Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quarta-feira, Setembro 22, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Futebol | Vasco da Gama fecha época com torneio e instalação de novo campo

A Associação Desportiva, Recreativa e Cultural Vasco da Gama, na freguesia de Fátima, fechou a temporada de 2018-2019 com o Torneio inter organizações, no qual participaram 12 equipas amadoras regionais, tendo anunciado que as prioridades para a época desportiva 2019-2020 passam por “renovar e investir em instalações e equipamentos e manter a aposta na área do futebol de formação”.

- Publicidade -

Em nota de imprensa, o clube dá conta que a temporada de 2019-2020 “ficará marcada em termos associativos pela concretização de obras de construção e remodelação que abrirão outras possibilidades a atletas, associados e amigos”, tendo feito notar que no dia 22 de julho tiveram início as obras de instalação de um relvado sintético para Futebol 5 e Campo de Ténis, mesmo ao lado da sede do Vasco da Gama, um campo que servirá também para o sector da formação.

A obra, orçada em 54 mil euros e com prazo e execução de 45 dias, é comparticipada em 50% pelo Governo, em concreto pela CCDR/LVT.

- Publicidade -

A área da Formação foi a grande aposta da temporada que agora termina, tendo envolvido cerca de 250 crianças e jovens, dos quatro aos dezoito anos de idade, num total de 16 equipas, duas delas femininas, sob a orientação de duas dezenas de treinadores.

Para Hugo Almeida, coordenador do setor futebol de formação do clube, os objetivos iniciais a que se propôs há um ano atrás foram alcançados: “tivemos equipas com muita qualidade, organizámos e disputámos bons torneios, que resultaram em ótimas experiências desportivas e pessoais para os atletas”.

“Só vamos parar a formação durante o mês de agosto, os atletas e as famílias estão empenhados e a apreciar estes treinos em tempo de férias escolares”, afirma Hugo Almeida, para quem o incentivo dos pais aos filhos atletas e o apoio das famílias ao Vasco da Gama são os motivos principais para boa época que agora termina. Nesta temporada os atletas vieram de Fátima, Minde, Alcanena e Porto de Mós”, notou, tendo acrescentado que as inscrições para a nova época estão a decorrer.

Campo de jogos do Vasco da Gama, em Boleiros-Maxieira. Foto: VGADRC

“Conseguimos dar visibilidade à área da formação no Vasco da Gama, levámos as nossas equipas a torneios de 3 a 7 dias, em Braga, Mértola, Sesimbra e Pombal, com bons resultados e a conseguirmos fortalecer o espírito de equipa, isto para além dos bons torneios realizados em casa. Se não fossem os pais a dar-nos este voto de confiança e motivação não teríamos conseguido”, refere o coordenador, natural de Porto de Mós.

Ana Daniel Reis, há quatro anos a presidente da Assembleia-Geral da coletividade, citada na mesma nota informativa, mantém o sonho inicial desde que foi eleita: “Gostaria que os habitantes de Boleiros e Maxieira e também os das localidades vizinhas ao clube se aproximassem mais do Vasco da Gama, afinal de contas trabalhamos para a população”.

Fundada em fevereiro de 1981, a associação conta atualmente 110 sócios com quotas em dia e com “muitos amigos, que nos apoiam de forma recorrente”. “Temos mostrado trabalho e, a meu ver, isso contribui muito para a aceitação que temos tido. Para o próximo ano, terminada a instalação do Campo de Futebol 5 e de Ténis, queremos continuar o investimento nas estruturas e infraestruturas, nomeadamente na ampliação dos balneários, que pretendemos para curto prazo”.

Além do espaço-sede, com serviço de cafeteria/snack-bar, o Vasco da Gama tem acolhido ações de formação certificada, entre outras áreas, em Desporto, Agricultura e Artes Decorativas. Recentemente, o clube deu início à modalidade de Boccia Sénior, e já levou três equipas ao I Encontro de Boccia organizado pelo polo de Porto de Mós da CERCILEI.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome