- Publicidade -

Segunda-feira, Dezembro 6, 2021
- Publicidade -

Futebol | Tramagal lutador sofre primeira derrota no campeonato perante líder Moçarriense (c/fotos e áudio)

TRAMAGAL SPORT UNIÃO 0 CENTRO DE CULTURA, RECREIO E DESPORTO MOÇARRIENSE 3

- Publicidade -

Campeonato Distrital da AFS – 2ª Divisão – Série C – 5ªjornada

Estádio Comendador Eduardo Duarte Ferreira – Tramagal – 14-11-2021

- Publicidade -

A equipa da Moçarria chegou ao Comendador num tranquilo primeiro lugar da Série, contando por vitórias os quatro jogos disputados. O Tramagal Sport União (TSU), com um inicio de época algo irregular, com muitos impedimentos físicos, contava com este jogo para um regresso aos resultados positivos.

Cumpriu-se um minuto de silêncio pelo sócio nº1 do Tramagal.

O muito público presente, como é habitual no Comendador, tinha a expectativa de assistir a uma boa partida de futebol, com um relvado em excelentes condições e uma tarde soalheira. Cumpriu-se um minuto de silêncio pela partida do sócio nº 1 do TSU.

Moçarriense entrou muito forte na partida.

Mal Rui Ferreira apitou para o início da partida percebeu-se a postura atacante dos visitantes, a quererem resolver cedo a contenda, mantendo a invencibilidade.

Com os donos da casa a procurarem acertar marcações, aos cinco minutos, uma bola lançada nas costas da defensiva azul permitiu a Rodrigo um remate cruzado a que se opôs João Félix, desviando para canto.

Foi o primeiro sinal de aviso e pouco depois o mesmo jogador, na cobrança dum livre, rematou forte obrigando o guarda redes a usar os punhos.

Tramagal defendeu bem, espreitando o contra golpe.

A equipa de Nuno Guerra era a que tinha mais bola e criava mais e melhores condições para marcar. O conjunto da vila “metalúrgica” não conseguia fazer jogar as suas referências atacantes, tendo muitas dificuldades logo na primeira fase de construção. Disso tirava partido a equipa da Moçarria.

Aos nove minutos, um novo livre do lado direito do ataque visitante levou o esférico à cabeça de Telmo que a fez sobrevoar o travessão. Pouco depois Telmo voltou a surgir na zona de tiro mas foi desarmado por Tiago Damas.

Sucessão de livres iam enervando o banco dos “azuis”.

O minuto 13 ia sendo fatídico para as aspirações dos forasteiros. Na primeira subida consistente dos tramagalenses à área adversária, Tiago Damas pareceu ser rasteirado.

Pediu-se grande penalidade mas a equipa de arbitragem mandou prosseguir o jogo. Com o desafio a ganhar algum equilíbrio, tentando a equipa da casa empurrar o adversário para longe da sua área, David tentou surpreender da meia distância. João Félix estava atento e resolveu com defesa segura.

Aos 20 minutos Ricardo deixou-se cair na área, simulando uma grande penalidade. Rui Ferreira nada assinalou nem teve qualquer ação disciplinar.

Tramagal conseguiu equilibrar a contenda.

Aos 25 minutos o Tramagal dispôs da melhor ocasião de golo. Barreiros entrou na área com a bola dominada, não assumiu o remate endossando o esférico a David Nunes na direita. Algo desenquadrado acabou desarmado pela defensiva contrária.

Cada vez que a auxiliar do lado da bancada assinalava uma falta para os visitantes o banco do Tramagal ficava à beira dum ataque de nervos, tal a frequência com que se sucedia.

Assim foi aos 28 minutos. O livre junto ao banco foi muito bem cobrado obrigando o guarda redes da casa a subir nas alturas para agarrar com segurança.

Moçarriense conduz ataque promissor.

Os minutos finais do primeiro tempo foram jogados sobre o meio campo em toada de equilíbrio, começando a verificar-se maior facilidade dos pupilos de Pedro Varino em ensaiar jogadas que, mesmo sem levar grande perigo, eram do agrado dos seus adeptos.

Em resultado disso mesmo, numa boa ação ofensiva, David Nunes rematou à trave da baliza de Diogo Carmo à passagem do minuto 38. Galvanizados, os “azuis”, começaram a ameaçar e Grilo poderia ter levado a sua equipa a vencer para o descanso. Uma enorme defesa do guarda redes visitante evitou que assim fosse.

Pouco depois Rui Ferreira apitou para o intervalo com um empate aceitável, que poderia ser com golos.

O empate com golos seria o resultado certo no descanso.

Para o complemento Nuno Guerra lançou o brasileiro Darlan no lugar de Rodrigo, voltando os visitantes a entrar melhor na partida. Aos 53 minutos, uma cabeçada de Simão obrigou João Félix a um enorme voo defendendo um remate com o selo de golo. O guarda redes embateu no poste com violência e ficou momentaneamente incapacitado.

Aos 56 minutos o Moçarriense chegou ao tão procurado golo. Na conversão dum pontapé de canto, Patrício saltou mais alto que toda a gente e cabeceou para o fundo das redes.

Golo de Patrício abriu o ativo.

Estava aberto o marcador e à equipa de Tramagal corria agora atrás do prejuízo. Aos 59 minutos Grilo caiu na área e reclamou-se, de novo, ação faltosa dum defensor forasteiro.
Mais uma vez Rui Ferreira não atendeu e mandou jogar.

Do outro lado do campo, minutos depois, novo livre para o Moçarriense proporcionou a David a cabeçada mas a defensiva da casa resolveu a contento. Aos 68 minutos foi a vez do banco dos visitantes encetar um coro de protestos.

Um golo obtido de forma irregular foi anulado pelo árbitro principal, enquanto a auxiliar do lado do peão lhe dava a sinalética de golo válido, correndo para o centro do terreno. Prevaleceu o juízo de Rui Ferreira e o resultado não se alterou.

Fase interessante do jogo.

Passado o susto os donos da casa tiveram dois bons momentos. Aos 72 minutos, na conversão dum canto, Thiago esteve perto de marcar e aos 81, na sequência dum livre, Francisco Oliveira cabeceou para a trave. Os ferros a terem papel de destaque no jogo…

Na resposta, o Moçarriense ganhou uma falta e Rafa perdeu o duelo na área com o experiente Rui Costa. No minuto seguinte um atraso defeituoso para o guarda redes tramagalense obrigou-o a sair da sua área e a jogar com os pés. A bola rematada contra Barrela sobrou para David que se limitou a empurrar o esférico para a baliza deserta.

Erros permitiram o avolumar do resultado.

Este golo foi um verdadeiro “hara-kiri” da equipa de Tramagal. Um lance infeliz deixava os adversários bastante mais cómodos na partida com poucos minutos para jogar.

Já no segundo minuto dos descontos, novo atraso “à queima” voltou a criar dificuldades a João Félix que rasteirou Ricardo. Apesar do lance parecer fora da área Rui Ferreira optou por assinalar grande penalidade, mostrando o cartão amarelo a Félix, poupando-o à exclusão da partida. Da marca dos onze metros Ricardo não vacilou e fixou o resultado.

João Félix obrigado a derrubar Ricardo.

Pouco depois Rui Ferreira mandava toda a gente para o banho e uma sensação de frustração invadiu o Comendador. O resultado é demasiado pesado para o clube anfitrião. Os erros ditaram o avolumar do marcador mas não tiram mérito à vitória do Moçarriense que segue invicto com os olhos postos na subida.

A equipa de arbitragem, liderada por Rui Ferreira, vale bem mais do que aquilo que mostrou nesta tarde. Demasiados equívocos, uma necessidade de protagonismo das auxiliares, a quem já vimos bons registos, fizeram da equipa de arbitragem a menos boa em campo. Acreditamos que foi apenas um dia mau…

Demasiados equívocos em jogo correto.

Ficha do Jogo:

TRAMAGAL SPORT UNIÃO:
João Félix, André Miguel, Francisco Oliveira, Edgar (Singéis), Tiago Damas (Pika), Rui Costa, Thiago (Pisco), Giovane, Grilo, Barreiros (Calado) e David Nunes.
Suplentes não utilizados: João Peixoto, Ricardo Félix e Rui Leal.
Treinador: Pedro Varino.

Tramagal Sport União.

CENTRO DE CULTURA, RECREIO E DESPORTO MOÇARRIENSE:
Diogo Carmo, Tiago Vitoriano, Telmo, Patrício, Rafa, Ricardo, Rodrigo (França), Fred, Pascoal (Darlan), David (Diogo) e Simão.
Suplentes não utilizados: Fred, Barrela, Rúben e Miguel.
Treinador: Nuno Guerra.

CCRD Moçarriense.

GOLOS: Patrício, Ricardo [g.p.] e David (Moçarriense).

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Rui Ferreira, Ana Batista e Maria Batista.

Equipa de Arbitragem: Rui Ferreira, Ana Batista e Maria Batista com os capitães.

No final fomos ouvir ambos os técnicos:

PEDRO VARINO (Tramagal):

Pedro Varino-Treinador do Tramagal.

NUNO GUERRA (Moçarriense)

Nuno Guerra-Treinador do Moçarriense.

*Com David Belém Pereira (multimédia)

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome