Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quinta-feira, Outubro 28, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Futebol | TSU joga domingo com Eléctrico em jogo de treino

O Tramagal Sport União (TSU) joga no campo de jogos Comendador Eduardo Duarte Ferreira no domingo, dia 2 de setembro, às 17:00, com o Eléctrico de Ponte de Sôr, em jogo de preparação para a nova época desportiva. O TSU, equipa orientada por Rui Horta e com Carlos Soares como adjunto, iniciou na terça-feira, dia 28, a preparação para o campeonato distrital da II Divisão da AF Santarém.

- Publicidade -

Para além do jogo de dia 2, com o Eléctrico, o TSU joga novamente em casa no dia 5 de setembro, quarta-feira, às 20:00, com o Goleganense, no dia 9, às 17:00, com os juniores do União de Tomar, e, no dia 15, retribui a visita aos tomarenses. Nesse sábado, dia 15 de setembro, no Largo dos Combatentes, em Tramagal, à noite, será feita a apresentação pública do plantel para a nova época desportiva.

No dia 23 de setembro, o TSU promove um torneio triangular que vai contar com a participação da equipa do União de Tomar B e da equipa junior do CADE.

- Publicidade -

Até ao momento, o plantel do Tramagal é composto por 26 jogadores:

Francisco, Jaime, João Félix (ex-UDA), Tonicha, Condeixa, Diogo Tomás (ex-UDA), Diogo Veiga, Diogo Alfaro (ex-Atalaiense), Fábio Ferreira (ex-Casais de Revelhos), André Bernardes (ex-UDA), André Valente (ex-Aldeiense), João Ruivo (ex-Gavionenses), Daniel Marques, Marco Freitas (ex-Ferreira do Zêzere), Gonçalo Fernandes, Rui Costa, David Nunes, Tiago Marques (ex-Atalaiense), Diogo Calado, Pedro Barralé, Bruno Catarino, Carlos ‘Pisco’, Sérgio Singéis, Leandro Maia (ex-Atalaiense), Diogo Marçalo, e Dani Rodrigues (ex-Atalaiense).

Rui Horta é o treinador principal do TSU. Foto: mediotejo.net

*Informações para desporto@mediotejo.net

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome