PUB

Futebol/Taça do Ribatejo | Golo nos descontos evitou derrota do Mação na recepção aos “Caixeiros” (c/fotos/audio)

ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DE MAÇÃO 2 – GRUPO DE FUTEBOL DOS EMPREGADOS DO COMÉRCIO 2
Taça do Ribatejo – Meias Finais- 1ª mão
Campo Agostinho Pereira Carreira
Mação
30-03-2018

PUB

Chuva voltou a fazer a sua aparição.

Numa tarde fria e chuvosa o Mação recebeu os Empregados do Comércio, adversário que recentemente tinha goleado por seis tentos sem resposta no seu reduto para o Campeonato.Mas o sortilégio da Taça permite que, nestes jogos, as equipas com menos favoritismo se agigantem e provoquem surpresas.

PUB

A equipa de Valter Silva entrou no Municipal de Mação com a lição bem estudada. Com linhas muito juntas, povoando bem o espaço à frente da sua área, abdicando do possante Alex que joga mais fixo e apostando em jogadores rápidos e móveis na frente, começou por criar problemas à equipa da casa logo aos três minutos num contra ataque, com Tigas a obrigar o guarda redes Nabais a defender para canto.

Esteves coordena defesa da casa.

O Mação trocava a bola com segurança mas com um futebol muito lateralizado tinha dificuldade em entrar na área dos “caixeiros”. Aos 13 minutos o Mação beneficiou de um livre direto mas o remate de Miguel Luz foi interceptado pela barreira.

Pouco depois num canto obrigou o guarda redes Fábio Piedade a defender com os punhos. Em resposta, aos 18 minutos, André Dionísio obrigou Nabais a ceder canto.

Sempre que a oportunidade surgia a equipa da capital do distrito subia os laterais, em funções ofensivas e Luís Pires rematou fraco, aos 21 minutos, para defesa fácil do guarda redes da casa.
Estava dado o aviso e aos 23 minutos, numa atrapalhação dos centrais da equipa da casa, a bola sobrou para Miguel Calisto que cara a cara com Nabais atirou a contar e abriu o marcador.

Miguel Calisto marcou o primeiro do jogo.

O Mação reagiu ao golo e procurou abeirar-se da baliza contrária mas a desinspiração dos seus jogadores era notória e o último passe não era executado da melhor forma, criando dificuldades de finalização aos homens mais adiantados. Os Empregados do Comércio defendiam com segurança sempre à espreita do contra ataque.

Rui Sousa tenta desarmar Diogo Gonçalves.

À passagem da meia hora foi a vez de André Dionísio rematar de longe mas por cima. Respondeu Prates da mesma forma, cinco minutos depois. Aos 37 minutos foi Tigas que arrancou forte remate que Nabais defendeu com dificuldade para canto.

Com o descanso a aproximar-se foi a vez de duas perdidas de Júlio Batista. Aos 42 minutos na sequência dum livre marcado do lado direito a cabeçada saiu por cima e em já na compensação, numa perda de bola a meio campo, o remate forte também passou acima do travessão.

O intervalo chegou com os Empregados do Comércio em vantagem no marcador, o que se ajustava face à produção de ambos os conjuntos.

Diogo Gonçalves tenta passar por Júlio Batista.

João Vitorino tinha de fazer algo para melhorar o índice atacante da sua equipa e fez entrar Gonçalo Lélé e Marcos Patrício
no reatamento. O jogo ganhou velocidade mas as ocasiões de golo escasseavam. Foi preciso esperar pelo quarto de hora da segunda parte para ver Saúl cabecear na área mas por cima.

A equipa da casa estava mais atacante e chegou ao golo, aos 64 minutos, por Miguel Luz a desviar um canto ao segundo poste.

Miguel Luz marcou o primeiro golo do Mação..

Este golo teve o condão de tranquilizar a equipa da Catedral do Presunto e o seu futebol ganhou fluidez e velocidade. Dois minutos após o golo, podia ter passado para a frente quando Miguel Luz respondeu a um cruzamento bem medido da esquerda com uma cabeçada por cima da trave.

Os maçaenses iam ganhando livres e num deles, aos 68 minutos, Marcos Patrício deixou-se antecipar pelo guarda redes contrário.
Aos 71 minutos uma perda de bola do meio campo da equipa da casa proporcionou a Miguel Calisto um bom remate mas desenquadrado com a baliza. No minuto seguinte os Empregados do Comércio ganharam um livre, em zona frontal, ainda longe da baliza de Nabais.

Tigas assumiu a marcação e a bola desviada pela barreira traiu Nabais que foi impotente para a travar. A equipa de Santarém marcou na melhor fase do Mação.

“Caixeiros” defenderam com muita segurança.

Aos 85 minutos o guarda redes dos “caixeiros” Fábio Piedade ia comprometendo. Soltou uma bola que havia agarrado e com Marcos Patrício nas imediações voltou a agarrá-la dando origem a livre indireto na área. Acabou por daí nada resultar.

Com o tempo a esgotar-se Miguel Luz rematou por cima e subiu a placa com seis minutos de compensação.

No quinto minuto deste tempo complementar Miguel Seninho apareceu descaído pelo lado esquerdo do seu ataque, fez a diagonal para dentro, enquadrou-se com a baliza e disparou forte de pé direito. A bola embateu num defensor e acabou por apanhar João Freitas em boa situação para marcar. Não se fez rogado, e com este golo evitou a derrota da sua equipa.

Golo de João Freitas nos descontos repôs a igualdade.

Foi um jogo nem sempre bem jogado com os Empregados melhor no primeiro tempo e uma reação positiva do Mação no segundo.
Está tudo em aberto para o jogo da 2ª mão em Santarém.
Boa arbitragem do jovem Daniel Sousa, bem auxiliado.

João Freitas marcou e evitou derrota maçaense.

FICHA DE JOGO

ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DE MAÇÃO:
Nabais, Miguel Seninho, Esteves, Saúl, Rui Sousa, Júlio Batista (Marcos Patrício), Bruno Lemos, Prates (Gonçalo Lélé), Miguel Luz, João Freitas e Filipe Pereira.
Suplentes não utilizados: Chico Sousa, Bernardo, João Vitor, Pedro Louro e Diogo.
Treinador: João Vitorino.

Associação Desportiva de Mação.

GRUPO DE FUTEBOL DOS EMPREGADOS DO COMÉRCIO:
Fábio Piedade, Luís Pires, André Santos, João Rodrigues, Rui Simões, Brotas, Miguel Calisto, Diogo Gonçalves (Catojo), Rúben Henriques, André Dionísio e Tigas.
Suplentes não utilizados: Rúben Carreira, Pedro Ferreira, Alex, Ricardo Lopes e Calhaz.
Treinador: Valter Silva.

Grupo de Futebol dos Empregados do Comércio.

GOLOS: Miguel Luz e João Freitas (Mação), Miguel Calisto e Tigas (E.Comércio).

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Daniel Sousa, David Silva e Filipe Godinho.

Equipa de arbitragem: Daniel Sousa, David Silva e Filipe Godinho com os capitães.

No final ouvimos a opinião dos treinadores:

João Vitorino-Treinador da ADMação.

Valter Silva-Treinador dos E.Comércio.

*Com David Pereira (fotos).

PUB
PUB
Jorge Santiago
Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).