Futebol/Taça do Ribatejo| Golo solitário de Calado deu vitória ao Tramagal sobre a Ortiga (C/fotos e audio)

TRAMAGAL SPORT UNIÃO 1 – LIGA REGIONAL DE MELHORAMENTOS DA ORTIGA 0
Taça do Ribatejo – Grupo 3 – 2ª jornada
Campo Comendador Eduardo Duarte Ferreira
Tramagal
01-11-2018

PUB

O Comendador recebeu a festa da Taça.

No Comendador, numa tarde fria de outono, voltaram a defrontar-se duas equipas que tinham estado frente a frente, no mesmo palco, apenas quatro dias antes. Para o campeonato, a vitória sorriu à equipa da Ortiga e havia o interesse em ver como seria a reação dos comandados de Rui Horta em busca de um resultado que lhe fosse favorável.
Com as equipas a acumularem cansaço e com muitas lesões os técnicos procederam a alterações nos onzes iniciais. O resultado foi favorável à equipa do Tramagal, que mantém aspirações a seguir em frente na prova rainha da AF Santarém.

PUB

Equipas com baixo índice atlético levou a muitas interrupções.

Com as equipas bem encaixadas desde o apito inicial cedo se percebeu que ambas queriam ter a posse da bola e que iriam apostar em transições seguras. Começou melhor a equipa da casa e logo no segundo minuto Gonçalo Fernandes assistiu Marques que proporcionou a Hélder uma enorme defesa.

PUB

O aviso estava dado e a equipa de José Carlos passou a ter muitas cautelas defensivas, fazendo rodar a bola numa primeira fase de construção. Na zona onde se definem os lances fatais o acerto era menor e proporcionava ao Tramagal perigosas e rápidas transições ofensivas. Numa delas, aos 16 minutos, Danny ultrapassou o guarda redes Hélder e valeu, na circunstância, um defensor.

No minuto seguinte um livre de Gonçalo Fernandes “tirou tinta” ao poste esquerdo da baliza da equipa do concelho de Mação. Aos 23 minutos o Tramagal reiterava o seu ascendente com um remate de Rui Costa a levar muito perigo ao extremo reduto dos “verdes”.

Danny salta mais alto que Daniel Barão.

A equipa da Liga Regional, em missão de sacrifício para tapar as investidas contrárias, pouco se viu em situações de perigo junto à baliza tramagalense. Até que aos 28 minutos o capitão Falua cruzou para Pauleta e este fazendo jus ao nome arrancou forte cabeçada que só a enorme qualidade do guarda redes Chico Ferreira permitiu o desvio para canto.

Na sequência do canto, batido de forma direta, a bola embateu com estrondo na trave e o guarda redes completou o alívio pela lateral. O perigo rondou a baliza dos “metalúrgicos”.
Como “quem não marca, sofre” no lance seguinte Danny, em velocidade, rompeu pelo flanco direito e em boa posição para disparar optou por assistir Diogo Calado que, em corrida pela zona central, rematou na passada abrindo o marcador.

Danny assistiu Calado para o único golo da partida.

Na bola de saída o Tramagal recuperou o esférico e lançou o lateral André Miguel que no bico direito da grande área desferiu forte remate que Hélder defendeu com dificuldade.
O golo teve o condão de “abrir” o jogo e a equipa da Ortiga começou a aparecer com mais frequência em terrenos ofensivos.

Aos 35 minutos Daniel Barão cruzou para Pauleta, a referência no ataque dos forasteiros e este, ao segundo poste, voltou a testar Chico Ferreira. Na resposta Gonçalo Fernandes, de livre direto; levou a bola a embater na barreira. No remate de ressaca Calado disparou por alto.

Logo no minuto seguinte Danny voltou a criar perigo dentro da área da Ortiga, com dois defesas a serem pouco velozes a esconjurar o perigo. Valeu a atenção do guarda redes Hélder.

Aos 42 minutos, já com as equipas ansiosas pela chegada do descanso, na sequência de um canto, Danny cabeceou ao lado. Já em tempo de compensação João Marcão ensaiou forte remate de muito longe. O esférico ganhou altura e cruzou a linha de fundo por alto.
Pouco depois o árbitro João Lamas deu por terminado o primeiro tempo.

As equipas recolheram aos balneários e nas bancadas a festa da Taça prosseguiu. A equipa da casa vencia e justificava o resultado.

Capitão Gonçalo Francisco apoia a sua defensiva.

Rui Horta queria um segundo tempo com mais golos e para isso deixou Marques no banho e lançou no jogo o veloz Pisco. O jogo foi reiniciado em toada de equilíbrio, passando muito pelo meio campo e teve momentos de alguma dureza devidamente sancionados.
Jogava-se longe das balizas e apenas ao quarto de hora da segunda parte Pisco ensaiou um remate de muito longe. Passou ao lado da baliza de Hélder.

Pisco tenta alvejar a baliza de Helder.

No minuto seguinte André Miguel, em funções ofensivas, cruzou e o guarda redes Hélder cedeu canto. Na marcação do canto Pisco enviou a bola diretamente à trave.
À passagem do 25ºminuto a defesa dos “azuis” não foi rápida a afastar o esférico e um pontapé de ressaca à entrada da área voltou a pôr Chico Ferreira à prova.

A Ortiga tentava chegar ao empate mas o Tramagal esteve mais perto de ampliar a vantagem. Aos 29 minutos Pisco arrancou um cruzamento bem medido que encontrou Danny em boa posição. A cabeçada passou sobre a trave.

A Ortiga, através de Pauleta, volta a testar o guarda redes da casa com um bom remate de meia distância.

Alfaro protege o esférico de Pauleta.

Para o minuto 35 estava guardado o momento “quente” deste jogo morno.
Após uma falta no meio campo, sancionada por João Lamas, o treinador José Carlos recebeu ordem para abandonar o banco e Miguel Lourenço viu o cartão vermelho na condição de suplente.

O futebol acabou aí e as equipas arrastaram-se até ao apito final sem grandes motivos de registo. Excepção para um remate cruzado de Pauleta que obrigou Chico Ferreira a defesa de elevado grau de dificuldade já em tempo de compensação.

Ortiga no ataque.

Pouco depois o juiz da partida deu por findo um jogo muito disputado, nem sempre bem jogado, com um vencedor justo. Boa réplica da Ortiga que, com a onda de lesões debelada e com alguns processos administrativos resolvidos, pode vir a ser um “outsider” de peso neste campeonato e na própria Taça do Ribatejo. Na próxima jornada, dia 25 de novembro, a Ortiga desloca-se ao campo do União de Tomar ao passo que o Tramagal recebe o União de Santarém. Das quatro equipas, duas vão ser apuradas para a fase a eliminar da competição.

Árbitro João Lamas esteve sempre perto dos lances.

Regista-se com apreço o apoio incondicional da massa adepta da equipa da casa.
Arbitragem positiva de João Lamas e seus auxiliares. Deixaram jogar no limite e usaram os cartões com parcimónia. No pontapés da marca da grande penalidade, como manda o regulamento da Taça do Ribatejo, o Tramagal voltou a vencer, desta feita por 3-1.

Tramagal também venceu nas grandes penalidades por 3-1.

FICHA DO JOGO

TRAMAGAL SPORT UNIÃO:
Chico Ferreira, André Miguel, Rui Leal, Alfaro, André Valente, Freitas, Gonçalo Fernandes, Diogo Calado, Rui Costa (Monteirinho), Marques (Pisco) e Danny (Singéis).
Suplentes não utilizados: Jaime, Tonicha, Condeixa e Bráz.
Treinador: Rui Horta.

Tramagal Sport União.

LIGA REGIONAL DE MELHORAMENTOS DA ORTIGA:
Hélder, Filipe Falua, Rui Dias, André Moleiro, Pauleta, Carlos Aleixo, João Matos, João Marcão, Daniel Barão, Francisco Veiga (Fernando) e Nuno Mariquitos.
Suplentes não utilizados: Mário Martins, Miguel Lourenço, Pedro Afonso, Pedro Louro, Vasco Dias e Leandro.
Treinador José Carlos.

Liga Regional de Melhoramentos de Ortiga.

GOLO:
Diogo Calado (Tramagal).

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
João Lamas, Leonel Manha e Pedro Cadete.

Equipa de Arbitragem: João Lamas, Leonel Manha e Pedro Cadete com os capitães de equipa.

DISCIPLINA
Cartão amarelo: Gonçalo Fernandes, Diogo Calado e Marques (Tramagal); João Marcão e Fernando (Ortiga)
Cartão vermelho: Miguel Lourenço (Ortiga)

No final fomos falar com ambos os treinadores:

Rui Horta, treinador do Tramagal .

 

José Carlos-Treinador da LRM Ortiga.

PUB
Jorge Santiago
Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).