PUB

Futebol | União de Leiria arrancou preciosa vitória em Cernache do Bonjardim (C/FOTOS e ÁUDIO)

GRUPO DESPORTIVO VITÓRIA DE SERNACHE 0 – UNIÃO DESPORTIVA DE LEIRIA 1
Campeonato de Portugal – Série E – 7ª jornada
Estádio Municipal Nuno Alvares Pereira – Cernache do Bonjardim
30-11-2020

PUB

No bem cuidado relvado do Municipal de Cernache do Bonjardim apresentou-se uma União de Leiria disposta a provar que a eliminação do primodivisionário Portimonense para a Taça de Portugal não foi um acidente de percurso.

Estádio Municipal Nuno Álvares Pereira em Sernache do Bonjardim.

PUB

Com um início de Campeonato bastante aquém do valor do plantel, com jogadores muito experientes na Liga profissional, casos de Helton (lesionado), Babanco ou Kuca, a União de Leiria apenas tinha averbada uma vitória e dois empates em quatro jogos disputados. O Vitória de Sernache, por sua vez, contabilizava nove pontos e estava encostado aos líderes.

Equipas com percursos diferentes.

PUB

O jogo prometia emoção e não defraudou as expectativas. Com os dois técnicos a mostrarem ter feito o “trabalho de casa”, as equipas encaixaram rapidamente e o futebol passou a ser feito de equilíbrios ao meio campo com lançamentos longos para as alas onde ambos os conjuntos apresentavam jogadores muito velozes.

Conquistada a linha de fundo, a missão seria servir as referências atacantes no centro da área. Equipas com ideias de jogo semelhantes, desde logo, na segurança defensiva.

Muita intensidade em busca dos pontos em jogo.

O primeiro sinal de perigo foi dado pela equipa da casa quando, aos oito minutos, Jair conseguiu cruzar da linha de fundo para o possante Sangaré que não conseguiu chegar primeiro que o guarda redes Fábio Ferreira, a titular na baliza leiriense por lesão do veterano Helton no jogo da Taça.

Sangaré, que se tem cotado como uma excelente aquisição do Vitória, vindo do União de Lamas no início da época, entrou na área do Leiria pelo lado esquerdo do seu ataque, tirou do caminho quem o tentou parar e o remate só parou nas malhas laterais. Estava dado um sério aviso…

O costamarfinense Balla Sangaré tem sido um jogador em foco no Sernache.

O início prometedor do Vitória de Sernache continuou e à passagem do quarto de hora. Ricardo Silva isolou-se, decidiu-se por um passe em profundidade que acabou nas luvas do guarda redes leiriense quando estava em posição privilegiada para rematar.

No minuto seguinte chegou finalmente a resposta da União de Leiria através dum cruzamento “venenoso” de Kaká que Grando cortou para canto.

Luís Grando (à esq.) foi um esteio da defensiva da casa.

Este lance marcou o fim do ascendente inicial da equipa da casa e o jogo passou a ser mais equilibrado jogando-se perto duma e doutra área.

Aos 21 minutos um cruzamento bem medido do lado esquerdo do ataque leiriense obrigou Vareiro a corte arriscado para canto. Na conversão, Badará correspondeu de cabeça valendo o guarda redes do Sernache, Dário, que tirou em cima da linha.

O possante Badará foi uma dor de cabeça para os defesas da casa.

O jogo estava vivo começando a inverter-se a tendência de domínio. A União de Leiria começava a dar sinais de controlar a partida, com o Vitória a espreitar uma oportunidade para lançar o contra golpe.

Aos 28 minutos, em rápida transição a equipa da casa tentou surpreender o seu opositor. Sangaré cabeceou para defesa do guarda redes Fábio Ferreira.

Com transições rápidas o Sernache tentou surpreender.

Já passavam dois minutos da meia hora de jogo quando Kuca, em zona frontal, executou um chapéu bem medido ao guarda redes Dário que estaria adiantado. O jovem guarda redes conseguiu recuar a tempo de sacudir, em parceria com um companheiro da defesa, em cima da linha fatal.

Jogo opôs duas boas equipas do Campeonato de Portugal

Pouco depois uma falta dura a meio campo fez “estalar o verniz” e armou-se um verdadeiro “sururu” com o árbitro a decidir-se, como é hábito nestes casos, um amarelo para cada lado.

Na circunstância os premiados foram Babanco, do Leiria, e Davi Maciel da equipa da casa.

“Sururu” valeu a amostragem do amarelo a Babanco e Davi Maciel.

Reposta a normalidade, aos 39 minutos, um remate expontâneo de Jair Silva passou muito longe do alvo pretendido.

Aos 42 minutos Renato Alexandre encetou um verdadeiro “raid” até à linha de fundo, passando por todos os que o tentaram travar. O cruzamento, arrancado em cima da linha, foi cortado de qualquer maneira pela defensiva do Vitória.

Jogou-se com intensidade no Municipar de Cernache do Bonjardim.

Antes do árbitro apitar para o descanso ainda houve tempo para Sangaré ensaiar a meia distância, descaído pelo lado esquerdo junto à lateral. O guarda redes da cidade do Liz resolveu e o árbitro Miguel Silva mandou tudo para os balneários para um merecido descanso

Bom jogo até aqui, com alternância no comando das operações. Com vários lances de bom futebol qualquer das equipas poderia ter concretizado no golo que animaria por certo a partida. Expectativas elevadas para o segundo tempo.

Muita expectativa para o segundo tempo.

No regresso ao rectângulo de jogo viu-se um União de Leiria mais forte, com mais bola, decidido a resolver as coisas a seu favor.

Logo aos 50 minutos um forte remate de Kuca obrigou o guarda redes Dário a defesa de elevado grau de dificuldade para a zona de tiro onde a recarga embateu na cortina defensiva da casa. Ficou o aviso…

Tentava o Vitória encontrar soluções para reagir quando, aos 56 minutos, o ganês Mohammed Iddriss foi cruzar à linha de fundo e colocou milimetricamente a bola na cabeça de Kuca que não se fez rogado e bateu o desamparado Dário.

O experiente Kuca fez o único golo da partida.

Reagiu mal ao golo a equipa de Cernache do Bonjardim…

O União de Leiria tomou conta da partida, conservando a bola, fazendo-a rodar e chegar às alas. Num período de maior pendor atacante poderia até ter ampliado a vantagem.
Logo a seguir ao golo, Iddriss, no coração da área, rematou forte para defesa incompleta do guarda redes da equipa beirã. A defensiva completou e afastou o perigo.

Sernache acusou o golo e o Leiria assenhorou-se do jogo.

O jogador ganês estava decidido a deixar o seu nome ligado à história do encontro.
Aos 69 minutos executou um remate quase perfeito, em zona frontal, à entrada da área.

A bola passou tangencialmente à base do poste. No minuto seguinte Badará proporcionou outra defesa enorme a Dário arrojando-se ao solo.

Nesta fase do jogo o guarda redes Dário foi muito solicitado.

Aos 72 minutos a equipa do Vitória de Sernache pareceu acordar da letargia instalada ao intervalo. Daí para a frente as melhores ocasiões de golo pertenceram-lhe.

Balla Sangaré rematou forte mas à figura de Fábio Ferreira que se aplicou para parar o disparo e neutralizar uma boa ocasião para empatar a partida.

Logo a seguir, Gustavo Gandra, entrado já durante o segundo tempo, caiu à entrada da área, mesmo junto ao risco. Exagerou nos protestos e saiu “amarelado” do lance.

Sangaré foi dos mais inconformados da equipa da casa.

Com o jogo a aproximar-se do final, aos 86 minutos, uma falta de Pedro Henriques, com direito a cartão amarelo, deu à equipa da casa novo ensejo para empatar. O livre, perigoso, batido por Ricardon Sousa, passou longe da baliza leiriense.

Após ter sido exibida a placa a conceder cinco minutos de compensação, novo livre, favorável ao Vitória, constituiu a derradeira oportunidade para o empate. A bola foi bombeada para a área com o guarda redes Fábio Ferreira a afastar com uma palmada.

Numa segunda vaga, Gustavo Gandra rematou para a baliza onde o guarda redes visitante se teve de aplicar e, com uma defesa difícil, manteve a inviolabilidade das suas redes.

Última oportunidade pertenceu à equipa da casa.

Pouco depois o árbitro Miguel Silva deu o jogo por terminado com uma saborosa vitória para as hostes leirienses. Foi um bom jogo, bem disputado entre dois bons conjuntos, e com fases de muita intensidade.

As oportunidades foram-se repartindo por ambas as balizas numa alternância no controle doa partida pelo que um empate talvez fosse o resultado mais justo.

Arbitragem sóbria do juiz de Lisboa, nunca se desconcentrou nos momentos mais “quentes”. Positiva.

Árbitro do encontro esteve bem mesmo nos momentos “quentes”.

Ficha do Jogo:

GRUPO DESPORTIVO VITÓRIA DE SERNACHE:

Dário Caetano, Vareiro, Davi Maciel, Luiz Grando, Ricardo Sousa, Eduardo Souza, Ricardo Silva (Bruno Falcão), Samuel Njoh (Gustavo Gandra), Jair Silva, Hugo Abreu (Luccas Marques) e Balla Sangaré.
Suplentes não utilizados: Ricardo Antunes, Diogo Petiz, Rodrigo Ferreira e Ayomide Akiode.
Treinador: Ricardo Nascimento.

Clube Desportivo Vitória de Sernache. Arquivo mediotej.net

UNIÃO DESPORTIVA DE LEIRIA:

Fábio Ferreira, João Dias, Victor Massaia, Diego Galo, Kaká, Babanco (Pedro Henriques), Mohamed Iddriss, Kikas, Renato Alexandre (Dénis Martins), Alioune Badará (Nilo) e Kuca (Lucas Ornellas).
Suplentes não utilizados: Filipe Semedo, Diogo Marques e Pedro Faustino.
Treinador: Hélder Pereira.

União Desportiva de Leiria.

GOLO: Kuca (U.Leiria)

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Miguel Silva, Tiago Fernandes e André Almeida (AFLisboa).

Equipa de Arbitragem: Miguel Silva, Tiago Fernandes e André Almeida (AFLisboa).

DISCIPLINA:
Cartão amarelo: Davi Maciel e Gustavo Gandra (Sernache), Babanco e Pedro Henriques (U.Leiria).

No final fomos ouvir ambos os treinadores:

Ricardo Nascimento, treinador do Sernache.

 

Hélder Pereira, treinador da União de Leiria.

*Com David Belém Pereira (multimédia).

PUB
PUB
Jorge Santiago
Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).