Futebol/Taça de Portugal/ Mação, em superioridade numérica, eliminado no último minuto (c/fotos e audio)

Patrick esteve muito activo no lado direito do seu ataque.

CLUBE CONDEIXA 3 – ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DE MAÇÃO 2
Taça de Portugal / 1ª eliminatória
Estádio Municipal
Condeixa
09-09-2018

PUB

Boa “casa” para assistir a um bom jogo de Taça.

A Taça de Portugal é uma competição com uma mística muito própria, por emparelhar equipas de escalões diferentes o que permite que, por vezes, surjam os chamados “tomba-gigantes”. As equipas dos escalões inferiores, teoricamente menos apetrechadas, transcendendo-se, ultrapassam por vezes adversários a militar em escalões superiores.

Era esta a expectativa dos adeptos do Condeixa que, a jogar no seu reduto, prometia fazer a “vida negra” à equipa maçaense a militar no Campeonato de Portugal. A equipa de Condeixa, do distrital de Coimbra, onde na época transacta foi segundo em igualdade pontual com o promovido Oliveira do Hospital, é o detentor da Taça da Associação de Futebol de Coimbra. Entrou melhor no jogo o Mação, a jogar a toda a largura do terreno, com os alas bem abertos e a procurar o homem mais adiantado, Sérgio. Foi dele a primeira oportunidade de golo.

PUB

Na sequência de um livre uma cabeçada colocou à prova o guarda redes Manu. O cronómetro assinalava os cinco minutos de jogo. Pouco depois, aos oito minutos, Tiago Vieira tirou toda a gente da sua frente e ao tentar ultrapassar Manu fez falta atacante. À passagem dos dez minutos a equipa da casa começou a sacudir a pressão e uma sucessão de cantos testou Renan, a estrear-se na baliza do Mação.

Assédio à baliza do Mação.

Patrick estava muito activo no flanco direito do seu ataque e numa arrancada em velocidade foi derrubado, já dentro da área e o árbitro de Aveiro, Daniel Cardoso, apontou a marca da grande penalidade. Da marca dos onze metros Sérgio não vacilou e abriu o activo para o Mação.

Não demorou o Condeixa a reagir e no minuto seguinte, após uma perda de bola de Gonçalo Lélé para o experiente Rui Pereira, o avançado surgiu na cara de Renan que não agarrou o esférico derrubando o seu oponente com os pés. O árbitro entendeu que o guarda redes jogou primeiro a bola e mandou prosseguir.

Renan voltaria a estar no centro das atenções, aos 18 minutos, ao defender um bom remate de Hugo Oliveira após excelente transição da equipa conimbricense. A equipa treinada por Pedro Ilharco estava mais atacante, espreitando o Mação uma chance de lançar a velocidade dos seus alas.

José Torcato, treinador do Mação, corrige a sua defensiva.

O Condeixa tentava chegar ao golo de toda e qualquer forma. Aos 27 minutos Rui Pereira ensaiou o remate de meia distância e valeu a atenção de Renan que defendeu para canto.
A equipa da casa jogava a toda a largura do campo e ia valendo a atenção da defesa da equipa da Capital do Presunto para suster o caudal ofensivo.

Aos 29 minutos Simão Moreno teve ceder um livre, perigoso, à entrada da área, descaído pelo lado esquerdo do ataque do Condeixa. A bola bem colocada no coração da área encontrou André Jorge solto de marcação e este cabeceou restabelecendo a igualdade.

André Jorge já cabeceou para o empate a uma bola.

O Mação pareceu acusar o golo e a seu reduto mais recuado passava por dificuldades.
À passagem da meia hora Leo ensaiou o remate de longe mas por cima do travessão.
Leo queria ficar ligado à história do jogo e numa rápida transição, aos 35 minutos, a bola enviada pelo guarda redes Manu teve em Leo o melhor tratamento. Com dois colegas na ala a pedirem o esférico Leo “partiu” os rins aos dois centrais maçaenses e à saida de Renan enviou o esférico, pelo meio das pernas, para as redes.

Um golo formidável que beneficiou do mau posicionamento defensivo do Mação. A equipa de Condeixa passava para a frente do marcador com dez minutos para jogar no primeiro tempo. O Mação não se conformou e assistiu-se a um jogo rápido, com a bola a rondar ambas as balizas.

Aos 40 minutos Bruno Lemos esteve perto de marcar, num remate cruzado, defendido por Manu com uma “sapatada” para canto. No minuto seguinte apareceu o “caso” do jogo.
Numa bola dividida entre Patrick e Dani Alves o jogador dos “amarelos” ficou no chão, queixoso. O árbitro, numa decisão no mínimo polémica, mostrou o cartão vermelho direto ao jogador de Condeixa.

Vermelho a Dani Alves condicionou estratégia do Condeixa.

Grande contrariedade para Pedro Ilharco com toda a segunda parte para jogar em inferioridade numérica. Pouco depois chegou o descanso com o Condeixa a vencer, com justiça mas com menos uma unidade para enfrentar o segundo tempo.

Lance acrobático na área maçaense.

O segundo tempo prometia um Mação mais atacante, com o Condeixa na expectativa, espreitando uma oportunidade para o contragolpe.
João Torcato deixou Litos, um médio defensivo, no balneário e lançou Miguel Luz no jogo, ampliando a sua frente de ataque. Logo no segundo minuto após o recomeço Patrick foi mais uma vez à linha de fundo cruzar para Lucas que chegou um tudo nada atrasado.

Os ataques da equipa maçaense eram inconsequentes e o Condeixa ia tentando a sorte.
Primeiro por Leo, aos 54m, de muito longe, para defesa segura de Renan. Depois por Rui Pereira, aos 57 minutos, já dentro da área, para fora.

À hora de jogo Rui Pereira esteve de novo em foco. Ganhou sobre Araújo, enquadrou-se e rematou fortíssimo. Renan executou uma enorme defesa e o lance gorou-se.

Guarda redes Renan em bom plano.

Aos 66 minutos Lucas rematou ao lado e cinco minutos depois a ameaça foi na outra baliza. André Gonçalo, acabado de entrar rematou por cima. Com meia hora de jogo no complemento Lucas Reis arrancou um perigoso centro remate com o esférico a acabar nas luvas de Manu.

PUB

Três minutos depois, aos 78, o Mação chegou ao almejado golo. Com os protagonistas do costume. Patrick arrancou um excelente cruzamento a servir Sérgio que não perdoou e, bisando na partida, deixou tudo empatado no que ao resultado dizia respeito.

Sérgio fica na história do jogo ao marcar os dois golos da sua equipa.

O Mação sentiu que poderia aproveitar o cansaço físico e psíquico do adversário e como José Torcato já havia colocado “a carne toda no assador”, tirando Lélé e Araújo para a entrada de Tenta e Marchão passou a ter apenas um objectivo: o “assalto” à baliza de Manu.

E poderia ter chegado ao golo cinco minutos depois, aos 83, numa boa jogada envolvendo vários jogadores. Com Manu batido e com a bola a encaminhar-se para a linha fatal o jovem Marchão com a sofreguidão de marcar deu o toque final… em posição irregular.

Perante o desespero do “staff” maçaense o árbitro interrompeu a jogada e assinalou o fora de jogo. Esteve bem…

Este lance foi o abrir da “caixa de Pandora”. Os maçaense lançaram-se ao ataque, de forma desesperada e pouco afinada.
Vários lances, em minutos consecutivos, ficaram na retina.

Aos 86 minutos Sérgio abriu a sequência de oportunidades rematando ao lado. No minuto seguinte foi a vez de Lucas dar o mesmo destino ao esférico. Depois Miguel Luz atirou por cima. Lucas imitou-o logo de seguida e Marchão permitiu a defesa do guarda redes Manu.
Já com a placa com quatro minutos de compensação preparada para subir, por se ter esgotado os 90, uma rápida transição surpreendeu a defensiva do Mação.

Rui Pereira, lançado em velocidade,contemporizou, esperou a saída de Renan e disparou a contar resolvendo a eliminatória a favor da equipa de Condeixa. Pouco depois o árbitro deu o jogo por terminado.

Vitória muito sofrida da equipa da casa que jogou mais de 50 minutos em inferioridade numérica mas acreditou até ao fim. Erros voltaram a penalizar a equipa de Mação.
Arbitragem globalmente bem. A expulsão, exagerada, podia ter “resolvido” o jogo.

Muita luta no meio campo.

FICHA DO JOGO

CLUBE CONDEIXA:
Manu, Sarmento, Crachat, Wilson, Rafa, Zito, Hugo Oliveira (Montenegro), André Jorge (Moura), Dani Alves, Leo (André Gonçalo) e Rui Pereira.
Suplentes não utilizados: Manu Jr, Rodolfo, Ricky e Ruben Barbosa.
Treinador: Pedro Ilharco.

Condeixa Clube.

ASSOCIAÇÂO DESPORTIVA DE MAÇÃO:
Renan, Simão Moreno, Luís Esteves(João Marchão), Gonçalo Lélé, Bruno Araújo (Tenta Maeda), Litos (Miguel Luz), Patrick, Tiago Vieira, Sérgio, Bruno Lemos e Lucas Reis.
Suplentes não utilizados:
Chico Sousa, Bernardo Bento, Luís Alves e Rodrigo Ribeiro.
Treinador: José Torcato.

Associação Desportiva de Mação.

GOLOS:
André Jorge, Leo e Rui Pereira (Condeixa); Sérgio (2) (Mação)

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Daniel Cardoso, Carlos Martins e Nelson Cardoso (AF Aveiro)

Equipa de Arbitragem: Daniel Cardoso, Carlos Martins e Nelson Cardoso (AFAveiro).

DISCIPLINA
Cartão amarelo: Bruno Lemos e Lucas Reis (Mação)
Cartão vermelho: Dani Alves.

No final ouvimos as reações dos treinadores de ambas as equipas:

Pedro Ilharco-Treinador do Condeixa.
José Torcato-Treinador ADMação.

*Com David Belém Pereira (fotos).

PUB

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here