Futebol | Três tiros certeiros de Tico afundaram a nau tramagalense (c/fotos e áudio)

TRAMAGAL SPORT UNIÃO 1 – CLUBE ATLÉTICO OURIENSE 3
Campeonato Distrital da AFS – 2ªDivisão – Série A – 3ª jornada
Campo Comendador Eduardo Duarte Ferreira em Tramagal
25-10-2020

O Tramagal Sport União regressou ao Comendador depois da derrota pesada na jornada inaugural e dum precioso ponto “arrancado” em Fátima.

Havia a expectativa de ver, perante uma equipa que regressou aos distritais após um ano sabático, se o mau resultado da primeira jornada teria sido um mero acidente de percurso.
Do Ouriense pouco se sabia para além de que se baseava na equipa de juniores com algumas aquisições de peso, vindas da União da Serra.

PUB

Comendador recebeu um bom jogo de campeonato.

A equipa da casa depressa se quis colocar a salvo de algum percalço e entrou a todo o gás. Logo no segundo minuto de jogo Grilo embalou pela ala esquerda e foi até à linha de fundo cruzar com boa conta para a entrada de Pedro Braz que chegou um nadinha atrasado. Estava dado o aviso.

Equipas muito jovens com veteranos de qualidade.

A resposta dos visitantes surgiu aos seis minutos, de bola parada, quando Tico sofreu falta junto ao bico da grande área do Tramagal pelo lado esquerdo. Dino foi encarregado da cobrança e enviou o esférico para fora, junto ao segundo poste.

Grilo (9) do Tramagal deu o primeiro sinal de perigo.

Com as equipas a encaixarem e a perceberem as respetivas estratégias passou-se a jogar em toada de equilíbrio, muito a meio campo, longe das balizas. As defesas iam anulando as poucas iniciativas dos ataques.

Aos 21 minutos o Ouriense conseguiu entrar na área adversária através de boa iniciativa de Dino que, à saída do guarda-redes João Mação, rematou para defesa de recurso. A bola sobrou para André Sousa que, embalado de trás, fez balançar as redes. Por indicação do auxiliar do lado da bancada o árbitro anulou o lance por posição irregular, num erro que penalizou a equipa de Ourém.

Golo mal anulado porquanto André Sousa vem de trás.

O Atlético ia ameaçando de bola parada já que tem no experiente Dino um exímio executante. Aos 25 minutos um livre bem direcionado encontrou a cabeça de Tico que cabeceou por cima.

No minuto seguinte, André Sousa tem um gesto muito feio quando tentou atingir Pedro Alves com o cotovelo, mesmo nas “barbas” do árbitro auxiliar, que não se terá apercebido. O próprio Pedro Alves se encarregou de serenar os ânimos. Pouco depois a equipa da casa executou uma rápida transição com Pedro Braz a conduzir o esférico. Já dentro da área um ressalto levou o esférico à mão dum defensor ouriense. O árbitro, bem posicionado, mandou jogar. Boa decisão.

Bom duelos a meio campo.

À passagem da meia hora Bernardo Barreiros embalou pela ala direita, ganhou a linha de fundo e cruzou para fora. Aos 32 minutos Dino escorregou na área tramagalense, esboçou um ténue protesto mas quem aproveitou para contra atacar foi o Tramagal sendo parada a iniciativa com ação faltosa. Do livre nada resultou.

Dois minutos depois Barreiros e David Nunes em tabelas sucessivas entram na área dos visitantes mas o esférico perdeu-se pela linha de fundo. Parecia melhor o Tramagal nesta fase do jogo.

Esse ligeiro ascendente foi materializado em golo. Numa reposição lateral, aos 35 minutos, David Nunes encheu o pé resultando num excelente golo que colocou a equipa da casa na frente do marcador.

Tramagal adiantou-se no marcador aos 35 minutos

Com dez minutos para jogar até o descanso muito ainda havia de suceder…
Aos 39 minutos Pedro Alves, de calcanhar, atrasou a bola na direção do guarda redes João Mação que apertado por um contrário acabou por agarrar num lance que gerou muitos protestos dos visitantes.

Pouco depois Dino respondeu de cabeça a um cruzamento bem medido ao segundo poste. Agitou as rede mas pelo lado de fora, dando a sensação de golo.

Dino ia marcando de cabeça perto do intervalo.

A um minuto do intervalo Pedro Braz fez falta atacante sobre o central Artur Oliveira e já nos descontos David Nunes, de “pé quente”, tentou a meia distância mas o esférico saiu ao lado da baliza à guarda de Tiago André.

O resultado ao intervalo, favorável aos “metalúrgicos” aceitava-se mas o empate talvez encaixasse melhor no que se passou nas quatro linhas.

Aceitava-se o resultado ao intervalo embora o empate fosse mais justo.

Vitor Rodrigues não estava a gostar do que ia vendo e aproveitou o descanso para fazer pequenos acertos. Apenas precisou de cinco minutos para ver a sua equipa, numa rápida transição para o ataque, chegar ao empate por Tico que, com um remate cruzado, bateu João Mação.

Reagiu bem a equipa da casa ao golo que empatou a partida e, encetando uma pressão alta junto da área dos visitantes, foi construindo várias hipóteses de remate que a defesa adversária foi resolvendo.

Aos 56 minutos Tiago Roma ganhou a linha de fundo e cruzou rasteiro para o “coração” da área onde se apresentou David Nunes, ligeiramente atrasado.

Equipas nunca abdicaram de procurar as balizas.

Com uma hora de jogo Frazão, o “benjamin” desta equipa do ouriense, com apenas 16 anos, cruzou tenso do lado esquerdo do seu ataque. Pedro Alves com uma abordagem deficiente quase introduzia o esférico na sua baliza. Foi o início duma série de cantos a favorecer os visitantes.

Aos 62 minutos uma falta feia dum defensor que viajou de Ourém proporcionou um livre em zona muito perigosa para a baliza de Tiago André. David Nunes atirou contra a barreira.

Dois minutos passados, aos 64, Tico tirou um adversário do caminho e de muito longe enquadrou-se com a baliza, rematou colocado, obtendo um golo de belo efeito.
O “bis” de Tico obteve a “remontada” e colocou o Atlético Ouriense na frente do marcador.

Tico cotou-se como o melhor jogador em campo marcando por três vezes.

Júlio Batista mexeu no seu onze lançando Pisco no jogo num regresso após lesão. E foi mesmo Pisco a agitar o jogo aos 68 minutos. Isolou-se e na cara de Tiago André tentou fazer-lhe um “chapéu”. Atento, o guarda redes conseguiu defender com uma “sapatada” para fora.

O Tramagal estava inconformado e no minuto seguinte Grilo cruzou para dentro da área onde um defensor ouriense terá jogado com a mão. As reclamações dos “azuis” não demoveram o árbitro que mandou jogar. Mais um lance a deixar dúvidas.

Não faltaram lances polémicos para “apimentar” um jogo bastante correto.

David Nunes já havia marcado no primeiro tempo e assumia as bolas paradas da sua equipa. Aos 71 minutos, na cobrança dum livre, fez a bola passar muito perto da baliza dos contrários.

Aos 76 minutos o Ouriense conta atacou com muita velocidade. Pedro Alves fez um atraso temerário para o seu guarda redes, testando os nervos da restante equipa.

Pisco era agora a referência no ataque do Tramagal e com a sua velocidade ia fazendo estragos na defensiva de Ourém. Aos 77 minutos, de novo na cara de Tiago André, voltou a não conseguir ultrapassar o guarda redes que, a dois tempos, colocou o esférico para lá das quatro linhas.

Lutou-se muito pelos pontos.

Com o tempo regulamentar esgotado subiu a placa com o algarismo “quatro”, tantos quantos os minutos de compensação.

E no primeiro deles Tico voltou a fazer das suas. Aproveitando a lentidão da defensiva tramagalense em afastar a bola fez o “hat trick” e sentenciou a partida, selando o resultado final. Foi de facto o “Homem do Jogo”.

Tico, com um jogo soberbo e três golos, afundou a esquadra tramagalense.

O resultado, pesado para a equipa de Júlio Batista, a claudicar de novo em casa, aceita-se pela eficácia ofensiva do Ouriense, uma equipa muito jovem mesclada de alguns veteranos, de resto, semelhante à equipa da casa.

Os reforços apresentados pelos “azuis” mostraram valor mas falta muito trabalho defensivo já que a equipa da casa apresenta, estranhamente, a defesa mais batida da Série A.
A equipa de arbitragem teve uma tarde de pouco acerto com erros importantes sendo o mais gritante o golo anulado ao Ouriense. É um jovem e precisa dum período de crescimento. Uma boa oportunidade de melhoria…

Equipa de arbitragem com erros

Ficha do jogo:

TRAMAGAL SPORT UNIÃO:
João Mação, André Miguel (Tiago Gonçalves), João Baião, Pedro Alves, Gonçalo Fernandes, Francisco Oliveira, David Nunes, Tiago Rosa , Bernardo Barreiros (David Matias), Pedro Bráz (Pisco) e Gonçalo Grilo.
Suplentes não utilizados: João Serafim, Tiago Vital, Luís Godinho e José Garcia.
Treinador: Júlio Batista.

Tramagal Sport União.

CLUBE ATLÉTICO OURIENSE:
Tiago André, Nuno Ricardo, João Batista, Artur Oliveira, Frazão, Guilherme Sousa (João Vieira), Renato Gil, Dino, André Sousa (Diogo Reis), Diogo Gameiro e Rui Tico.
Suplentes não utilizados: Palaio, Henrique, Rúben Filipe, Lucas Marques e Kaká.
Treinador: Vitor Rodrigues.

Clube Atlético Ouriense.

GOLOS: David Nunes (Tramagal) e Rui Tico [3] (Ouriense)

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
João Perdigão, Pedro Serra e Ricardo Mendes.

Equipa de arbitrgem: João Perdigão, Pedro Serra e Ricardo Mendes com os capitães.

No final fomos escutar os treinadores de ambas as equipas:

Júlio Batista-Treinador do Tramagal Sport União.

Vitor Rodrigues, treinador do CA Ouriense.

 

PUB
Jorge Santiago
Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).