- Publicidade -

Futebol | União de Almeirim apostou na eficácia para vencer em Abrantes (C/fotos e áudio)

SPORT ABRANTES E BENFICA 0 – UNIÃO FUTEBOL CLUBE DE ALMEIRIM SAD 2
Campeonato Distrital da AFS – 1ª Divisão – 1ª jornada
Estádio Municipal – Abrantes
15-09-2019

- Publicidade -

Debaixo de um céu de chumbo a ameaçar tempestade, o Municipal de Abrantes recebeu os primeiros pontapés na bola na abertura duma nova época da 1ª divisão da Associação de Futebol de Santarém (AFS).

Municipal de Abrantes deu pontapé de saída no campeonato.

- Publicidade -

No relvado bem cuidado encontraram-se o Abrantes e Benfica, campeão em título da 2ª divisão, de regresso à divisão maior, e o União de Almeirim, candidato à subida aos nacionais.

União de Almeirim com argumentos que fazem dele candidato.

Perante um adversário muito bem apetrechado, os abrantinos faziam do fator casa o seu argumento. Defendendo com segurança, o SAB ia espreitando uma forma de servir os seu homens mais adiantados.

Os almeirinenses apresentaram-se de forma semelhante o que provocou algum equilíbrio na zona central do terreno. Com as equipas ainda a encaixarem, aos oito minutos Diogo Barrocas bateu um livre para a equipa da casa com o esférico a passar muito perto dos ferros da baliza à guarda de João Bernardo.

Abrantinos pouco eficazes.

A resposta do União não tardou e no minuto seguinte uma série de remates foram rechaçados pela defensiva do Abrantes até ao remate final de Persi, a valer um canto.

Foi preciso esperar pelo quarto de hora para voltar a ver uma das balizas ameaçadas. João Gomes, já dentro da área, arrancou um remate cruzado que não passou longe do poste mais distante de Joel.

Logo a seguir a equipa treinada por Seninho ganhou um livre e, de novo, Diogo Barrocas a levar muito perigo. O remate tenso foi cortado para canto.

Muita luta a meio campo.

Aos 18 minutos Filipe Pereira, pela esquerda, invadiu a área abrantina e rematou para magnífica defesa de Joel. Com as ocasiões a serem repartidas pelas duas áreas, Zé Pedro, aos 22 minutos, rematou forte contra um defensor, ganhando um canto.

Na sequência do mesmo, o guarda redes João Bernardo afastou com os punhos para uma zona onde estava Rocha que encheu o pé. O remate passou por cima do travessão. O jogo entrou numa fase de acalmia, jogando-se muito no meio campo, longe das balizas.

Assistiu-se a bons duelos individuais.

Aos 32 minutos Filipe Pereira repetiu o lance do minuto 18. Entrou na área, rematou e de novo Joel brilhou a grande altura. O União de Almeirim revelava-se mais acutilante nesta fase do jogo e um centro remate muito tenso obrigou o capitão Toni a ceder canto.

O União ameaçava e chegou mesmo ao golo à passagem dos 41 minutos num remate cruzado de João Gomes sem hipóteses para Joel.

Almeirim marcou aos 41 minutos.

A cinco minutos do descanso o Almeirim adiantava-se no marcador. A equipa de Abrantes não baixou os braços e no pouco tempo disponível ainda levou perigo à baliza adversária, já em tempo de desconto, numa cabeçada de Toni, na sequência de um livre.

Pouco depois o árbitro Diogo Marinho apitou para o descanso. O resultado ao intervalo era aceitável. Por aquilo que as equipas produziram o empate talvez fosse o resultado mais ajustado.

Vitória almeirinense ao intervalo penalizava o Abrantes.

Seninho confiava no onze que tinha em campo e não fez alterações. Apenas pedia mais eficácia aos seus jogadores. O União de Almeirim, a ganhar, entregou a iniciativa ao Benfica de Abrantes, espreitando uma oportunidade de matar o jogo.

Aos 54 minutos, um cruzamento do lado esquerdo do ataque abrantino encontrou Marcos Patrício em boa posição. O lance, dividido com um defesa, perdeu-se pela linha de fundo, originando um canto.

Pouco depois foi a vez de Rafa Silva assistir Marcos Patrício. O guarda redes João Bernardo antecipou-se e resolveu o lance.

Guarda redes João Bernardo com defesa atenta.

Na melhor fase do Abrantes, um livre aos 58 minutos levou muito perigo à baliza do Almeirim. A bola, penteada por Zé Pedro, encaminhou-se para Marcos Patrício. O guarda redes almeirinense voltou a chegar primeiro.

No minuto seguinte Paulito fez uma falta por trás, no meio campo e ficou queixoso do joelho direito sendo rendido por Hélio Ocante. Esta substituição forçada veio alargar a frente de ataque dos abrantinos.

Aos 65 minutos Bahia conseguiu ganhar a linha de fundo e cruzar para Persi. Joel resolveu com segurança.

Paulito fez falta, viu o amarelo e saiu lesionado.

Aos 72 minutos o Abrantes e Benfica teve a maior perdida do encontro. O guarda redes João Bernardo teve uma saída em falso, a bola sobrou para Zé Pedro que, com a baliza à mercê, rematou ao lado.

Como sabem os homens da bola “quem não mata, morre”. E foi mesmo o União de Almeirim a chegar ao golo da tranquilidade. Um cruzamento largo do lado direito do ataque veio encontrar João Gomes isolado ao segundo poste. Com uma cabeçada colocada bateu Joel e bisou no encontro aos 77 minutos.

João Gomes bisou no encontro.

Os pupilos de Seninho acusaram o golo e deram a possibilidade a Filipe Pereira brilhar. Por duas vezes ganhou a bola a meio campo e as cavalgadas só pararam na linha de fundo em cruzamentos e remates com bastante perigo.

Aos 85 minutos surgiu o lance polémico do encontro. Zé Pedro foi derrubado, pareceu já dentro da área, mas o árbitro Diogo Marinho decidiu-se por um livre em cima da linha de grande área.

Ficaram os muitos protestos dos da casa e o benefício da dúvida para a equipa de arbitragem. Quer o árbitro quer o auxiliar estavam muito perto do lance.
Na conversão Basílio encontrou a cabeça de Zé Pedro que rematou por cima.

Zé Pedro podia ter marcado mas teve tarde infeliz.

Aos 87 minutos João Gomes entrou em dribles na área, cruzou para uma zona onde não tinha companheiros gorando-se a jogada. Entretanto, esgotados os 90 minutos regulamentares subiu a placa a assinalar os cinco de compensação.

Na sequência de um canto Zé Pedro cabeceou por cima e no minuto seguinte foi Ocante a cabecear para as luvas do guarda redes. No segundo minuto de compensação Bahia serviu Tiago Martins que rematou contra Joel.

O jogo terminou com uma boa combinação entre os abrantinos que culminou com um remate de Hélio Ocante para defesa de João Bernardo.

Eficácia foi arma para a vitória.

Foi um jogo interessante, com bons executantes e vitória justa da equipa mais eficaz.
Antecipa-se, por aquilo que se viu, um campeonato interessante e muito competitivo.
Boa arbitragem, apesar das dúvidas na queda de Zé Pedro. Positivo.

Árbitro esteve sempre perto dos lances.

FICHA DO JOGO:

SPORT ABRANTES E BENFICA:
Joel Dias, Miguel Catarino, Toni, Diogo Mateus, Duarte Basílio, Diogo Rocha, Paulito (Hélio Ocante), Diogo Barrocas, Zé Pedro, Rafa Silva e Marcos Patrício.
Suplentes não utilizados: Canais, Roldão, Daniel, Damas, Rodrigo Carraceno e Miguel Vitor.
Treinador: Paulo Seninho.

Sport Abrantes e Benfica.

UNIÃO FUTEBOL CLUBE DE ALMEIRIM SAD:
João Bernardo, Palhoto, Júlio Pereira, Bernardo Oliveira, Jefferson, Bahia, Filipe Pereira, Luís Henrique (Tiago Martins), Persi, João Gomes e Conduto (Rafael Alturas).
Suplentes não utilizados: Diogo Sousa, Rui Simões, Nuno Lucas, João Pedro e Henrique Graça.
Treinador: Diogo Jesus.

União Futebol Clube de Almeirim.

GOLOS: João Gomes (2) (U.Almeirim).

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Diogo Marinho, Tiago Marinho e João Faria.

DISCIPLINA
Cartão amarelo: Diogo Mateus e Paulito (Abrantes); Luís Henrique, Filipe Pereira e Conduto (U.Almeirim).

Equipa de Arbitragem: Diogo Marinho, Tiago Marinho e João Faria com os capitães.

No final fomos ouvir os treinadores:

Paulo Seninho-Treinador do SAB.

 

Pedro António-Treinador do União de Almeirim.

*Com David Belém Pereira (fotos e áudio)

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).