Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Julho 25, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

FUTEBOL: Riachense desperdiçou o que União de Tomar aproveitou (com áudio)

27 de dezembro de 2015, 15 horas, Riachos

- Publicidade -

Campeonato Distrital da 1ª Divisão de Seniores da Associação de Futebol de Santarém

Clube Atlético Riachense 0 – União Futebol Comércio e Indústria de Tomar 1

- Publicidade -

Primeira parte intensa, com muita luta, entrega dos intervenientes e alguns lances mais viris.

IMG_8496
Alguns lances tiveram entrega excessiva dos intervenientes. Foto Jorge Santiago

Sinal mais a pertencer à equipa da casa, pois teve mais posse de bola, jogou mais tempo no meio campo adversário e dispôs das melhores oportunidades de golo, tendo a equipa nabantina contrariado o maior domínio caseiro, através de tímidos contra-ataques, sempre a solicitar a velocidade de Pele, Tiago Vieira ou Tiago Sestari, mas a defesa riachense ou Galrinho iam chegando para as encomendas. Na retina ficam três oportunidades claras de golo para os alvi-negros. Moleiro de cabeça, ao minuto 23, pouco antes da pequena área proporciona a defesa da tarde a Fábio. Seis minutos volvidos, Filipe Pereira na cara de Fábio, permite nova boa intervenção do guardião de Tomar, e a sete minutos do fim da primeira parte, Prates, na marcação de um livre, acerta em cheio na barra.

IMG_8562
Bola na trave da baliza de Tomar após livre de Prates. Foto Jorge Santiago

Ao intervalo o nulo era lisonjeiro para os homens de Tomar e castigava o desacerto na finalização dos riachenses.

Na segundo parte rapidamente se percebeu que a toada ia ser a mesma, tendo nos primeiro cinco minutos, o CAR, criado duas boas oportunidades de golo que foram mal finalizadas pelos avançados da casa. Após o primeiro quarto de hora, começam as mexidas nos onzes. Mário Nelson retira Tiago Silva e coloca João Guerreiro, enquanto Lino Freitas retira Tiago Sestari e coloca Fábio Vieira (um defesa) a ponta de lança. A alteração forasteira produziu mais efeito que a da casa, pois Lino Freitas ganhou mais presença na área, mais poder de choque e prendeu mais os defesas de Riachos. Nem dois minutos tinham passado e Fábio Vieira, aproveitando uma desatenção na defesa da casa, aparece frente a Galrinho e faz um chapéu com toda a conta e medida, para o 1-0.

Golo
Chapéu de Fábio Vieira a Galrinho deu o golo da vitória nabantina. Foto Jorge Santiago

Eram decorridos 67 minutos de jogo. Com o golo sofrido, Mário Nelson, fez o que lhe competia, arriscou, tirou dois defesas (Marco Carvalho e João Alves) ficando a jogar em igualdade numérica na defesa, para tentar dar mais profundidade ao ataque. Lino Freitas foi respondendo a preceito, ficando o jogo partido, acontecendo oportunidades de golo em ambas as áreas, tendo continuado em grande plano Fábio, mas agora com a companhia de Galrinho na outra baliza (fez duas defesas enormes a negar o segundo golo aos nabantinos).

O tempo foi avançando e a lucidez dos homens de Riachos foi começando a faltar, ao passo que a equipa de Tomar ia tentando gerir tempo e resultado da forma com iam conseguindo e lhes era permitido. Terminando o jogo com seis minutos de compensação e um resultado tangencial favorável aos rubro-negros.

Vitória que premeia o pragmatismo do União de Tomar e a sua eficácia e que castiga a má finalização dos homens da casa, que não mereciam perder.

O trio de arbitragem não teve uma tarde fácil. Jogadores, bancos, assistência não facilitaram a vida ao trio de arbitragem, que teve alguns erros. Mostrou por seis vezes o cartão amarelo aos homens de Riachos, o que consideramos exagerado. Por outro lado não o vimos chamar a atenção ao banco de Riachos, uma vez que fosse, quando tal se justificava. No entanto o seu pecado maior, em nosso entender, foi o não assinalar uma grande penalidade sobre Filipe Pereira por carga nas costas de um defensor de Tomar.

Nota final para condenar as cenas lamentáveis entre grande parte dos intervenientes da partida, no acesso aos balneários. Houve “mosquitos por cordas” em Riachos, em resultado de palavras menos próprias entre intervenientes do jogo e destes para com o público.

IMG_8617
Fábio teve em tarde inspirada. Foto Jorge Santiago

Ficha do jogo:

Campo Coronel Mário Cunha

IMG_20151227_143009
Campo Coronel Mário Cunha

Árbitros: Fernando Ferreira, Ruben Bretes e José Costa

IMG_8418
Trio de arbitragem e capitães de equipa. Foto Jorge Santiago

CA Riachense

Galrinho, João Alves (Nalha), Gonçalo, Tiago Prates, Paulito, Moleiro, Filipe Pereira, Bernas, Freitas, Marco Carvalho (Júlio) e Tiago Silva (João Guerreiro)

Suplentes: Mação, Rito, Singéis, João Guerreiro, Júlio, Nalha e Mauro

Treinador: Mário Nelson

IMG_8420
CA Riachense. Foto Jorge Santiago

UFCI Tomar

Fábio, Douglas, Filipe, Pedro Figueiredo, Joca, Luís Pedro, Bruno Araujo, David, Tiago Sestari, Tiago Vieira e Pelé

Suplentes: Brito, Mauro, Fábio Vieira, Hugo, André Silva, Telmo e Faustino

Treinador: Lino Freitas

IMG_8424
UFCI Tomar. Foto Jorge Santiago

Marcadores: Fábio Vieira

A opinião dos treinadores:

Mário Nelson (Riachense)

Mário Nelson
Mário Nelson

 

Lino Freitas (União de Tomar)

Lino Freitas
Lino Freitas

Tem 41 anos e uma profissão que tudo tem que ver com jornalismo e informação... Engenheiro Eletrotécnico. O gosto pela informação desportiva ganhou-o ainda criança com o pai e a mãe na rádio. A informação escrita é uma nova aventura. Acredita que o desporto é fator de promoção e desenvolvimento regional e de aproximação "das gentes", pelo que noticiá-lo é um imperativo. Praticou várias modalidades, foi treinador e árbitro de basquetebol. É casado e tem uma filha que o obriga a correr. Colabora na Antena Desportiva da rádio Antena Livre, sendo a rádio uma das suas maiores paixões.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here