural, a cair na zona que ninguém gosta.

PUB

Carente de pontos, a equipa da casa entrou disposta a discutir o jogo e olhou o adversário de frente. Repartiu o jogo e as oportunidades.

Jogo bem disputado, com bons momentos.

PUB

A primeira chamada para os guarda redes aconteceu ao oitavo minuto sob a forma de livre direto que Chico Sousa agarrou com segurança. Respondeu o Mação na jogada seguinte com um bom cruzamento para Sérgio, cortado por um defesa torrejano para os pés de Lucas que rematou de pronto. Na viagem o esférico apanhou um defensor resultando num canto.

Aos 12 minutos o possante avançado Camará, do Torreense, foi até à linha de fundo, cruzou para Rui Batalha que rematou de pronto fazendo o esférico passar muito perto da baliza de Chico Sousa.

Pouco depois, aos 15 minutos foi a vez do central Danilson acorrer a um livre batido do lado esquerdo. A cabeçada voltou a ameaçar a baliza maçaense. Aos 17 minutos o Mação dispôs de excelente oportunidade num cruzamento de Esteves para Lucas. Um dos centrais teve uma entrada faltosa e o livre, batido por Bruno Lemos, ficou na barreira.

Com o jogo repartido pelos dois meios campos, o maior ascendente era da equipa visitante. Aos 23 minutos volta a ameaçar a baliza à guarda de Chico Sousa num remate cruzado de Rui Batalha que saiu ligeiramente ao lado.

Foi necessário esperar mais dez minutos para ver o lateral Rui Burguete subir no terreno e cruzar com conta, peso e medida para a cabeça de Camará. O avançado, solto de marcação, fez o resto. Abriu o activo aos 33 minutos dando expressão numérica no marcador à maior acutilância da equipa de Torres Vedras.

Cabeçada de Camará abriu o activo.

O Mação, que até aí fora sustendo os ímpetos adversários, entrou numa fase de algum desnorte, permitindo ao Torreense algumas ocasiões para marcar. Aos 38 minutos, Hélio Vaz teve dois bons ensejos para marcar mas a bola saiu em ambos os momentos por cima.

A primeira parte terminou com um bom remate de Danilson, de longe, com boa direção mas demasiado alto. Pouco depois o árbitro albicastrense Luís Máximo ordenou o regresso aos balneários para o merecido descanso.

Litos disputa a bola nas alturas.

José Torcato, treinador do Mação, mexeu no xadrez da sua equipa, deixando o trinco Litos no banho lançando no jogo o criativo Tiago Vieira. Com as linhas mais subidas e com mais gente no ataque, o Mação teve uma excelente reentrada no encontro.

Sempre mais ofensiva, a equipa da casa passou a dispor de boas ocasiões para empatar a partida e aos 57 minutos, Bruno Lemos, de livre direto, aqueceu as luvas do guarda redes Hidalgo.

Bruno Lemos discute com Leo Morais a posse da bola.

Subiam com a propósito os laterais maçaenses e Araújo , à hora de jogo, cruzou para Tiago Vieira que rematou ao lado.

Aos 66 minutos foi a vez de Sérgio ser solicitado ao segundo poste criando muito perigo. Além do árbitro auxiliar ter assinalado posição irregular, Sérgio ficou a queixar-se de dores nos gémeos da perna direita.

Sérgio criou perigo e ficou queixoso.

Sérgio, recuperado da incapacidade temporária, voltou a estar em foco aos 71 minutos em violento pontapé, de zona frontal, com a bola a ganhar altura e a perder-se para lá da linha de fundo.

No minuto seguinte, na mesma zona, outro protagonista. Bruno Lemos voltou a testar a atenção de Hidalgo. Logo a seguir foi Glady, solicitado por Patrick, a obrigar o guarda redes visitante a trabalho esforçado.

Fase de assédio à baliza do Torreense.

Como “quem não marca, sofre”, o ascendente da equipa da Catedral do Presunto foi contrariada, à passagem do minuto 83, com uma incursão de Rui Batalha que, com um remate cruzado à saída de Chico Sousa, colocou o Torreense a vencer por dois golos de diferença.

Não baixaram os braços os da casa e, dois minutos depois, o veloz Patrick entrou em dribles na área e perante a “mancha” de Hidalgo rematou de pronto. A bola passou por baixo do guarda redes e encaminhou-se para a baliza onde a atrapalhação foi geral acabando o esférico por ultrapassar a linha de golo.

A faltarem cinco minutos para o final o jogo ganhava contornos de dramatismo.

Não é fácil travar Patrick.

E como em qualquer argumento de “suspense” foi ao cair do pano que tudo se clarificou.
Com a equipa de José Torcato “com a carne toda no assador” [Gonçalo Lélé havia saído para a entrada de João Marchão], foi a vez de outro “suplente” brilhar… Tomás Jorge, entrado à meia hora do complemento, resolveu “partir a loiça toda”…

Assistido por Camará deu o melhor destino ao esférico quando faltava um minuto para o “terminus” e logo a seguir, em cima do tempo regulamentar, num passe a rasgar o que restava da defensiva maçaense, deu a machadada final no encontro fixando o resultado.

Resultado esse que tem tanto de justo como de exagerado…os comandados de Rui Narciso foram a melhor equipa no relvado mas a boa segunda parte dos da casa merecia melhor sorte. Arbitragem sem problemas de Luís Máximo e seus pares.

O possante Camará deu trabalho à defesa do Mação.

FICHA DO JOGO:

ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DE MAÇÃO:
Chico Sousa, Simão Moreno, Gonçalo Lélé (João Marchão), Glady, Bruno Araújo, Esteves, Bruno Lemos, Litos (Tiago Vieira), Sérgio, Miguel Luz (Patrick) e Lucas Reis.
Suplentes não utilizados: Renan, Tenta Maeda, Bernardo e Luís Alves.
Treinador: José Torcato.

Associação Desportiva de Mação.

SPORT CLUB UNIÃO TORREENSE:
Nuno Hidalgo, Tomás Silva (Yang Ailong), Fábio Santos, Rui Burguete, Serifo Djalo, Bonifácio (Leo Morais),Rui Batalha, Hélio Vaz (Tomás Jorge), Camará, Danilson e André Perre.
Suplentes não utilizados: Deodato, Bruno Simões, Ivo Dias e Zhang Cheng.
Treinador: Rui Narciso.

Sport Club União Torreense.

GOLOS
0-1 (Camará, 33m), 0-2 (Rui Batalha, 83m), 1-2 (Patrick, 85m), 1-3 Tomás Jorge (89m) e 1-4 (Tomás Jorge, 90m).

ÁRBITRO
Luís Máximo (AF Castelo Branco)

Equipa de arbitragem, liderada por Luís Máximo com os capitães.

DISCIPLINA
Amarelos:
Tomás Silva (42m), Sérgio (45m), Rui Burguete (57m), Simão Moreno (62m) e Glady (77m)

No final fomos escutar ambos os treinadores:

José Torcato-Treinador ADMação.

Rui Narciso-Treinador do Torreense.

*Com David Belém Pereira (fotos).

PUB
PUB
Jorge Santiago
Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).