- Publicidade -

Quinta-feira, Dezembro 9, 2021
- Publicidade -

Futebol | Santarém empata com Sacavenense já com os olhos postos na subida de divisão

UNIÃO DESPORTIVA DE SANTARÉM 1 – SPORT GRUPO SACAVENENSE 1
Campeonato de Portugal – Série F – 22ªjornada
Campo Chã das Padeiras em Santarém
11-04-2021

- Publicidade -

A culminar a fase regular do Campeonato de Portugal, a União de Santarém precisava de fazer apenas um ponto para se fixar, mesmo que o Loures vencesse, no terceiro lugar na Série F. O adversário deste domingo, o Sacavenense, estava numa zona tranquila de onde não se sobe nem se desce, permitindo encarar o jogo pelo jogo, sem condicionantes.

Campo Chã das Padeiras em Santarém.

A equipa de Acácio Santos teria de lutar contra a ansiedade e alguma retração dos seus jogadores na abordagem aos lances de modo a evitar lesões. Toda a gente quer estar presente na máxima força na fase final de apuramento para a III Liga…

Santarém a garantir o terceiro posto perante Sacavenense tranquilo.
- Publicidade -

E o jogo começou praticamente com o golo dos escalabitanos. A bola de saída pertenceu aos lisboetas, procuraram o ataque organizado, Kiki Ballack roubou o esférico ao adversário e lançou para a velocidade de Gilson que, já dentro da área, passou pelo guarda redes João Cardoso. Este derrubou-o com uma palmada e aos 28 segundo o árbitro do encontro apitou e apontou a marca dos onze metros.

João Cardoso viu o cartão amarelo e na linha de golo lançou-se para o seu lado esquerdo enquanto a bola, batida por Iuri Gomes, entrava do lado oposto. O penalti clássico…

Estava aberto o marcador para a equipa do União de Santarém e pensou-se que a equipa podia soltar-se e partir para um resultado mais alargado. Não foi isso, todavia, o que sucedeu.

Jogo começou com penalti a dar vantagem à equipa da casa.

A perder ainda o ponteiro do cronómetro não tinha dado uma volta a equipa comandada pelo experiente Tuck tinha a tarefa dificultada e os santarenos pareceram relaxar. Só que ainda haviam 89 minutos, mais descontos, para jogar…

Com o jogo em toada de parada e resposta o Sacavenense recuperou uma bola perdida e lançou um rápido contra golpe que quase surpreendia a equipa de Acácio Santos. Resultou num canto que permitiu o remate de Rogério Varela para defesa de Hidalgo. Passavam oito minutos do início do jogo.

Guarda redes Hidalgo brilhou nas alturas.

Entregando a iniciativa ao seu adversário, a União de Santarém não se inibiu de espreitar uma chance de aumentar o “score”. Aos 13 minutos, Flavinho rematou com força mas com má direção e o esférico perdeu-se para lá da linha de fundo.

Responderam os visitantes quase de imediato e num livre perigoso, que valeu o cartão amarelo a Jairo Rodrigues, permitiram boa defesa ao guarda redes da equipa da casa para canto. Na cobrança, o capitão João Job rematou forte e Hidalgo cedeu novo canto.

Boa resposta do Sacavenense empurrou a União para o seu meio campo.

Os visitantes começavam a instalar-se no meio terreno da União e mostravam-se mais aguerridos remetendo os escalabitanos a defesa porfiada.

Aos 21 minutos o guarda redes da equipa de Santarém voltou a estar em foco. O remate de Luís Gaspar foi defendido para a zona de tiro onde surgiu João Job a encher o pé para nova defesa de qualidade.

Três minutos depois pediu-se grande penalidade por suposto derrube dum atacante de Sacavém em cima da linha de área. O árbitro setubalense nada assinalou e mandou jogar.

Lutou-se muito a meio campo.

Após uns minutos de acalmia o Sacavenense voltou a estar perto de marcar. Aos 35 minutos, após um canto, Hidalgo afastou a soco e a segunda bola foi direita à trave. Como ainda embateu num defesa houve lugar a novo canto.

Com a equipa da casa “desaparecida” do jogo, o Sacavenense ia insistindo e Varela, aos 37 minutos, testou a meia distância para uma enorme defesa de Nuno Hidalgo para canto. Bonito momento de futebol…

Reagiram os da casa através de Gilson Varela. O cabo verdiano entrou na área, fugindo à marcação com dribles em velocidade, e rematou, mas longe da baliza de João Cardoso.

União de Santarém espreitou a possibilidade de contra atacar.

Logo a seguir, aos 40 minutos, foi a vez de Flavinho não atinar com as redes contrárias.
Na resposta Luís Gaspar caiu na área em luta com Adélcio Varela. Voltaram os sacavenenses a pedir grande penalidade que o juiz Tiago Bolegas, bem posicionado, não sancionou.

Já em tempo de descontos, num último fôlego, um cruzamento bem medido encontrou Rogério Varela em boa posição na área dos escalabitanos. A cabeçada passou ao lado, muito perto dos ferros da baliza de Hidalgo.

O resultado ao intervalo era lisonjeiro para a equipa da casa. Depois do golo madrugador o conjunto de Santarém pouco fez e o Sacavenense já merecia o golo do empate…

Resultado lisonjeiro para a União ao intervalo.

O segundo tempo começou da mesma forma como se foi para o balneário. O Sacavenense a carregar à procura do empate e a equipa da casa a defender um resultado que lhe era simpático.

Aos 50 minutos Sténio Santos testou a atenção de Nuno Hidalgo com um “venenoso” cruzamento, resolvido pelo guarda redes. Na resposta, foi Cláudio Tavares a subir pela ala e a cruzar para defesa de João Cardoso.

Ao quarto de hora do tempo complementar o Sacavenense beneficiou dum livre e numa jogada ensaiada Rogério Varela amorteceu de cabeça para Diogo Cordes que havia subido no terreno e também de cabeça obrigou Hidalgo a nova defesa de classe.

Lance ao quarto de hora “acordou” a equipa da casa.

Este lance pareceu “acordar” a equipa da casa que começou a responder com muito perigo ao maior pendor atacante dos visitantes. Começou a ver-se as camisolas “encarnadas” com muito mais bola ameaçando a baliza de João Cardoso coincidindo com a entrada do internacional cabo verdiano Vasco Lopes.

Aos 62 minutos um cruzamento de Vasco levou pontaria a mais e embateu “onde dorme o mocho” ou seja, na interceção da trave com o poste. Esteve à vista o segundo da União…

A resposta surgiu aos 65 minutos, no melhor período dos ribatejanos. Luís Gaspar entrou em dribles na área, enquadrou-se com a baliza de Hidalgo e o remate surgiu, indefensável para o guarda redes.

União equilibrou e arrancou para bons momentos.

Em contra ciclo mas com toda a justiça os pupilos de Tuck chegaram ao empate e o treinador começou a dar minutos aos jogadores menos utilizados, a maior parte deles com idade júnior.

O jogo passou a ser repartido pelos dois lados do campo, parecendo ambas as equipas conformadas com o resultado. Aos 79 minutos, uma sequência de cantos podia ter feito pender o resultado para o lado da equipa de Santarém mas o guarda redes João Cardoso despediu-se do jogo em bom nível.

Para o seu lugar entrou o jovem Tomás Godinho, um “menino” de apenas 18 anos.

Sacavenense empatou na melhor fase da União.

A chegar ao final do tempo regulamentar, Tomás resolveu, com uma boa intervenção, um ataque da equipa da casa em que uma bola “perdida” constituiu enorme perigo para as redes visitantes.

O tempo de compensação esgotou-se com um remate de João Fernandes, prensado na defensiva visitante, que obrigou o guarda redes a boa defesa. Pouco depois o árbitro setubalense Tiago Bolegas dava o jogo por terminado.

Empate que se aceita com facilidade.

O resultado serviu na perfeição as pretensões da União de Santarém, até porque o Loures perdeu. Garantiu o terceiro lugar na série F e vai disputar o acesso à III Liga com Alverca, Condeixa e Marinhense.

O Sacavenense, com uma equipa jovem e aguerrida irá disputar de novo o Campeonato de Portugal na próxima época e deixou uma magnífica imagem. Resultado aceitável com sinal mais dos visitantes durante largos períodos.

A equipa de arbitragem que viajou de Setúbal esteve em bom nível.

Árbitro Tiago Bolegas esteve em bom plano.

Ficha do jogo:

UNIÃO DESPORTIVA DE SANTARÉM:
Nuno Hidalgo, Cláudio Tavares, Jairo Rodrigues, Kiki Ballack (Allan Peixoto), Adélcio Varela, André Tavares, Gustavo Filipe (Kalika), Flavinho (Gonçalo Costa), Iuri Gomes (João Fernandes), João Monteiro e Gilson Varela (Vasco Lopes).
Suplentes não utilizados: Guilherme Monteiro e Gonçalo Azevedo.
Treinador: Acácio Santos.

União Desportiva de Santarém.

SPORT GRUPO SACAVENENSE:
João Cardoso (Tomás Godinho), Leandro Bral, Diogo Cordes, Yaka Medina (João Oliveira), Vitor Sanches (Ricardo Alcobia), Sténio Santos (Daniel Pinto), João Job, Luís Gaspar (Diogo Prudêncio), Pedro Costa, Luís Elói e Rogério Varela.
Suplentes não utilizados: Guilherme Silva e Yuk Jin-young.
Treinador: Tuck.

Sport Grupo Sacavenense.

GOLOS:
Iuri Gomes (Santarém) e Luís Gaspar (Sacavenense).

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Tiago Bolegas, Alexandre Silva e Francisco Viegas (AF Setúbal).

Equipa de Arbitragem: Tiago Bolegas, Alexandre Silva e Francisco Viegas com os capitães.

DISCIPLINA:
Cartão amarelo: Jairo Rodrigues, André Tavares e Gustavo Filipe (Santarém); João Cardoso e Ricardo Alcobia (Sacavenense).

No final da partida fomos ouvir os treinadores das equipas:
ACÁCIO SANTOS (U.Santarém)

Acácio Santos, treinador do União de Santarém. Foto: mediotejo.net

TUCK (Sacavenense)

Tuck, treinador do Sacavenense.

*Com David Belém Pereira (multimédia)

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome