Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Outubro 16, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Futebol | Ouriense saiu da Taça do Ribatejo perante um Mação de primeira (c/ÁUDIO e FOTOS)

CLUBE ATLÉTICO OURIENSE 0 – ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DE MAÇÃO 4
Taça do Ribatejo – 1ª eliminatória
Campo da Caridade em Ourém
16-05-2021

- Publicidade -

A Taça do Ribatejo é fértil em surpresas e com alguma frequência surgem os “tomba gigantes”. Em Ourém, Atlético Ouriense, líder da série A da 2ª distrital, recebia o Mação, do escalão maior do Campeonato Distrital de Santarém, em ambiente de contido otimismo.

Festa da Taça do Ribatejo voltou ao Campo da Caridade.

- Publicidade -

Os ourienses, de regresso ao futebol sénior masculino, após um ano sabático, reuniram um lote de jovens talentosos, que, enquadrados por experientes jogadores mais velhos, têm vindo a fazer um meritório campeonato, sonhando ainda com a promoção.

O Mação apresentou uma equipa recheada de talentos, pese embora o facto do seu treinador, Francisco Correia, ser obrigado a gerir o plantel face aos três jogos agendados para esta semana.

Muita juventude em ambos os conjuntos.

A partida teve início com os maçaenses a “pegar” no jogo, em transições seguras, assumindo a maior parte das ações ofensivas, com os da casa na expectativa, defendendo com segurança, à espreita duma oportunidade para lançar os seus rápidos avançados.

Foi dos visitantes a primeira oportunidade de marcar, já com sete minutos de jogo, quando, na cobrança dum livre direto descaído para a direita de muito longe, Simão Moreno colocou nas costas da barreira defensiva obrigando o guarda redes Mauro a intervenção atenta, repelindo o esférico a punhos.

Tarde trabalhosa do guarda redes Mauro.

Jogando de forma pautada, o Mação sempre que acelerava um pouco o jogo criava perigo.
Aos nove minutos Diogo Rosa entrou na área da sua antiga equipa e quando tinha Wemerson a entrar pela direita sem marcação permitiu a intervenção dum defensor que cedeu canto.

No minuto seguinte foi a vez de Ganso ganhar espaço e rematar cruzado obrigando Mauro a defesa de recurso com os pés. A resposta não tardou e o Ouriense podia ter passado para a frente do marcador.

A velocidade de André Sousa surpreendeu a defensiva maçaense e à saída de João Rosa passou-lhe o esférico por cima num vistoso chapéu. Quando o esférico se encaminhava para a baliza valeu Saúl que, em esforço, afastou, negando um golo que parecia certo.

Saúl defendeu bem e ainda foi à área contrária.

Na equipa da casa um jovem começava a dar nas vistas: André Sousa. Com a sua velocidade e capacidade técnica ia exigindo dos seus opositores cuidados redobrados.

À passagem do quarto de hora ganhou a linha de fundo do lado direito e executou um cruzamento largo, cheio de “veneno” que a defensiva maçaense cortou para canto, evitando males maiores.

Pouco depois os visitantes responderam com Ganso a servir Wemerson já dentro da área. O avançado brasileiro não conseguiu segurar e na segunda bola Simão Moreno encheu o pé para defesa vistosa de Mauro.

Com o jogo a entrar numa fase de acalmia, muito jogado sobre o meio campo, o Mação beneficiou dum livre direto descaído pelo lado esquerdo do seu ataque. Wemerson simulou o remate e Diogo Rosado ensaiou um “míssil teleguiado” com o esférico a entrar ao segundo poste sem hipóteses para o guarda redes Mauro.

Diogo Rosado marcou de livre direto.

Aos 26 minutos ruiu o “castelo” de Ourém cuja resistência começava a inquietar os maçaenses.

Com a equipa visitante mais tranquila e a equipa de Vitor Rodrigues obrigada a correr atrás do prejuízo, o jogo ganhou dinâmica repartindo as equipas o tempo de posse de bola e as parcas oportunidades.

À passagem da meia hora uma jogada de entendimento, com o esférico a passar por vários jogadores de amarelo, permitiu a Ganso rematar na passada, à entrada da área, aumentando a vantagem maçaense.

Ganso aumentou a contagem à meia hora.

A vida afigurava-se difícil para a equipa da casa mas a reação foi imediata. No recomeço, Dino introduziu o esférico na baliza de João Rosa que nem esboçou a defesa porquanto o árbitro já havia anulado o lance por falta atacante.

O Atlético não baixava os braços obrigando a defensiva maçaense a cuidados redobrados.
Aos 34 minutos, um cruzamento bem executado por André Sousa para o centro da área contou com a disponibilidade do “capitão” Luís Esteves que desviou para a linha de fundo.

Muita segurança defensiva no Mação.

Já com o descanso no pensamento o jogo não abrandou e aos 38 minutos Ganso recebeu a bola na área, recreou-se tirando adversários do caminho e quando rematou, já em esforço, o guarda redes Mauro negou-lhe o golo com uma defesa de recurso com o pé.

Na conversão do pontapé do quarto de círculo a bola voltou a Ganso e de novo, com dribles eficazes, encontrou uma linha de passe para Diogo Rosa que rematou para nova defesa do guarda redes ouriense.

Responderam os da casa numa rápida transição. Dino encarou João Rosa e rematou, com a bola a “fugir” do guarda redes que ganhou o duelo, tirando para canto com o pé.

João Rosa manteve a inviolabilidade da sua baliza.

O intervalo chegou com um resultado pesado para a equipa da casa mas como justo prémio para a eficácia defensiva dos maçaenses. O Atlético Ouriense fez por merecer o golo mas o adversário não permitiu veleidades.

A segunda parte prometia animação com os inconformados ourienses a terem uma tarefa que se adivinhava muito complicada.

Segundo tempo a prometer reação ouriense.

No recomeço o técnico dos maçaenses, Francisco Correia, começou a gerir o seu plantel e fez quatro alterações duma assentada. Com os gémeos Ivan e Iuri a fazerem companhia a Miguel Luz num renovado lado esquerdo foi por aí que o jogo dos visitantes passou a ser carrilado, preferencialmente.

Com um Mação mais rápido e de linhas mais subidas o início do segundo tempo ficou marcado por uma sequência de pontapés de canto a criar algum embaraço à equipa da casa. Aos 51 minutos Miguel Luz cobrou um livre direto a que se opôs Mauro.

Ala esquerda refrescada com os gémeos Alves e Miguel Luz.

Pouco depois, numa rápida saída para o ataque, o Atlético beneficiou dum livre, junto à bandeirola de canto do lado direito. O corte da defensiva permitiu aos ourienses beneficiar, eles próprios, de algumas ocasiões para alvejar a baliza de João Rosa.

Aos 54 minutos Tico, a fazer um jogo de “encher o olho”, ganhou sobre o central Ezequiel e tentou colocar no centro da área. Gonçalo Lelé, entrado após o intervalo, superiorizou-se cedendo canto.

O jogo estava frenético e na resposta Ganso voltou a ganhar sobre o adversário direto ganhando espaço para a entrada de Miguel Domingues que vinha de trás. O passe não levou a melhor direção, gorando-se a jogada.

Empenho de ambas as equipas resultou num bom jogo.

Aos 57 minutos uma saída temerária do guarda redes Mauro fora da sua área por pouco não proporcionou o terceiro golo dos maçaenses. Falhou a intercessão deixando o esférico jogável para Ivan Alves que agradeceu e colocou em “amortie” no segundo poste.

Com uma rapidíssima reação, Mauro ainda se reposicionou e, com uma sapatada, negou o golo a Ivan. Na conversão do canto Lelé rematou forte mas a defensiva voltou a estar ao mais alto nível.

No minuto seguinte uma reposição lateral de Iuri Alves, executada de forma bastante longa para a área, permitiu a Ganso a cabeçada a passar muito perto dos ferros.

Mação sempre mais perto de marcar.

Do outro lado do campo um cruzamento aparentemente fácil traiu João Rosa que cedeu canto. O guarda redes dos visitante teria oportunidade de se redimir pouco depois, aos 63 minutos, quando André Sousa deu o melhor destino a um cruzamento bem medido vindo do lado direito do seu ataque. O remate tinha o “selo” de golo mas João Rosa estava empenhado em manter imaculada a sua baliza. Quem não marca, sofre…

Aos 68 minutos, um lance entre os gémeos Alves permitiu o cruzamento preciso de Iuri para Ganso, no coração da área. O remate de pronto, colocado e forte, não permitiu a defesa e o Mação consolidava um resultado robusto.

Ganso bisou na partida.

No recomeço, o Ouriense lançou a velocidade de André Sousa que, a dar sinais de esgotamento, não conseguiu segurar o esférico acabando caído na área. Reclamaram os da casa mas o árbitro Adriano Sousa, bem colocado, não descortinou qualquer infração e o jogo prosseguiu.

Com as equipas em visível desaceleração e com dez minutos para jogar Simão Moreno aproveitou uma bola perdida para experimentar a meia distância. Sem sucesso…

Simão Moreno muito subido na ala direita.

Tico foi sempre uma ameaça para a defensiva maçaense e aos 83 minutos, num bonito gesto técnico, recebeu e rematou de pronto. Interpôs-se Ezequiel que cortou. Com toda a gente a suspirar pelo fim do jogo, com o destino selado, não se esperavam mexidas no marcador. Puro engano…

Em cima do tempo regulamentar, Pereira, entrado pouco antes rematou na passada obrigando a defensiva da casa a ceder canto. Na conversão Ivan Alves foi à área contrária fazer o quarto golo da sua equipa, encerrando as hostilidades. Pouco depois Adriano Sousa apitou pela última vez na partida.

Ivan Alves, á direita, fechou a contagem.

Resultado pesado para o Atlético que merecia mais. Vitória sem contestação da equipa primodivisionária. O Atlético Clube Ouriense, afastado da Taça do Ribatejo, vai focar-se na hipotética subida à divisão principal. Valor não lhe falta…

Apesar de sofrer contestação por parte da equipa da casa, a arbitragem de Adriano Sousa e seus auxiliares esteve segura e globalmente acertada. Não interferiu no resultado final.

Boa arbitragem de Adriano Sousa.

Ficha do jogo:

CLUBE ATLÉTICO OURIENSE:
Mauro Lopes, Francisco Frazão (Nuno Lourenço), Artur Oliveira, João Batista, João Vieira (Gui Sousa), André Sousa (Renato Gil), Dylan, Dino, Gonçalo Costa, Tico e Ricardo Ferreira (Gui Silva).
Suplentes não utilizados: Tiago Sousa, Diogo Pereira e Diogo Reis.
Treinador: Vitor Rodrigues.

Clube Atlético Ouriense.

ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DE MAÇÃO:
João Rosa, Simão Moreno (Tiago Pereira), Saúl (Gonçalo Lelé), Ezequiel, Luís Esteves, João Rui (Iuri Alves), Diogo Rosado (Miguel Luz), Diogo Rosa, Ganso, Miguel Domingues e Wemerson (Ivan Alves).
Suplentes não utilizados: Francisco Sousa e Pedro Lopes.
Treinador: Francisco Correia.

Associação Desportiva de Mação.

GOLOS: Diogo Rosado, Ganso [2] e Ivan Alves (Mação).

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Adriano Sousa, Manuel Mendes e Afonso Silva.

Equipa de Arbitragem: Adriano Sousa, Manuel Mendes e Afonso Silva com os capitães.

No final fomos ouvir os técnicos no “flash interviu”:

VITOR RODRIGUES (Ouriense)

Vitor Rodrigues-Treinador do Clube Atlético Ouriense. Foto: Arquivo mediotejo.net

FRANCISCO CORREIA (Mação)

Francisco Correia, treinador da Associação Desportiva de Mação. Foto: Arquivo mediotejo.net

*Com David Belém Pereira (multimédia).

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome