- Publicidade -

Segunda-feira, Dezembro 6, 2021
- Publicidade -

Futebol | Sertanense vence Praiense e alcança quinta vitória consecutiva (c/fotos e áudio)

SERTANENSE FUTEBOL CLUBE 3 – SPORT CLUBE PRAIENSE 0
Campeonato de Portugal – Série D – 6ªjornada
Campo de Jogos Dr. Marques dos Santos na Sertã
07-11-2021

- Publicidade -

Depois duma noite muito fria, amanheceu na Sertã com o céu limpo e o sol a brilhar no fulgor possível no outono. À hora, pouco usual, marcada para o jogo, 10:30, afim de possibilitar o voo atempado da equipa açoriana, já se fazia sentir uma agradável temperatura.

Campo de Jogos Dr. Marques dos Santos.

- Publicidade -

A equipa do Praiense vinha moralizada com a primeira vitória alcançada na jornada anterior mas pela frente tinha uma equipa que, depois da derrota com o líder, Fontinhas, na jornada inaugural, encetou um ciclo vitorioso nas quatro jornadas seguintes. Apesar da hora pouco habitual o Dr. Marques dos Santos apresentava as bancadas compostas de público.

Bancadas compostas apesar da hora pouco usual.

Assim que o juiz da partida, Fernando Ferreira, apitou para o início se percebeu a postura atacante da equipa de Natan Costa, tentando manter o ciclo vitorioso. Logo no minuto inicial ganhou um canto levando perigo à baliza dos insulares. De seguida Rafa Pinto ensaiou a meia distância, não encontrando o alvo.

Com os praienses a terem muita dificuldade em ter a bola o jogo era de sentido único e o Sertanense colecionava remates à baliza de Ivan Cruz. Karamoko, aos quatro minutos, também não encontrou o caminho da baliza, saindo a bola por cima.

Costamarfinense Karamoko esteve em bom plano.

Aos sete minutos Jamerson Bahia tentou surpreender rematando em arco, de trivela. A bola não passou longe da trave. À passagem do décimo minuto, a equipa da Sertã beneficiou dum livre e depois do embate na barreira a bola sobrou para Karamoko que, de cabeça, disparou sobre o travessão.

No minuto seguinte novo livre, desta feita descaído pelo lado esquerdo, permitiu o remate de Rafa Pinto para defesa atenta de Ivan Cruz. O minuto 13 esteve à beira de ser aziago para a equipa açoriana. O capitão Vítor Pisco alvejou a baliza de Ivan que teve de defender a dois tempos o forte remate.

Capitão Vitor Pisco esteve perto de marcar.

Foi necessário esperar 14 minutos para ver a equipa da ilha Terceira tentar gizar uma jogada de ataque. Os sertaginenses não permitiram e lançaram o contra golpe. Em desespero de causa um jogador insular fez falta feia, ficando por mostrar o cartão amarelo.

Dois minutos depois, já com a equipa de João Abel Cruz mais desinibida, viu-se a equipa da casa ceder canto. Batido à maneira curta permitiu ao Praiense uma vistosa jogada organizada que obrigou à cedência de novo canto.

Insulares fizeram “prova de vida” apenas ao quarto de hora de jogo.

Com a pressão alta da equipa da casa os visitantes iam tentando responder em contra golpe. Aos 18 minutos Pedro Lobo conseguiu entrar na área de Daniel Azevedo e rematou cruzado. O forte remate saiu ao lado do poste da baliza da equipa da casa.

Aos 20 minutos, o colombiano Nicolas Meek baralhou o seu marcador direto e rematou para golo. Apesar de parecer vir de posição irregular o golo foi sancionado, colocando-se justiça no marcador. O Sertanense ganhava assim uma vantagem importante no jogo.

Golo de Meek trouxe justiça ao marcador.

Após a obtenção do golo a equipa da Sertã abrandou um pouco e a equipa insular passou a equilibrar a partida jogando-se agora muito sobre o meio campo. Apenas aos 35 minutos o Praiense se abeirou da área contrária. A defensiva afastou o esférico para lá da linha de fundo, cedendo um canto que acabou por ser resolvido com a saída do esférico pela lateral.

Aos 37 minutos, Amílcar Pinto fez uma falta dura perto do banco da equipa da casa, vendo o cartão amarelo e desencadeando uma tremenda confusão. Serenados os ânimos, Vítor Pisco cobrou a falta assistindo Karamoko que não enjeitou a oportunidade para ampliar a vantagem para a equipa do Sertanense. 

Karamoko marcou o golo que trouxe tranquilidade à equipa da casa.

As equipas pareciam conformadas e o jogo perdeu fulgor enquanto se aproximava o intervalo a passos largos. Aos 41 minutos, Luís Felipe caiu na área do Sertanense mas o árbitro ordenou a marcação dum canto. Na cobrança o guarda redes Daniel Azevedo ainda defendeu a soco mas o esférico já havia saído.

Pouco depois o juiz da partida, Fernando Ferreira, ordenou o descanso. Ao intervalo o Sertanense justificava perfeitamente o resultado, pecando até por escasso.

Resultado apenas pecava por escasso no intervalo.

Para o complemento, o treinador João Abel Cruz lançou o brasileiro Nelson no lugar de Josemar Agostinho, dando mostras de ainda acreditar numa reversão no resultado.

A equipa dos Açores até entrou melhor no segundo tempo mas a equipa de Natan Costa ia controlando, sempre confortável no jogo. Logo aos 47 minutos Peterson engrenou uma mudança alta e quando ia a passar por Jamerson Bahia este fez falta dura e viu a cartolina amarela.

Sertanense chegou à quinta vitória consecutiva.

Aos 51 minutos Peterson voltou a estar em foco ao rematar forte para defesa apertada de Daniel Azevedo, já no chão. O Praiense revelava-se mais atacante e fazia mais nos primeiros minutos da segunda parte que em toda a primeira.

Peterson era o jogador em foco e aos 63 minutos voltou a remar cruzado, muito perto do poste da baliza da equipa da casa. A resposta veio no minuto seguinte com Karamoko a cabecear para defesa por instinto de Ivan Cruz para canto.

Na sequência do canto o “gigante” angolano Kevin Ibouka subiu à área dos insulares e com um toque de calcanhar quase era feliz. Valeu a atenção de Ivan Cruz.

Investidas dos açorianos não resultaram em golos.

Continuava a ser o Praiense a equipa mais atacante, tendo os donos da casa dado a iniciativa de jogo ao adversário. Uma estratégia inteligente que obrigou os visitantes a um esforço acrescido com os custos inerentes.

Assim, aos 67 minutos, Ivo Cláudio teve o ensejo para rematar em dose dupla para a baliza sertanense. Em ambas as vezes a defesa superiorizou-se aos desejos do atacante.

Vitória assenta como uma luva à equipa da Sertã.

O jogo encaminhava-se para o final e o Sertanense blindou a sua baliza, ainda que para isso tivesse de recorrer à falta. Aos 78 minutos uma falta dura à entrada da área ficou sem a devida sanção disciplinar mas o livre levou perigo.

Aos 81 minutos Peterson, quem mais poderia ser, entrou na área da equipa beirã e rematou rasteiro obrigando Daniel Azevedo a aplicar-se. Quando toda a gente se preparava para ir ver do almoço, aos 82 minutos, Mauro Santos tirou um “coelho da cartola”…

Um remate espontâneo à entrada da área nem deu hipóteses de reação ao guarda redes cabo-verdiano do Praiense. Grande golo a selar o destino do jogo.

Terceiro golo do Sertanense selou a vitória.

No que faltou jogar, Fernando Ferreira, acrescentou cinco minutos de compensação, percebeu-se que o vencedor estava encontrado sem quaisquer dúvidas. Num jogo em que o Sertanense fez por chegar a uma confortável vantagem foi interessante ver a reação do Praiense na segunda parte.

Vitória “limpinha” da melhor equipa que, com a quinta vitória consecutiva, segue no segundo lugar da tabela classificativa, logo atrás do líder Fontinhas. Arbitragem permissiva disciplinarmente teve o jogo sempre controlado.

Ficha do Jogo:

SERTANENSE FUTEBOL CLUBE:
Daniel Azevedo, Desailly (David Branco), Marco Fernandes, Luís Martins, Kevin Ibouka, Jamerson Bahia, Mauro Santos, Rafa Pinto (Matheus Barbosa), Vítor Pisco (Tony Obonogwo), Nicolas Meek (Kevin Lopez) e Karamoko (Muacir).
Suplentes não utilizados: Pedro Simões e Diogo Pimenta.
Treinador: Natan Costa.

Sertanense Futebol Clube.

SPORT CLUBE PRAIENSE:
Ivan Cruz, Rafael Tavares, Amilcar Pinto, Ivo Cláudio, José Esteves, Pedro Matos, Bruno Silva, Pedro Lobo (Yuri), Josemar Agostinho (Nelson), Peterson e Luís Felipe (Danilo Monteiro).
Suplentes não utilizados: Pedro Silva, Ricardo Mango e Charlie Blanks.
Treinador: João Abel Cruz.

Sport Clube Praiense.

GOLOS:
Nicolas Meek, Karamoko e Mauro Santos (Sertanense).

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Fernando Ferreira, Pedro Santos e Bernardino Sousa (AFGuarda).

Equipa de Arbitragem: Fernando Ferreira, Pedro Santos e Bernardino Sousa com os capitães.

No final ouvimos elementos de ambas as equipas.
O treinador do Sertanense delegou, como tem vindo a fazer, em Rafa Pinto a tarefa de falar à Comunicação Social:

RAFA PINTO (Sertanense)

Rafa Pinto, jogador do Sertanense.

JOÃO ABEL CRUZ (Praiense)

João Abel Cruz, treinador do Praiense.

*Com David Belém Pereira (multimédia).

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome