- Publicidade -

Futebol | Sernache conquista vitória preciosa perante um Alcains em inferioridade numérica

GRUPO DESPORTIVO VITÓRIA DE SERNACHE 1 – CLUBE DESPORTIVO DE ALCAINS 0
Campeonato de Portugal – Série E – 17ª jornada
Estádio Municipal Nuno Álvares Pereira em Cernache de Bonjardim
21-02-2021

- Publicidade -

Depois da tempestade vem a bonança…
Depois da chuva impiedosa que teimou em cair na região durante todo o dia de sábado o sol recebeu no domingo em Cernache do Bonjardim as equipas do Vitória e do Alcains para mais um derbi regional.

Estádio Municipal Nuno Álvares Pereira, casa do Vitória de Sernache.

- Publicidade -

Lembrando que o maciço da Serra da Estrela está por perto, o vento gelado disputava com o sol radioso o protagonismo da tarde. Mas os protagonistas estavam lá, no tapete verde, em excelentes condições. Boas equipas, um árbitro de topo e a tristeza das bancadas vazias…!!!

A equipa de Cernache, o Vitória de Sernache, sabia que, vencendo, sairia da zona de despromoção e o Alcains de Ricardo Pereira queria manter-se nos lugares de acesso aos “play-off de subida”. Reunidas as condições para um jogo interessante.

Equipas a lutar pelo mesmo objectivo: os “play off” de subida.

Soou o apito inicial de João Mendes e cedo se percebeu que a equipa da casa iria ser mais atacante reservando-se o Alcains para, numa jogada de contra golpe, surpreender o seu opositor.

O Sernache dispôs da primeira oportunidade para marcar aos cinco minutos numa cabeçada de Sani, na conversão dum canto, mas a bola foi para fora.

Entrada forte da equipa da casa.

Sani era, por esta altura, o jogador em foco e aos oito minutos, com um vistoso pontapé de moinho, fez o esférico passar perto da baliza de Gonçalo.

A resposta do Alcains surgiu aos dez minutos quando João Lourenço rompeu a defensiva do Sernache, ganhou metros mas acabou por deixar que a bola ultrapassasse a linha de fundo.

João Lourenço voltaria a estar em foco no minuto seguinte quando, com um centro remate, obrigou o guarda redes Framelin a afastar, com uma palmada, para canto.

Alcains defendeu bem espreitando o contra golpe.

Com a equipa da casa a ter maior posse de bola, já passava do quarto de hora quando Faissal arriscou de longe. O remate passou longe da baliza de Ohulo Framelin. Aquilo que as equipas não estavam a conseguir, um futebol coletivo, sobrepunha-se o individualismo.

Balla Sangaré entrou na área do Alcains pelo lado direito, em velocidade, e rematou para defesa de Gonçalo para canto. Na conversão do pontapé do quarto de círculo João Mendes, o árbitro do encontro, descortinou uma falta atacante.

Balla Sangaré usou a sua melhor arma: a velocidade.

Aos 28 minutos Christo teve uma excelente iniciativa, arrancando em velocidade pelo lado direito do seu ataque. Ibraima saiu-lhe ao caminho, cortou de forma deficiente, permitindo o remate de Christo para boa intervenção de Framelin.

Quando o cronómetro marcava os 35 minutos de jogo, João Lourenço fez uma falta dura, cortando um rápido contra golpe. João Mendes exibiu-lhe o amarelo, ficando claro que não iria tolerar entradas à margem da lei.

Da marcação do livre resultou um remate de Jair contra a barreira e na recarga o mesmo Jair rematou longe do alvo.

Muitas faltas proporcionaram muitos lances de bola parada.

Minutos depois foi a vez do Alcains beneficiar dum livre, descaído para o lado esquerdo. O cruzamento para dentro da área não teve correspondência e a defesa acabou por resolver.
Com o intervalo a aproximar-se a passos largos, o Alcains parecia melhor no jogo e João Vitor entrou na área mas deixou-se desarmar.

Em cima do descanso, aos 44 minutos, João Lourenço derrubou Eduardo Souza por detrás, à entrada da área. Foi esse o entendimento do árbitro do encontro. Não teve outra alternativa do que a amostragem do segundo amarelo e respetiva exclusão de João Lourenço da partida.

João Lourenço excluído do jogo aos 44 minutos.

Do livre, em cima da linha delimitadora da grande área, Eduardo Souza rematou colocado para uma enorme defesa de Gonçalo. As emendas de Ricardo Souza e do próprio Eduardo Souza encontraram o mesmo poste a manter o nulo com que se foi para o descanso.

Aceitava-se o empate e adivinhavam-se dificuldades para a equipa de Ricardo António a ter de jogar toda a segunda parte em inferioridade numérica.

António Joaquim, presidente do Sernache recebeu no intervalo a placa da Certificação de Entidade Formadora.

Com apenas dez jogadores em campo para o segundo tempo, Ricardo António resolveu deixar Pedro almeida no balneário e lançou Luís Henrique no jogo.

Em vantagem numérica a equipa de Ricardo Nascimento fez aquilo que lhe competia. Lançou-se ao ataque em busca do golo que lhe desse a obtenção dos tão desejados três pontos. Logo no segundo minuto do complemento um centro remate de Jair colocou à prova a atenção de Gonçalo Nunes.

Em inferioridade o Alcains defendeu o empate.

Apesar do ascendente territorial e maior posse de bola, o Sernache não encontrava forma de bater o guarda redes do Alcains. Continuavam a ter dificuldade de penetração na área dos visitantes que defendiam com denodo o precioso ponto que o empate lhes conferia.

Jair parecia ser o jogador mais inconformado na equipa de Ricardo Nascimento. Aos 53 minutos, em nova iniciativa individual, rematou perto do alvo. O Alcains respondeu de bola parada com a defesa do Sernache a conseguir afastar.

Mesmo em menor número os jogadores do Alcains espreitaram o contra golpe.

Aos 57 minutos, um bom cruzamento arrancado do lado direito do ataque da equipa da casa encontrou o capitão Luís Grando em boa posição para cabecear. Não foi feliz e o esférico perdeu-se pela linha de fundo.

Jogada uma hora de jogo verificava-se um ascendente do Sernache ma sem resultados práticos. Gonçalo Nunes na baliza do Alcains continuava a manter as suas redes invioladas apesar das iniciativas da equipa da casa.

O ascendente do Sernache sem ser materializado em golos.

Só aos 69 minutos Rudy levou perigo, na transformação dum livre. Colocou o esférico no segundo poste onde apareceram ameaçadores Eduardo Souza e Balla Sangaré mas nenhum conseguiu evitar que a bola saísse das quatro linhas.

Entretanto Ricardo Nascimento havia lançado Gustavo Gandra no jogo e foi este “menino” que trouxe a “gazua” para descobrir o caminho do golo.

Lançado em velocidade, Gustavo centrou com rigor milimétrico para a cabeça de Sani que bateu Gonçalo e colocou o Sernache na frente do marcador. O relógio assinalava o 72º minuto de jogo.

Golo de Sani provocou explosão no banco do Sernache.

Sem nada a perder, a equipa de Ricardo António lançou-se determinada no ataque tentando minimizar o resultado negativo.

A faltar um quarto de hora Miranda protagonizou um grande momento para o Alcains. O forte remate foi parado com classe por Ohoulo Framelin.

Pressionando alto e em desvantagem numérica, o Alcains punha-se a jeito para os contra ataques do Sernache. Aos 81 minutos, numa recuperação de bola, Rudy lançou Gustavo Gandra que rematou por cima.

Sani foi decisivo no resultado final.

A equipa de Cernache do Bonjardim enjeitou a oportunidade de alcançar o tento da tranquilidade e o Alcains continuou a acreditar.

Uma rápida transição permitiu a Christo um remate de fora da área. Saiu fraco e à figura de Framelin que não teve dificuldade em recolher.

Na resposta, do outro lado do campo, Eduardo Souza imitou o seu adversário e Gonçalo não teve dificuldade na defesa.

Bons momentos num jogo digno de Campeonato de Portugal.

Já para lá do tempo regulamentar, na compensação, o Sernache chegou à área contrária com três jogadores para dois defesas, tendo tudo para ampliar a vantagem. Eduardo Souza decidiu-se pelo remate, fraco e denunciado, com colegas em boa posição.

Ainda houve tempo para o contra golpe mas era dia de vitória para o Sernache.
Foi um bom jogo que a expulsão desequilibrou. Apesar dos protestos pareceu justa.
A grande dúvida que fica nesse lance é se Eduardo Souza é derrubado já dentro da área.
A nós, pareceu. De resto foi uma arbitragem à João Mendes. Segura e globalmente positiva.

Arbitragem segura do árbitro escalabitano João Mendes.

Ficha do jogo:

GRUPO DESPORTIVO VITÓRIA DE SERNACHE:
Framelin, Vareiro, Luiz Grando, Davi Maciel, Ibraima (Gustavo Gandra), Ricardo Sousa (Ricardo Silva), Rudy, Eduardo Souza, Sani, Jair e Balla Sangaré (Samuel).
Suplentes não utilizados: André Lima, Diogo Petiz, Hugo Abreu e Bruno Falcão.
Treinador: Ricardo Nascimento.

Grupo Desportivo Vitória de Sernache.

CLUBE DESPORTIVO DE ALCAINS:
Gonçalo Nunes, João Lourenço, João Vitor, José Simão (Dylan), Fábio Sousa, Mohamed Kaba, Miranda, Francisco Mota, Faissal Zangré, Pedro Almeida (Luís Henrique) e Christo Amessan.
Suplentes não utilizados: Diogo Sá, Rúben Nogueira, Bruno Rafael, Léo e Fábio Brito.
Treinador: Ricardo António.

Clube Desportivo de Alcains.

GOLO: Sani (Sernache)

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
João Mendes, Nelson Andrade e Diogo Pereira (AF Santarém).

Equipa de Arbitragem: João Mendes, Nelson Andrade e Diogo Pereira (AF Santarém) com os capitães.

DISCIPLINA
Cartão amarelo: Ricardo Sousa (Sernache), João Lourenço e Mohamed Kaba (Alcains)
Cartão vermelho por acumulação: João Lourenço (Alcains)

No final fomos escutar os treinadores:

RICARDO NASCIMENTO (Treinador do Sernache)

Ricardo Nascimento, treinador do Sernache. Foto: Arquivo mediotejo.net.

RICARDO ANTÓNIO (Treinador do Alcains)

Ricardo António, treinador do Alcains.Arquivo mediotejo.net.

*Com David Belém Pereira (multimédia).

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).